quarta-feira, 30 de abril de 2008

"Ufff!!!... finalmente, Terça Feira"

Pois é, esta última semana foi de arromba, com um "desabamento" de maratonas e passeios neste belo recanto à "beira serra" plantado, que o empeno custa a desempenar, por falta de tempo útil!!!

-Maratona de Alcains, organizada pelos companheiros do pedal e a "penantes" do papaléguas, onde estive quase para levar a boia com cabeça de jacaré, para as travessias mais difíceis.
- Rota do Lince no Meimão, que se soubesse o que me esperava, tinha levado o material de escalada.
- Maratona do Paúl, a mais gratificante, que apesar de não ser "pêra doce" prendia-me pela beleza paisagistica e pelos trilhos.
Isto sem "desprimor" para as outras, mas cada uma no seu lugar.
Depois foi a voltinha da terça feira, um "marco" para um pequeno grupo de malta amante do pedal, das fugas para além da poluição urbana, dos cheiros e das cores campestres, da aventura e da descoberta, de visitar e revisitar as belas aldeias, lugares e lugarejos, algures por ai "plantados" por esses vales e planaltos habitados por gentes singelas bem à moda beirã!!!
Nesta terça feira, juntámo-nos na Pires Marques . . . AC, Álvaro, Filipe, Joaquim Cabarrão, Sérgio Marujo e Carlos Sales, para dar uma "mirada" por algumas dessas aldeias.
Saímos da cidade cerca das 08h30 e rumámos ao Freixial do Campo, com passagem pela Tapada das Figueiras e Quintas de Valverde.
Alí paramos no Café Amazonas para o cafézinho da ordem, servido pelo simpático e bem falante casal de proprietários.
Dalí seguimos para o Ninho do Açôr, descendo ao Vale Sando, onde pedalámos e ladeámos, não chegando a entrar na Aldeia, continuando em direcção a Tinalhas.
Parámos então no Café do Largo para bebermos uma "cervejola" e assim limpar o pó dos caminhos e lubrificar a cartilagem dos joelhos de alguns meninos, que sempre que se aproximam de alguma terreola, começam logo com os queixumes de dor nos joelhos, das cartilagens, blá, blá blá!!! Quem será o "melro"???
Já saciados, rumámos então para Caféde, mas não fizemos a paragem habitual, para continuarmos em direcção às passadouras da Rabaça e daí para Alcaíns que atravessámos pela zona das Escolas para sairmos junto à Igreja de Sta Apolónia, para depois duma "aceleraçãozinha" chegarmos à Atacanha e daí à cidade foi um "saltinho", onde entrámos pelas 12h30, com 62 divertidos kms, percorridos em ritmo de cruzeiro e em animada "cavaqueira"

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC

terça-feira, 29 de abril de 2008

"Maratona Ribeiras da Estrela # Paúl"

SOBERBO ... LINDO ... ESPECTACULAR!!!
Foi assim na minha óptica, esta bem organizada Maratona das Ribeiras da Estrela na bonita aldeia do Paúl.

