terça-feira, 26 de junho de 2007

"Uma volta a ver o Tejo"

08 de Julho
#2º. Raid AC-Trilhos e Aventuras#
"Uma visita à Gardunha"
90 kms em autonomia
Partida às 08h
P. Infantil da Pires Marques
.o0o.

altimetria

percurso google

.o0o.

Pensamento:
"As dificuldades não esmagam um homem, fazem-no."
(Arthur Meighen)
.o0o.
Hoje quando cheguei ao local de encontro já ali se encontrava o Micaelo.Chegaram depois o Filipe e o Marco. o Martim e o Dino e o João Valente.
Logo quando cheguei, comentei com o Micaelo, que hoje iriamos dar uma mirada ao Tejo, lá para o Monte Fidalgo e tomar café em Perais.
Já com a malta toda reunida, o Dino disse que tinha que estar em Castelo Branco às 12h, mas que quando chegasse a sua hora que regressava e o Marco torceu o nariz ao percurso, que não estava muito bem fisicamente.
Mas havia malta que ainda não conhecia este percurso, nomeadamente o João Valente e o Micaelo e não iría-mos privá-los destes belos trilhos.
Saímos em Direcção a Maxiais e o Marco logo no início abandonou o grupo.
Na zona dos Maxiais, passámos por umas "quelhas" engraçadas e iniciámos a descida paralela ao Vale do Sapinho até à Ribeira do Barco, agora com fraco caudal, para iniciar-mos a subida para a zona dos Macarros, onde o Martim furou.
Câmara de ar reposta e continuámos até à estrada para Alfrívida, virando à esquerda para cruzar a Ribeira de Alfrívida e começar a subir para a Sra dos Remédios, onde apesar de usar tubeless, também furei, mas a "nhanha" aguentou o furo após umas bombadas de ar e em Monte Fidalgo voltei a "bombar", aguentando-se até final do percurso sem mais problemas.
Aí, o Dino e o Martim regressaram a Castelo Branco por estrada e nós continuámos o trajecto inicialmente delineado.
Logo após o Monte Fidalgo pretendemos espreitar a Barragem de Cedillo, mas o caminho encontava-se lavrado e optámos por desistir, contentando-nos mais à frente por contemplar o Tejo, lá no alto, numa paisagem espectacular.
Dalí demos início a uma divertida descida numa série de curvas e contracurvas com rumo aos Perais, onde parámos para tomar café e conversar um pouco.
Dalí seguímos para o Vale Pousadas, pela Meia Légua, para atacarmos seguidamente a Ladeira de S. Gens, que quase nos esgotou o depósito glucémico.
Antes parámos a meio da ladeira para apreciar a grandeza da paisagem, que nos deliciou o olhar a perder de vista.Abandonámos depois o estradão principal para atalhar-mos em direcção à Sra da Guia, onde parámos na fonte ali existente e presenciámos o estado em que ficou o parque de merendas após ter sido alvo duma "corja" de vândalos que quase o destruíram na totalidade.
Pura maldade!!! O que será desta geração?
Atravessámos o Retaxo e seguimos para o complexo das Olelas, para nos deliciar-mos com a descida até à passagem superior da via férrea, que acompanhámos paralelamente até Castelo Branco, onde chegámos pelas 13h20, com 67 kms percorridos.

"Domingo vem pedalar connosco!!"

(Comparece no P.Infantil da Pires Marques pelas 08h)

Até lá

AC

domingo, 24 de junho de 2007

"XIII Passeio de Cicloturismo Gafetense"

Dia 08 de Julho
#2º. Raid AC - Trilhos e Aventuras#
"Uma visita à Guardunha"
90 kms em autonomia
Partida às 08h do P. Infantil da P. Marques

.o0o.
Pensamento:
"Prefiro incomodar com a verdade do que agradar com adulações"
(Lúcio Anneo Séneca)

.o0o.

altimetría

.o0o.

Hà muito tempo que não dava umas pedaladas com a minha asfáltica.
Por tal motivo, resolvi participar no XIII passeio de cicloturismo Gafetense, saíndo da minha garagem pelas 07h, montado na minha Look 585 em direcção a Gáfete.
Saí pela variante da Carapalha à rotunda da Longofor e rumei a Gáfete, passando por Sarnadas, Vila Velha de Rodão, Nisa e Alpalhão, chegando ao destino um pouco antes da partida para um circuito de cerca de 60 kms pelas localidades vizinhas, acabando por percorrer na totalidade 128 kms desde Castelo Branco.
Alí encontrei alguma malta conhecida, alguma que já não via à muito tempo.
Castelo Branco estava bem representado com vários grupos, também dos concelhos limítrofes, que aumentaram significativamente o pelotão.
Pena foi a lentidão com que decorreu o passeio, demasiado lento, mesmo para um evento desta natureza.
Concluí o percurso de Castelo Branco a Gáfete à média horária de 28,2 kms/h, sendo a média final de 22,5 kms/h, tal a lentidão. Mais parecia uma prova de equilibrismo em cima da bicicleta.
O almoço foi um pouco demorado e com muita burocracia para entrar no recinto, apesar da forma bem escalonada como os diversos grupos foram colocados nas mesas. Mas tudo foi duplamente recompensado com o farto e bem confeccionado almoço a que a "Ti Antónia" já nos habituou, se bem que à uns anitos que não ía a Gáfete.
A minha esposa foi ter comigo já próximo da hora de chegada, com o saquindo pronto para o banho, que tomei nos balneários do Campo de futebol.
No computo geral, foi agradável voltar a pedalar na minha asfáltica, sózinho, ao meu ritmo e em autonomia, porém tão cedo não penso voltar a Gáfete.
.o0o.
"Se quiseres pedalar, junta-te à malta na Terça Feira dia 26, pelas 08h, no P. Infantil da Pires Marques para mais uma voltinha de BTT, algures por aí.
Até lá
AC
.o0o.

sexta-feira, 22 de junho de 2007

"Dark Ride # Rota do Pirilampo"

#2º. Raid AC - Trilhos e Aventuras#
"Uma visita à Guardunha"
(90 kms em autonomia)
08 de JULHO
Partida às 08h do P. Infantil da P. Marques
.o0o.

percurso google

altimetria

.o0o.

Pensamento:
"As pessoas são solitárias porque constroem paredes em vez de pontes"
(Joseph N. Newton)
.o0o.

Hà uns dias atrás, falei com uns amigos para começar-mos a fazer uns passeios nocturnos, agora que o tempo amenizou um pouco.
Hoje foi o primeiro de muitos que se pretende realizar, assim a malta adira.
Gosto de um passeio nocturno lá para as profundezas, onde a única claridade è a dos "lampiões" das nossas biclas. Sózinhos no meio de nenhures atentos aos sons da natureza!!!
Foi o que aconteceu hoje.
Aderiram à iniciativa: AC, Rarn, Varadero, Vitor, Marcelo e Nuno Diaz, que se juntaram pelas 21h no P. Infantil da P. Marques.
Logo depois da saída e quando nos aprestáva-mos para passar sob a linha férrea junto ao Grupo Recreativo da Boa Esperança, demos pela falta de um elemento.
Após um compasso de espera voltámos atrás e lá estava o Vitor ainda no local de partida, retido por uma avaria mecânica, a qual o nosso mecânico de serviço, "o Rarn", já tinha práticamente solucionado. Era a roda traseira mal colocada, o que originava que o v-brake não assentasse uniformemente no aro, travando a roda.
Problema solucionado, rumámos em direcção aos trilhos.
Entrámos no mítico single das Palmeiras em direcção ao Forninho do Bispo, passámos pelo Monte do Zeferino, Queijeiras da Rebouça e apanhámos o estradão em direcção ao Monte do Pombal, onde circulámos umas contenas de metros paralelos ao Rio Ponsul, onde parámos para retemperar forças e conversar um pouco. (Local de avistamento de OVNIS, que o diga o Marcelo)eheheh!!!
Dalí rumámos à Casa do Estrelo, onde nos embrenhámos num trilho repleto de estêvas, que fomos sepenteando e que de noite têm outra magnitude.
Descemos seguidamente para os Quintalréis. Aí o ponto alto da noite!!! Um imponente veado moveu-se junto ao caminho a cerca de 20 metros do grupo. O Varadero e o Rarn iluminaram-no com os faróis. Que imponência!!! ali estava ele parado a olhar para nós!!! O bicho era enorme, seguramente com mais de 200 kgs e com uma armação (cornos) enorme, que para qualquer caçador seria um belíssimo troféu. Toda a malta ficou impressionada com aquela bela visão. O bicho aguentou parado cerca de 15 a 20 segundos, tempo suficiente para o apreciar-mos afastando-se seguidamente sem grandes pressas.
Depois de digerida a emoção, seguiu-se uma sessão de "arfamento" até à Capa Rota, quando tivémos de concluir a zona do "carrossel", que feito neste sentido é bem mais difícil.
Na Capa Rota entrámos no asfalto, onde a pedalada se tornou mais "airosa" até chegarmos à cidade, cerca das 00h30, com 32 kms percorridos em boa camaradagem.
Presumo que estes passeios sejam para continuar, por isso, estejam atentos aos blogs.
Quem quiser ter contactos e emoções, pedalar por trilhos profundos e emocionantes e quem sabe, ter um encontro de grau desconhecido, venha pedalar connosco "in the dark".

quarta-feira, 20 de junho de 2007

"Uma volta memorável"

#2º. Raid AC-Trilhos e Aventuras#
"Uma visita à Guardunha"
(90 kms em autonomia)
08 de Julho
Partida às 08h do P. Infantil da P.Marques
.o0o.

altimetria

percurso no google

Hoje o dia apresentou-se bastante nublado, com previsão de chuva, o que veio a acontecer.

Ainda assim, saí de casa pelas 07h55 para me deslocar para o local habitual de encontro.

Alí aguardei cerca de 15 minutos sem que ninguém aparecesse. Disse cá para comigo. Hoje a malta receou a chuva e eu sózinho também não vou andar de btt e vou trocar pela asfáltica e fazer uns kms.

Quando estava a chegar à porta da garagem, toca o tlm. Era o Martin que se tinha atrazado. Voltei atrás pois já tinha companheiro para o btt. Saímos já perto das 08h30 e logo a seguir ao portal do frigorífico toca de novo o tlm. Desta vez era o Filipe que não se tinha apercebido da mudança de horário para as 08h e tinha então chegado ao P. Infantil, pelo que foi ao nosso encontro. Já éramos 3.

Como era malta com um andamento mais homogénio, resolvi preparar uma volta com todos os ingredientes. Seguímos então por Sta Apolónia, Estação, passámos a zona das hortas de Escalos de Cima para cruzar a EN.18-7 em direcção a S. Gens, onde não chegámos, cruzando antes a N.233 para os Muros e Nesvelha, onde atravessámos um pinhal com um trilho espectacular entre regos e raízes a terminar com uma descidita a requerer alguma técnica.

Daí seguimos para a zona do Lurgo da Nogueira, local frequentado durante todo o ano por vacadas. Os trilhos nessa zona além de bastante pedregosos e técnicos, são sempre preenchidos com alguma peripécia, e desta vez, também não fugiu à regra.

Cerca de 1 km após a passagem do portal, duas vacas postadas no caminho com as suas crias, que teimavam em abandonar o local e miravam-nos desconfiadas e com poses bastante esclarecedoras. Com várias sessões de palmas do Filipe e do Martin lá se desviaram pachorrentamente e como era a descer a malta "desopilou" dalí num ápice. Mais à frente mais umas quantas vacas com os seus rebentos e um deles resolveu dar a "mamada" mesmo no caminho e dalí não arredou "pata", com a progenitora sempre a olhar-nos fixamente deixando-nos algo apreensivos, pelo que resolvemos a questão contornando o cabeço a corta mato empurrando as bikes até apanharmos o trilho um pouco mais à frente.

Já junto à Ribeira de Alpreade, mais umas quantas "cornudas" com um porte de manter respeito e certamente com o cio, pois assim nos pareceu, fizeram-nos parar novamente e ladeá-las com cuidado, até que conseguimos chegar ao outro portal, o que foi para nós um alívio. A partir dalí acabaram-se as vacas. Depois foi subir para as Tendas e Vale da Pulga até chegarmos à Mata, onde tomámos o cafézito no "Gaitas". Depois do cafézinho, dirigimo-nos para a saída da povoação pelo Lagar do Tomé, quando começou a chover. Vestimos os "chubasqueros" e depois foi gozar pelos trilhos, ou vestígios destes, que nos levaram à Ribeira do Salgueirinho e Coito do Leitão entre erva alta e lage escorregadia, tentando adivinhar o trilho que desaparecia debaixo dos pneus da bicla. Foi um gozo!!!

Atravessános a N.240 no Alto da Monheca e circulámos umas centenas de metros pela estrada para Belgais, virando posteriormente à direita para descer para as Ferrarias e subir para o Barrão. Depois da subida atrasei-me um pouco e ao acelerar para apanhar a malta acabei por dar um valente "tralho" quando ao tentar ultrapassar um rego com alguma profundidade a roda da frente escorregou na terra mole fazendo-me voar sobre a bicla. Foi mais o aparato apesar de ter ficado com algumas escoriações. Mas o que mais me irritou foi ter de voltar atrás buscar a bike. Ossos do vício!!!. Quando cheguei junto da malta, o Martin tinha a bicla de "pantanas" para mudar a câmara de ar da roda de trás, pois tinha um furo lento. (Ai, Santa "nhanha") Como è que hà gente aue ainda a não usa? Dalí atravessámos o Monte São Luíz, passámos junto à Fonte Santa e Garalheira, chegando a Castelo Branco carca das 13h20, com 65 kms percorridos, o último terço do percurso debaixo de chuva. Mas foi um gozo a volta de hoje. Uma volta memorável.

.o0o.

Domingo, dia 24 não vou comparecer, pois vou com a minha asfáltica até Gáfete, mas certamente aparecerá malta para pedalar às 08h, no P. Infantil da P. Marques.

Divirtam-se!!!

AC



domingo, 17 de junho de 2007

"Inauguração da Sede da ACCB"

#2º. Raid AC-Trilhos e Aventuras#
"Uma visita à Gardunha"
(08 Julho - 08h)
.o0o.
Pensamento:
"Todos tentam realizar algo grandioso, sem reparar que a vida se compõe de coisas pequenas"
(Frank Clark)

percurso no google

altimetria

.o0o.
Hoje, pouco depois das 07h, espreitei pela janela e chovia copiosamente.
Por isso, pensei que ninguém apareceria para andar de bicla.
Puro engano!!!
Pelas 08h10 toca o tlm. Era o Jorge Palma a perguntar se eu ia pedalar. Claro que ía, só precisava de um incentivo.
O Jorge Palma e o Marcelo já se encontravam no P. Infantil da P. Marques. Equipei-me rápidamente e lá fui eu ter com eles.
Como o tempo estava um pouco instável, resolvemos ir juntar-nos à malta do passeio da ACCB e lá fomos em direcção à nova sede sita nas piscinas antigas no Castelo.
Quando ali cheguei deparei com muita malta conhecida. Cumprimentos da praxe, mas pessoal para pedalar num evento destes era escasso, mesmo sendo o almoço "à borliú".
Havia dois percursos, um de btt e outro para as asfálticas.
Ninguém sabia para onde ía nem quantos kms iria efectuar, o que interessava era estar de regresso pelas 11h30/12h para a inauguração.
Bem, lá partimos todos em conjunto até à rotunda da Granja, onde a malta do btt virou à esquerda em direcção à barragem da Talagueira, pois tinhamos combinado entre nós ir-mos até às Benquerenças, circundarmos a aldeia e regressarmos pelo outro lado da via férrea.
E assim foi!!!
Onze betêtistas com vontade de sujar o "fatinho", pois charquinhas de água e lama não faltaram em todo o percurso, pedalaram em amena cavaqueira até às Benquerenças, onde parámos no Café Antão para tomar o cafézinho, mas só três aderiram a este ritual, não conseguindo resistir àquele irresistível aroma. Os restantes ficaram lá fora na conversa.
Montámos de novo nas biclas e rumámos a Castelo Branco, onde chegámos pelas 11h20, com 32 kms percorridos, isto na parte que me toca.
À chegada à zona de Montalvão a malta começou a dispersar, cada um para suas casas, para tomarem o respectivo banho e apresentarem-se posteriormente com apetite suficiente para atacar o "bácoro" que, em movimentos cíclicos, rodava no especto aguardando a nossa chegada.
Pelas 12h30 lá estava eu acompanhado do Nuno Maia, que me deu boleia, a entrar nas instalações onde havia mesas colocadas estratégicamente, bem recheadas de comida e bebida à descrição.
Posicionei-me junto à máquina de tirar cerveja, onde já outros companheiros "habitués" nestas lides de "emborcar" umas bjecas sem gargalo se encontravam em posição.
Por alí me mantive, não tivesse eu ao meu lado o Luís Bolhas, o melhor tirador de cerveja da actualidade, com qualquer das mãos.
Entretanto o "bacorinho" começou a fase de adelgaçamento e as travessas começaram a circular, mas por pouco tempo, pois o pessoal já não tem paciência para tanta espera e adoptou a táctica do "formigueiro" em direcção ao dito cujo e por vezes com esperas enervantes para conseguir que a desejada lasca pousasse na fatia de pão, estratégicamente colocada numa das mãos .
O pessoal comeu e bebeu quanto quiz e creio que toda a malta ficou satisfeita, quer pelo manjar, quer pela camaradagem emanada da malta que por ali se juntou.
Foi um dia bem passado.
O Sr Presidente da Câmara Municipal cá do nosso Burgo, fez o discurso alusivo ao evento, notando-se nas suas palavras vontade de colaborar com as associações da cidade, assim como os representantes das três associações cujas sedes foram hoje inauguradas.
Pessoalmente desejo às três associações que tudo corra pelo melhor e que o dia de hoje, seja o primeiro de muitos em prol do associativismo e do desporto em geral.





Terça feira, dia 19, há pedalada.
Quem quiser pedalar connosco, compareça pelas 08h no P. Infantil da P. Marques.
Até lá
AC

terça-feira, 12 de junho de 2007

"Em busca do trilho perdido"

#2º. Raid AC-Trilhos e Aventuras#
"Uma visita à Gardunha"
(08 Julho - 08h)
.o0o.
Pensamento:
"Acreditar em algo e não o viver é desonesto"
(Gandhi)


Altimetria

percurso no google
.o0o.

Hoje éramos seis:AC, Filipe, Marco, Micaelo, Martin e o Luís André, pela primeira vez a pedalar na nossa companhia.

O trajecto hoje era um pouco duro na segunda parte.

Saímos pelo single das Palmeiras em direcção ao S. Martinho e descemos para a EN18.8 que atravessámos e subimos para a Sapateira rumando à zona do Valongo e a partir daí, sempre a descer até ao Canafixal.

Alí parámos à sombra duma oliveira para reabastecer, pois dali para a frente mais parecia um trepa paredes.

Subimos às Casas Velhas onde eu pretendia encontrar um trilho para o Cabeço do Pico, mas à primeira vista não me pareceu viável devido ao escarpado do Cabeço.

Continuámos então até aos Maxiais, sempre a subir, onde parámos para tomar café e conversar um pouco.

Dalí a Castelo Branco foi um saltinho, onde chegámos cerca das 12h30 com 40 kms percorridos em sã camaradagem.


NOVO HORÀRIO: A partir de Domingo, as saídas passarão a ser às 08H00

Até lá: AC

domingo, 10 de junho de 2007

"Raid ao Castelo do Rei Wamba"

Pensamento:
"Para quem tem medo, tudo são ruídos"
(Sófocles)
.o0o.

Altimetria

percurso no google

.o0o.
Quando de manhã espreitei pela janela, o dia apresentava-se muito nublado mas com algumas abertas.
Mas era o dia do Raid, e mesmo que não fosse, não era motivo para desistir.
Assim, preparei-me e lá vou eu para o local de encontro.
Quando cheguei, nem vivalma, nem uma agulha bolia na quieta melancolia do Parque Infantil. Encostei a bicla e sentei-me num banco dizendo para comigo: alguém há-de aparecer, bolas!!! Depois pensei, se calhar como estão habituados às 08h30, fizeram confusão e vão aparecer a essa hora, mas eu não ia esperar estava decidido a ir mesmo sózinho: è que sou teimoso "c'mó catano" e não era umas pingas d'àgua que me desviavam do meu objectivo, além de que as biclas são mono lugar e não tinha compromisso de levar niguém à boleia.
Já passava das 8h quando aparece o Joaquim Cabarrão e fiquei admirado, pois não esperava por ele. Seguem-se o Roberto e o Fidalgo.
Telefona o Arlindo dizendo que não pode ir e o Jorge Palma que fez confusão com o horário, mas que ia, ficando combinado esperar junto ao NERCAB.
Começa então a caír uma chuva mais intensa e uma desistência. O Joaquim Cabarrão resolveu voltar, presumívelmente, ao vale dos lençóis.
O Fidalgo ainda se atrapalhou e também não se importava de desistir, mas como eu e o Roberto tinhamos decidido continuar ele foi também, não se arrependeu!!
À chegada ao NERCAB a chuva parou para dar início a uma manhã propícia à prática do BTT, com uma temperatura amena e com o dia a clarear deixando-nos mirar o horizonte.
Entretanto chega o Jorge Palma e lá fomos nós para a nossa aventura: e que aventura!!!
Não vou entrar em grandes narrativas, apenas dizer que quem participou gostou certamente dos trilhos que percorreu, porque foram espectaculares. Houve de tudo!!! Estradões, trilhos. single tracks e passagens por aldeias bem bonitas.
Houve também e isso era sabido, umas subiditas e descidas a condizer, para todos os gostos: rápidas, técnicas e assim assim.!!!
Foram 8 as povoações que cruzámos e uma vila: Represa (Apeadeiro), Amarelos, Rodeios, Vale do Homem, Tojeirinha, Alvaiade, Vila Velha de Rodão, Coxerro e Retaxo
O Roberto e o Fidalgo, que aqui louvo pela coragem, pois não são considerados "craques" da nossa praça, foram apenas até Vila Velha de Rodão, depois de subirem ao Castelo, onde depois apanharam o Comboio para Castelo Branco. Castiço, heim!!!
O Jorge Palma, apesar de andar dorido duma queda que apanhou hà cerca de 15 dias, aguentou-se, ainda assim, com um ritmo que parecia lento, mas que para um acumulado de 1527 em 91 kms e a uma média horária de 15kms não é nada mau.
Chegámos cerca das 16h15 porque fizémos muitas paragens, não havia grandes pressas em chegar, nem nada para ganhar: tampouco havia classificação final, por isso, os amigos terão de acreditar no que lhes dissermos.
Parámos no Coxerro e mandei fazer 2 sandes mistas que saíram XXL, talvez porque a faca já estivesse um pouco "romba", comi uma e bebi uma "bjeca" sentadinho à mesa com o Jorge. Conversámos um pouco e por ali nos mantivémos, seguramente, mais de meia hora.
A segunda sandes "ataquei-a" antes de chegar à Sra da Guia, pois o depósito "glucémico" já estava a entrar na reserva.
Ainda cheguei a Castelo Branco em bom estado, despedi-me do Jorge na Rotunda da Carapalha e segui para casa.
Ao idealizar este Raid, foi minha intenção partilhar o conhecimento do que melhor conheço a nível de trilhos com os amigos, divertirmo-nos um pouco e pedalar algures por aí de forma livre e descontraída.
Sei que estes raid's são algo duros, mas vendo dezenas irem aos "Portalegres", "Gardunhas", "Pontes de Sôr", "Guardas" "Zarzas" e outros, alguns debaixo de grandes intempéries, pensei que a quilometragem ou algum acumulado mais elevado não seria motivo para não participar e para alguns, conhecerem a beleza da nossa região, que é bem linda e com zonas espectaculares para o BTT.
Mas o repto continua: "irra", que sou mesmo teimoso!!!
Fica já anunciado o Dia 8 de Julho para o 2º. Raid "Uma visita à Gardunha" (não há antenas para ninguém)com partida do Parque Infantil da Pires Marques às 08h.
Quem me quiser acompanhar, basta aparecer acompanhado duma duma "bicla" e vontade de pedalar. O apoio baseia-se na "camaradagem" e os abastecimentos ficam ao teu critério. Uma coisa tens já garantida. Vais "arfar de certeza e dar cabo do cortiço, a não ser que estejas mesmo em forma!!!
Estou a brincar!!! o andamento será ajustado ao grupo presente, se houver??
Agora umas fotos apenas da primeira parte, pois com receio dumas pinguitas d'àgua não trazia a digital à mão de semear na segunda parte do percurso e fui preguiçoso, não tirei fotos.

Terça Feira, dia12, quem quiser pedalar por aí, apareça pelas 08h30 no P. Infantil da Pires Marques.
Até lá
AC

sábado, 9 de junho de 2007

"Um salto à Sertã"

Pensamento:
"Despreza as estradas largas, segue os carreiros"
(Pitágoras)
.o0o.

Altimetria

Percurso no Google

.o0o.

A convite do meu irmão, membro do Grupo "SelindaBTT, sediado na Sertã, ali me desloquei no feriado dia 7, para com eles pedalar por alguns dos trilhos onde foi efectuada a prova a contar para o campeonato nacional de maratonas.
Eramos 5: AC, Luís Cabaço, Luís Carlos, Nuno e Paulo, malta divertida, o que deu origem para mim, a uma bela manhã de BTT, pois só andei de manhã e eles após o repasto no Robalo, regressaram à Sertã. Eu não fui por estar febril e já não me sentir em condições de pedalar por mais horas. Pena minha!!
Desta vez não me vou alongar muito nas palavras, apenas dizer que foi para mim gratificante percorrer em btt aqueles belos trilhos, que poderão ver nas imagens que vou postar, onde cerca de 50 % eram singles tracks de rara beleza, quase sempre junto a ribeiras e no meio de matagal.
Das várias paragens que efectuámos, uma delas foi na Aldeia da Relva onde se encontra o Museu das Aldeias, onde estivemos a merendar, além da passagem por outras aldeias que ficam na retina.
Saímos das Mougueiras, lugar junto à Sertã e foi nosso destino chegar ao Robalo, uma das aldeias perdidas no tempo e onde mora o meu pai que nos acolheu na adega com boa pinga e um petisco a condizer.
Fiquei de tal modo encantado com os trilhos que lancei logo a ideia ao meu irmão de os podermos partilhar com a malta de Castelo Branco, numa próxima oportunidade. Foi ponto assente. Assim a malta adira a estas iniciativas.



Amanhã è o Dia D!!!

Partida às o8h para o Raid ao Castelo do Rei Wamba.

Não te atrases!!

Até amanhã
AC

terça-feira, 5 de junho de 2007

"Rota das Azenhas"

Pensamento:
O homem nunca sabe aquilo de que é capaz até que o tenta fazer.
(Charles Dickens)



.o0o.




Altimetria percurso






Percurso no Google

.o0o.
Hoje, compareceram o Micaelo e o João Valente do BTTHAL e o Filipe.
Grupo homogénio quanto ao gosto de pedalar e apreciar as belezas naturais da nossa região.
O Micaelo e o João Valente, hábeis manejadores do obturador da digital, dispararam a torto e a direito a tudo o que lhes entrasse pela "retina".
Verdadeiro pessoal do "Stress Off", resolvemos ir à procura de emoções e belas paisagens mesmo que para isso tivéssemos que "arfar" a valer.
Quando cheguei ao P. Infantil da P. Marques, pelas 08h30, já ali se encontrava o João Valente e em conversa, disse-lhe que tinha hoje em mente dois percursos, ambas com alguma espectacularidade no tocante à paisagística, mas também com alguma dureza.
Uma seria para os lados do Ribeiro do Barco e Cabeço do Pico e outra na zona de confluência da Ribeira da Líria e Rio Ocreza, ambos ricos em azenhas e açudes.
Que desperdício de património!!!
Existem tantas organizações "desorganizadas" a defender tudo ou nada, ou melhor, alguns pretensos "subsídiozitos" fundamentados em projectos da "treta" e que, uns nem começam e outros nunca acabam, enquanto o "graveto" estiver à vista.
Que riqueza em património rural e que bem poderia ser aproveitado para fins "lúdicos" e ajudar por pouco que fosse a melhorar o turismo na nossa região, criando condições para que o turismo pudesse usufruir das belezas do nosso interior, que não só palácios e castelos, também eles na sua maioria em forma decadente e desaproveitada, mas não haverá realmente dinheiro, ou será na realidade a vontade!!!
Lá aparece aqui e acolá um passeio pedestre, agora também a ficarem na moda, muitas das vezes não com o intuito de mostrar a beleza das regiões, mas sim de lucrar alguma "coisita" para as despesas do clube, associação, etc..., pois as autarquias estão-se a cortar cada vez mais!!!.
Porque não marcar percursos com placas sinalizadoras à imagem de outros países, ou zonas do país com outros interesses no turismo, divulgá-los convenientemente e incentivar as pessoas a percorrê-los, sem que tenham de pagar por isso, ressalvando as devidas excepções. Melhor que as "marchinhas" do coração com oferta de T-shirts e outros brindes!!!
Dizem que de Espanha nem bom vento nem bom casamento. Talvez?
Mas no que toca ao turismo rural. Que diferença!!!
Qualquer lugarejo tem percursos pedestres e para bicicleta, grátis para toda a gente e que pretende dar protagonismo às suas regiões, mostrar o que de melhor por lá têm.
O lucro vem por acréscimo e de forma consensual através da restauração, artesanato e outros e o interior certamente iria deixando de ser tão interior e a ser conhecido mais pelos do exterior, isto no tocante ao nosso turismo rural, que não o das grandes quintarolas preparadas para receber pessoas a troco de diárias não acessíveis à maioria dos cidadãos portugueses.
Enfim. Já desbafei!!!
Posto isto, o João Valente ficou virado para a zona do Ocreza e foi para aí que rumámos.
Saímos em direcção aos Maxiais, mas passámos ao lado, junto à linha férrea, para apanhar trilhos e caminhos para a Foz da Líria.
Alí nos entretivémos em alegre camaradagem, conversando e fazendo o gosto ao dedo através da objectiva das nossas digitais.
Cruzámos depois a Ribeira da Líria e o Rio Ocreza para atacar a bonita, longa e algo dolorosa subida para a povoação de Calvos.
Uma foto junto à placa toponímica da aldeia e toca a descer para o Ocreza para nos deliciarmos com toda aquela beleza natural, com paisagens que nos fazem sentir pequeninos e diferentes, quando por alí pedalamos.
Alí brincámos e pedalámos um pouco por uns bocaditos algo técnicos e atacámos a barrita energética.
Seguiu-se a indecisão quanto ao melhor local para atravessar o rio, mas cá para mim, a malta não queria era molhar o sapatinho. E a àgua estava tão boa, mesmo à maneira para um "margulho", com diz o "Penatabua".
Depois dumas chapinhadelas com os pés, subimos pelo eucaliptal em subida inclinada e a ser necessário aplicar alguma técnica na sua parte inicial e chegámos ao estradão que nos conduziria à Taberna Seca.
Pretendia-mos descer para o Açude Pinto, conhecido como Moinho da Líria, mas falhámos a entrada.
Ainda tentámos por duas vezes por outros trilhos, mas de ambas as vezes tivémos que voltar atrás, por não ter saída.
Da Taberna Seca rumámos ao Penedo Gordo, virámos à direita para o Cabeço da Barreira, para efectuar aquela "descidita" manhosa para o pontão da Líria e entrámos na cidade pela Cova do Gato, pelas 13h, com 47 kms percorridos.
Um dia para recordar!!!
.o0o.





Domingo dia 10, pelas 08h30 partida para o Raid ao Castelo do Rei Wamba.

Se queres participar, comparece.

Serão cerca de 80 kms em autonomia e por trilhos espectaculares.

Até lá!
AC

domingo, 3 de junho de 2007

"III BTT Nocturno da Casa do Benfica de Castelo Branco"

Pensamento:

"Grande parte da vitalidade de uma amizade reside no respeito pelas diferenças, não apenas em desfrutar as semelhanças"
(James Fredericks)


.o0o.
Dia 2 de Junho de 2007.
"Uma data para recordar"
Foi neste dia, em todos os anos que ando de bike, e já são alguns, que aderi a um passeio nocturno.
Não sei porquê, mas sempre tive um certo receio em andar de bicla à noite.
Já saí umas quantas vezes ao fim do dia com a malta e regressei já de noite. Da primeira vez não levava qualquer luz, vim à boleia de outros, não gostei muito.
Depois comprei um "lampiãozito" melhorando um pouco, mas ainda assim, não fiquei muito convencido.
Mas queria experimentar a noite duma forma mais séria.
Então, comprei uns faróis já com alguma qualidade e fiz a minha primeira real experiência a semana passada no reconhecimento do BTT Nocturno da Casa do Benfica, a convite do Roberto.
Aí sim, adorei e fiquei fã.!!
Gostei à brava!!!!
Assim, pelas 20h30 lá estava eu nas "DOCAS" todo artilhado com os meus "lampiões" e com o facto de gala para o evento (equipamento do glorioso SLB) para a minha primeira participação.
O ambiente era de festa e senti-me envolvido em todo aquele ambiente de luz, côr e alegria.
Esplanadas a abarrotar de gente; betêtistas por todo o lado, todos eles artilhados para o evento, cada qual à sua maneira e de forma "sui géneris", que contribuiram ainda mais para a festa, caso da malta do BTTHAL com a sua "BIKE-AMBULÂNCIA", com todos os artefactos necessários para uma "cura" rápida e até uma "VMER" ia montada no "dorso do F.MIKE para o que desse e viesse. eheheh.
Havia também um balão (daqueles de verdade) montado no recinto e pronto para quem quisesse dar uma voltinha.
Música ambiente, e para que ambiente, com DJ.!!!
O local de partida e chegada dos participantes estava fenomenal e inteligentemente situado, e que melhor "padock" poderia haver para a partida do passeio senão as "DOCAS"
Com algum atraso relativamente à hora programada, lá partimos ao som da buzina do "COYOTE" (PJFA) que ajudou a colorir ainda mais esta verdadeira festa do BTT.
Descemos a Avenida 1º. de Maio e continuámos pela 25 de Abril em direcção ao NERCAB, onde virámos para a zona das piscinas municipais e parque de estacionamento do JUMBO e rumámos à Barragem da Talagueira pelo acesso nas traseiras da Padaria de Montalvão.
Aqui houve bastante malta que se enganou virando à direita, quando era para seguir pela esquerda, indo passar pelo meio do arraial, não por erro de marcação, pois esta lá e estava correcta e bem visível.
Surgiu então a primeira pequena dificuldade, se assim se pode chamar: um pequeno troço enlameado e a passagem do ribeiro do descarregador da barragem, que molhou a "meinha" ao pessoal.
O percurso manteve-se sempre bastante homogénio na sua maioria com estradões onde a malta não tinha qualquer dificuldade em pedalar.
Um ou outro topo mais inclinado que fez muita malta "botar o pézinho na terra" e empurrar a "menina" umas dezenas de metros, mas era de noite e ninguém viu.
Logo a seguir, alcatrão até às Olelas, onde nos esperava um farto e diversificado abastecimento, com a sandes de carne assada e outras: bolos da região, como os de mel, borrachões e côco e fruta variada com a particularidade das laranjas já partidas em quartos.
Caso para dizer: "isto é que é qualidade de vida". Muita da rapaziada teve alguma dificuldade em abandonar o local do abastecimento!!!
Até Castelo Branco, a "porreirinha" descida das Olelas e mais estradões e passagens entre pinhal e eucaliptos excelentes e uma apoteótica chegada à meta por uma das escadarias das "docas" que fez a delícia de alguns.
Por ali me mantive ainda algum tempo a conversar com amigos e vendo chegar alguns companheiros do pedal, regressando a casa para encostar a bicla, tomar o banhinho e regressar à festa, agora nas instalações da Cozmos, na zona industrial.
A recepção manteve o nível anterior.
Muita malta, toda ela bem disposta e agradada com o evento e jantar farto e bem confeccionado, acrescido de sobremesas de luxo e cafézinho a finalizar.
Quem quisesse, neste caso quem conseguiu arranjar vaga, poderia comer no exterior em explanada preparada para o efeito numa noite que também ela contribuiu para que tudo corresse às mil maravilhas.
No final foram sorteados diversos artigos pela malta, pondo termo a esta belíssima festa e na parte que me toca à participação do meu 1º. passeio noturno.
Fico já a aguardar o próximo.



.

Quem quizer dar umas pedaladas, desta vez diurnas, compareça no P. Infantil da P. Marques na Terça Feira, dia 5, pelas 08h30.
Até lá
AC





Dia 10, já no próximo Domingo, "1º Raid AC - Trilhos e Aventuras" ao Castelo do Rei Wamba em autonomia.

Partida às 08h do P. Infantil da Pires Marques.

Se queres "arfar" a sério, apresenta-te para poderes desfrutar duns quantos trilhos, estradões e singles da região e paisagens deslumbrantes.

Deixa o relógio em casa, traz "ração" extra e hidrata-te convenientemente.
Vais adorar.
AC