Não participei no ano passado por desconhecimento, mas depois de ouvir os comentários da malta que participou, ficou desde logo registada no meu calendário de passeios.
Para mim, superou em muito a expectativa!!!
Com um enquadramento fenomenal e paisagens deslumbrantes, esta maratona fica na retina de qualquer participante, mesmo os menos atentos.
Passagens sobre várias ribeiras construídas em madeira, pontes antigas, single tracks para todos os gostos e feitios, passagens singulares nalgumas aldeias por onde passámos, abastecimentos fartos e diversificados com "fumeiro" e queijo fresco da região, broa, bolos, filhoses fruta diversificada e bebidas hipotónicas de 500 ml, além de barras energéticas e gel de qualidade, que mais se pode desejar num evento destes. Para mim foi uma Romaria e para terminar em beleza ganhei ainda a "Scott Aspect 45 Disc" no sorteio final, quando ainda desfrutava os trilhos na companhia do amigo Nuno Maia.
Depois do empeno do 25 de Abril na Serra da Malcata, contava apanhar novo empeno nesta Maratona, mas apesar de ainda um pouco dorido ,fí-la com relativo à vontade, pois também a enfrentei de forma lúdica, como gosto, apreciando as paisagens e registando na minha digital.
Para este evento saí de Castelo Branco com o Nuno Maia e o Agnelo Quelhas, na viatura do Nuno e quando chegámos ao Paúl já a azáfama era grande, com a malta a preparar as bikes e dar os últimos retoques.
Apesar de já termos os dorsais, enviados para as lojas de Castelo Branco, fomos ao Secretariado levantar os brindes e a senha de almoço.
Depois fomos tomar o segundo pequeno almoço, também ele farto e diversificado e ainda com direito a cafézinho expresso, ou para os mais audazes, uma "maquineta" de tirar imperial, esta à descrição e a quem não faltou clientes. eh eh eh!!!
Cerca das 09h20 rumámos depois para o local da partida e colocámo-nos na cauda do pelotão, eu e o Nuno Maia, pois o Agnelo ia dar uma "litrada" nesta maratona, acabando por conquistar o sexto lugar e apanhar uma valente seca à nossa espera.
E foi o Agnelo que me telefonou a informar-me que tinha ganho a Scott no sorteio, andava eu lá para as bandas de Silvares!!!
às 09h30, foi dada a partida para uma volta circular por alguns arruamentos do Paúl para na passagem seguinte ser dada a partida oficial e lá fomos nós em direcção aos trilhos, onde logo nos kms iniciais se poderia abreviar o que seria esta maratona em termos paisagísticos, com o alto da Serra da Estrela quase ao nosso alcance.
Muitas ribeiras, muitas passagens singelas, muitos single tracks, muitos trilhos bonitos e onde era um gozo pedalar, muita gente envolvida nesta exemplar organização, muita gente a aplaudir e a colaborar. Uma maratona a não perder e de que eu já fiquei fã!!!
Assim dá gosto pedalar e participar em eventos, que como este, se nota que uns dos principais objectivos é promover a modalidade e a terra onde é organizado, sem que o lucro seja o grande objectivo. E tudo isto por 15 euros!!! Já paguei muito mais por um só abastecimento apenas com água e uma peça de fruta!!!
Por isso, para o ano lá estarei, de preferência acompanhado de alguns amigos.


Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC
Slideshow

segunda-feira, 28 de abril de 2008

"II Passeio da Liberdade - Na Rota do Lince"

Sexta Feira, dia 25 de Abril, participei no "II Passeio da Liberdade", organizado pela Junta de Freguesia de Meimão no bonito Parque Natural da Serra da Malcata.
O convite foi-me feito pelo meu amigo Filipe, fiel companheiro de pedaladas e que eu não poderia recusar.
Assim, pelas 07h conduzindo a minha "jipose" e acompanhado do FMike e João Valente, lá nos juntámos à caravana que aguardava junto ao Stand da VW aos Buenos Aires.
Partimos em direcção ao Meimão, com escala nas "Águas" para tomar café no Restaurante "O Galante", mas batemos com o nariz na porta, pois ainda era cedo e estava tudo fechado.
Após outra tentativa na Meimoa, o resultado foi igual, pelo que só conseguimos tomar o café no Meimão.
Apesar da aderência de pessoal a este evento não ser a melhor, pois previa-se mais malta, tanto mais que o passeio era à "borliú" e num enquadramento paisagístico excelente, ainda assim compareceram umas dezenas de companheiros para pedalar num dos passeios mais duros em que participei nos últimos tempos e vá-se lá a saber porquê, pois com tantos recursos, trilhos excelentes e paisagens deslumbrantes para onde quer que nos virássemos, só me fez lembrar a personagem do padre protagonizada pelo Herman José ... "não havia necessidade"!!!
O dia era de festa e a malta era animada e pronta para desfrutar aqueles trilhos e paisagens espectaculares ... pena que uma grande maioria o tivesse que fazer a "penantes" e sem poder usufruir do passeio como certamente tinha planeado.
Há que não confundir passeios acessíveis a todos os níveis de participantes com provas de btt e ter-se o discernimento necessário para separar "o trigo do joio"
Penso que o objectivo da Junta de Freguesia do Meimão era conseguir juntar num convívio bebêtista umas largas dezenas de participantes e mostrar o que de melhor existe naquela região.
De facto o objectivo foi conseguido, em parte, só que com muito esforço por parte dos participantes, que no final foram brindados com um banhinho de água bem fria, pois quentinhos já eles vinham e um almoço um pouco desordenado, numa espécie de salve-se quem puder, correndo ainda o risco de numa próxima edição o pessoal não aderir, recordando ainda a extrema dureza do ano anterior.
Subidas muito longas e técnicas, mais vocacionadas para os prós, ou pseudo-prós, alguns com "habitat" cá no Distrito e descidas exageradamente longas e com inclinação desmesurada, onde os travões de muita malta deram "o berro".
E tanto havia para ver e desfrutar!!!
Pessoalmente gostei do passeio, pois participei duma forma lúdica e apesar da dureza, desfrutei o máximo e apreciei aquelas belas paisagens.

Para o ano se o evento persistir, lá estarei e certamente a malta de Castelo Branco também.
Fico agradecido ao meu amigo Filipe por me ter convidado a participar neste evento e ao presidente da Junta de Freguesia de Meimão por me ter proporcionado uma bela manhã de btt, nessa linda Serra da Malcata.
Obrigado!!!

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC
Slideshow

terça-feira, 22 de abril de 2008

" O Dia da Terra"

Hoje é o Dia Mundial da Terra.
Em jeito de comemoração e também porque enquanto betêtistas, somos conscientes da importância duma boa conduta ambiental resolvêmos hoje dar um passeio mais calmo e deitar um olhar mais prolongado sobre este nosso cantinho na "Terra", pejado aqui e acolá, de belos recantos e paisagens gratificantes, sobretudo para quem gosta de estar, sempre que possa, em comunhão com a natureza e praticar este gratificante desporto, que é o Btt, na sua vertente lúdica, que nos engrandece o espírito e tonifica a alma.
Nesta terça feira e como em todas as outras, com rara excepção, juntaram-se pelas 08h na Pires Marques um grupo de amigos para irem em busca de aventura e divertimento, (AC, FMike, João Valente e Filipe) partindo ao encontro da bela e abandonada aldeia de Benquerenças Velhas, onde sempre paramos para apreciar aquelas outrora habitadas casas de xisto, meio perdidas no meio do mato.
Saímos em direcção à Piscina Municipal para apanhar o acesso ao Parque do Jumbo, mas ali, o nosso primeiro contratempo. Derivado às obras ali existentes, o trilho, simplemente desapareceu e foi necessário voltar atrás e seguir outro caminho para acedermos à passagem nas traseiras da Padaria de Montalvão para entrar própriamente nos trilhos, com início na agora bela Barragem da Talagueira, derivado às águas que recebeu das últimas chuvadas, enchendo-a completamente.
Logo alí a nossa primeira sessão de fotografia artística e uma pequena paragem para apreciar a paisagem.
Dalí seguimos para contornar a zona industrial e aceder ao primeiro banho de lama do dia, tal o estado dos terrenos.
Passámos o Baixo da Maria e entrámos numa secção de trilhos utilizados no passeio dos BVCB até às Benquerenças Velhas.
Por alí nos entretivemos mirando aquele casario, cada vez mais tragado pelo matagal e fazendo juz ao nosso espírito aventureiro, não resistimos à busca de single tracks que nos façam disparar a adrenalina.
Logo alí nos lançámos por estreito e técnico carreiro, ou melhor dito, single track, dá um aspecto mais pró!!!
Bolas, mas eu sou português e gosto bastante dos nossos carreirinhos, veredas, riscas, passagens, ou lá como lhe queiram chamar!!! E fomos mesmo carreiro abaixo até quase ao final, ficando o resto para desbravar noutra altura, pois ainda tinhamos muito para pedalar e o tempo passava depressa.
Abalámos daquele belo local já a esfregar as mãos a pensar na bela "giribita" que habita lá para os lados da Represa, na quintarola do "Ti Oliveira", avô do nosso companheiro João Valente.
Quando chegámos à quinta, lá andava o "Ti Oliveira" a plantar um canteiro de tomates e quando viu a rapaziada, foi com alegria que depressa nos convidou para a prova do tal néctar que até alimenta a alma.
Mas desta vez fomos brindados com um vinho do porto caseiro, que até estalava!!!
Qual "Vintage", qual carapuça, cá para mim o melhor vinho do porto é o do "Ti Oliveira", o resto são imitações. eh eh eh!!!
Já com a alma restaurada, o espírito atestado e o estômago aconchegado, partimos para a etapa seguinte que nos levaria a rondar os Amarelos e passar pelas Sarnadas, para nos embrenharmos a ziguezaguear por belos trilhos até à divisória do Retaxo/Cebolais de Cima, onde nos divertimos num single track que nos levou até ao estradão das Olelas, que cruzámos para descermos à N.553, que cruzámos para entramos numa nova zona de pedaladas, hoje apresentada à rapaziada, onde os singles e algumas passagens nos fazem delirar de gozo em cima da bike.
Num constante sobe e desce, lá chegámos aos Maxiais, para hoje também estrearmos outro single, este bastante técnico em subida e que ainda não foi conquistado, pelo menos por nós, pois em determinada altura todos, mais aqui ou mais ali, tivemos que apear, com excepção do João Valente que exagera sempre um pouco estas coisas.
Só para "chatear" o rapaz resolveu descer da bike de costas. eh eh eh. "Excentricidades", vamos lá entender!!!
Quem não andava muito animado era o companheiro Filipe, hoje às voltas com "chupões" de corrente pelo prato pedaleiro mediano, derivado ao já pronunciado desgaste e que mais se complicou por ter metido uma corrente nova.
Mas soube superar e aguentou-se durante todo o trajecto, apesar da avaria não o deixar acompanhar-nos da forma habitual. O rapaz é duro, ou melhor, pertence à classe "Kuduro"!!!
No Valongo o Filipe despediu-se da malta, pois ainda ía trabalhar e a hora já era um pouco tardia para ele, mas os restantes ainda "abocámos" duas loirinhas minis, fresquinhas e bem acompanhadas por dois pires do seu inseparável tremoço, que nos animou nas últimas pedaladas de regresso ao lar, doce lar, a trautear musica pimba!!!
E assim se passou mais uma manhã de terça feira na companhia de amigos, pisando novos trilhos de forma alegre e divertida.


Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC
Slideshow

domingo, 20 de abril de 2008

"II Maratona Alcains - Gardunha"


A minha primeira participação na Maratona de Alcains - Gardunha, não correu dentro das minhas expectativas, por diversos factores.- A intempérie que tem assolado a nossa zona, alterou bastante o rumo das coisas e prejudicou um pouco a "rapaziada" do Papaléguas obrigando-os certamente a mais trabalho, mas que não os impediu de mostrar o que eles bem sabem fazer . . . bem receber e organizar eventos de qualidade e que mais uma vez ficou demonstrado nesta II maratona de Alcains.

- O facto de no domingo anterior ter contraído uma microrotura nos ligamentos do gémeo direito, que me obrigou a tratamento durante toda a semana para amenizar o problema.
- Daí ter resolvido, por percaução, apenas participar na Mini Maratona (47 kms) pela menor quilometragem e pela orografia do terreno mais suave.
Como combinado, juntámo-nos na Padaria de Montalvão junto à Rotunda do Modelo uma "catrefada" de malta, toda ela participante nesta Maratona para unidos seguirmos para Alcains, bem acompanhados pela chuva que há alguns dias cai de forma agúdana nossa região.
Depois de estacionar as viaturas junto à Escola de Alcains, não apetecia nada retirar as bikes dos suportes, pois a chuva não deixava de cair.
Durante a viagem e olhando os campos em nosso redor, eram autênticos mares de àgua.
Lá tomei coragem para me dirigir ao secretariado e os meus olhos brilharam ao ver aquela bem ornamentada mesa com uns deliciosos pastéis de nata. E eu que não sou nada guloso.
Valeu-me ter levantado o dorsal no dia anterior!!!
Mudei então a minha participação para a Mini Maratona, pelo motivo atrás descrito e lá resolvi retirar a bike do suporte e prepará-la para o "embate"
Como já vem sendo hábito partí nos últimos lugares, mas desta vez por distração, pois já nem fui ao local de partida e segui atrás dos últimos que vislumbrei ao longe.
acompanhei o Roberto práticamente até ao primeiro abastecimento, onde nos desencontrámos definitivamente.
Até lá foi um sem fim de peripécias derivado ao estado dos terrenos, que acabou por ser divertido pelas situações observadas noutros participantes e outras em que fomos envolvidos.
Depois do primeiro abastecimento segui com o Fidalgo, o Marcelo, o Nuno Dias, o Martin e outros mas acabei por me adiantar um pouco derivado ao facto do Fidalgo ter partido a corrente e eu não me ter apercebido.
Continuei com o Martim até ao final em ritmo de cruzeiro, pois não estava em condições de efectuar grandes esforços, ou pelo menos não deveria.
Apesar do tempo e do estado lastimável dos trilhos gostei imenso desta minha primeira participação na Maratona de Alcains.
O tempo e o estado dos terrenos em nada desvirtuou a organização do evento e quanto a mim, apenas valorizou o seu trabalho, pois apesar das dificuldades, apresentaram uma organização cuidada e bam direccionada em prol dos participantes.Parabéns Carlos Pio e demais elementos da organização!!!
Para o ano lá estarei certamente!!!
Desta vez não me fiz acompanhar da minha fiel digital e por tal motivo não tirei qualquer foto, valendo-me de algumas fotos tiradas pelos meus amigos.!!!


Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC