domingo, 23 de novembro de 2008

"SS - o culto da dor!!!

Pois é meus amigos, como se já não tivesse pancada que chegasse, resolvi montar uma Single Speed e aderir ao movimento "purista" das bikes de um só pedaleiro, um só carreto e sem qualquer tipo de supensão.
No meu quadro "Seven" montei um garfo rígido, um pedaleiro Truvativ Isoflow de 33 dentes e um carreto de 17 dentes atrás e lá vou eu para os trilhos.
Inicialmente montei com 19, mas resolvi hoje sair com 17 dentes à experiência, mas acho que vou voltar aos 19 dentes. A subir aquilo até dobra a espinha. Uffa!!!
A minha primeira impressão foi bastante positiva.
Gostei sobretudo de ser eu o "patrão", de necessitar de mais concentração em percursos mais pedregosos e técnicos, se bem que o percuso de hoje fosse essencialmente plano e sem grande técnica, com excepção dum bocadinho na Marateca, onde deliberadamente escolhi algumas pequenas passagens mais exigentes, mas pouco, para me ir adaptando com calma.
Agora que a SS dá pica, lá isso dá, é como voltar aos tempos em que comecei a andar de bike mais a sério, com uma Òrbita completamente rígida.
As sensações, bem, as sensações foram no primeiro dia "as nalgas (nádegas) amassadas e os braçinhos tremelicantes, mas gostei, tanto mais que gosto de aventura e desafios e este, é sem dúvida um belo desafio.
Por isso, deliberei que a partir de hoje, a SS passará a ser a minha companheira domingueira, quer vá só, ou acompanhando os amigos, desde que não seja para percursos tipo extreme.
Mas hoje foi assim!!!
Pelas 08h juntaram-se na Pires Marques, eu AC, Filipe, Álvaro, Marcelo, Fidalgo, Nuno Dias e Jorge Palma.
Após alguma indecisão sobre o percurso de hoje, acabámos por ir até à Lardosa, onde parámos no Café "Tá-se Bem" para o cafézinho matinal.
seguidamente voltou-se à indecisão sobre o vamos à Gardunha, não vamos à Gardunha e eu fiquei convencido que não íamos hoje à Gardunha, mas no próximo Domingo, tanto mais que de SS e logo na primeira vez era um contra senso e por outro lado, queria estar em casa por volta das 13h.
Rumámos então em direcção à Soalheira e junto ao Colégio de S. Fiel é que soube que efectivamente a malta queria subir à Serra, ficando sem saber o percurso exacto, pois disse que não ía.
O restante pessoal, na maioria mais "pardabaixo" do que "pardacima" não aderiu e acabaram por ir só três, o Álvaro, o Fidalgo e o Jorge Palma e nós, os restantes quatro, seguímos até à Marateca, onde nos divertí-mos um pouco a pedalar junto à água, ainda bastante baixa nesta altura do ano.
Tirámos umas fotos para mais tarde recordar e rumámos a Castelo Branco pela Quinta da Marateca.
No paredão da Barragem o Marcelo foi atacado pelas cãimbras musculares e após alguns alongamentos e um cubo de marmelada lá continuámos.
Após cruzarmos a N.18 e como a malta vinha um pouco lenta, tive que me despedir e adiantar-me pra tentar chegar a casa a horas.
Cheguei à cidade pelas 13h05 com 78 kms percorridos de SS à média horária de 18 kms/h, uma surpresa para mim.
GOSTEI!!!

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

"O frio está aí. . ."

O dia amanheceu frio e pardacento e com os campos já cobertos de geada.
O sol, esse apareceu radiante, mas insuficiente para aquecer o dia, apesar de o amenizar bastante, mas o frio está aí e deverá ser para ficar, ou não estivéssemos no Inverno!!!
Nesta Quarta Feira, Eu o Filipe e o Pedro Barroca que hoje nos fez companhia apesar de vir um pouco sonolento, pois de cada vez que nos calávamos um pouco, ele quase que se deixava dormir. eh eh eh!!!
A rapaziada anda um pouco cansada e com este frio pouco apetece andar de bicla, mas há que não esmorecer e continuar a matar o vício, quem o tem, que o Inverno vai e volta.
Hoje foi uma volta pacata, quer em andamento, quer em termos de trilhos e aventura.
O Filipe andava um pouco à nora com o estômago (diarreia), o Pedro, sonolento e eu, às voltas com a bike, pois alterei o ângulo do avanço e andava em experiências e com alguns problemas de adaptação. Por outro lado, queríamos também descobrir, ou inventar, uma passagem das Benquerenças Velhas para o estradão que segue a cumeada até à Taberna Seca.
Saímos da cidade pelas Piscinas e obras do Jumbo, aproveitando para nos inteirarmos de como a obra vai ficar daquele lado e rumando à Barragem da Talagueira, agora com um pouco mais de volume, relativamente à última vez que ali passei, que metía impressão vê-la assim tão vazia.
Descemos por uma pequena rampa inclinada e técnica, do lado do paredão para o trilho que nos levou ao Baixo da Maria.
Depois foi serpentear entre caminhos mais ou menos estreitos até às Benquerenças, onde tinhamos como objectivo a descoberta de novos trilhos.
Mas a "coisa" não correu bem logo à primeira, o novo ângulo do meu avanço não me convenceu e o pneu da frente da minha bike não queria colaborar e quando assim é, o melhor é aguardar melhor oportunidade e espírito empreendedor.
Resolvemos então ir tomar o cafézinho matinal ao "Ramalhete", um ponto de paragem quase obrigatório quando por ali pedalamos.
Saímos do Ramalhete em direcção aos Amarelos e após passagem por Sarnadas pedalámos por estradões agora terraplanados até aos Cebolais de Baixo, onde parámos no "Café Estoril" para beber algo e dar dois dedos de conversa.
Seguidamente regressámos à cidade com passagem nas Olelas onde chegámos pelas 13h com 55 kms percorridos de forma relaxada.

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

"PRÉMIO DARDOS"

O Blog AC-Trilhos e Aventuras foi nomeado para o prémio DARDOS pelo blog http://bikestrilhosetralhos.blogspot.com/, distinção que muito me honra e que agradeço.

- O prémio DARDOS foi criado para reconhecer o trabalho que cada blogger realiza a nível fotográfico, literário, cultural, pessoal, etc, demonstrando assim a sua criatividade e vontade de partilhar. Estes selos, foram criados com a intenção de promover o convívio entre bloggers, uma forma de demonstrar reconhecimento por um trabalho, que valoriza a Web.
Quem recebe o prémio DARDOS deve seguir algumas regras.
1º. Exibir a distinta imagem;
2º. Linkar o Blog pelo qual recebeu o prémio;
3º. Escolher outros blogs a quem entregar o prémio DARDOS.
Assim, o Blog AC-Trilhos e Aventuras nomeia para o prémio DARDOS os seguintes Blogs;
Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

"Pedaladas"

A manhã nasceu fria e com um sol radioso que antevia uma bela manhã para dar umas pedaladas pelo monte, onde a paisagem é agora cada vez mais verdejante e logo pela manhã, pejada das gotículas formadas pela marzia e nalguns recantos a velhinha já anda a peneirar as primeiras geadas.
Além do Filipe, companheiro habitual das terças, agora alterado para as quartas feiras, acompanhou-nos nesta quarta feira o Álvaro, num dos seus esporádicos dias de folga semanal.
Resolvemos ir fazer uma visita ao Vale Sando, com partida da cidade em direcção a Sta Apolónia, onde nos direccionámos à bonita zona das Rabaças e já a pensar na paragem matinal no café da D. Júlia, onde sempre somos mimados com uma qualquer guloseima.
Desta vez acompanhámos o cafézinho com umas bolachinhas bem estaladiças e um cálicezinho de boa geropiga caseira, para enganarmos o frio nos kms que nos faltavam.
Dalí apanhámos o estradão para as três toneladas e virámos em direcção à Povoa de Rio de Moinhos para pedalar num bonito trilho que dá acesso às traseiras da Escola Primária de Tinalhas e que figurou no percurso do Paseio de Btt daquela localidade.
Descemos quase até ao primeiro cruzamento para o Ninho do Açor onde entrámos no estradão que nos levou a contornar todo o Vale Sando até virarmos lá para os lados do Chão da Vã, chegando até às passadouras do Rio Tripeiro, onde parámos para descansar um pouco e comer a usual barrinha energética.
Após um par de fotos, seguimos por variados trilhos até ao Salgueiro do Campo e daí até ao Palvarinho, onde efectuámos nova paragem no Café da Praça, para beber algo diferente da água dos camelbacks.
Descemos pelas estreitas ruas da povoação em direcção ao Campo de Futebol onde apanhámos o caminho para a Ponte de Ferro e consequente subida, bem suada, até ao alto do Rouxinol seguindo pelo Cabeço da Barreira até à Cova do Gato, local por onde entrámos na cidade, cerca das 12h30 após 62 kms calmos e descontraídos em plena comunhão com a natureza.

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

"Uma aventura à antiga"

Uma aventura à antiga, foi assim que decorreu o "IV Raid AC -Trilhos e Aventuras.
Onze companheiros aderiram a esta minha "mania" de andar por aí a desencantar trilhos para posteriormente os poder partilhar com os amigos.
Este Raid, constituído por um percurso circular, estava idealizado para mostrar que também aqui, bem à porta de casa, há trilhos geniais com tudo de bom e para todos os gostos . . . Bons estradões, boas subidas, boas descidas, trialeiras, carreiros para todos os gostos e sobretudo soberbas paisagens em locais inóspitos, onde os pneus da btt ainda não tiveram acesso. Isto sim, um paraíso para o btt, mas que teimamos em não reconhecer o que é nosso e vangloriar efusivamente outros locais, que inúmeras vezes estão muito aquém dos nossos. Uma velha tendência que eu teimo em não aceitar, apesa de gostar de pedalar em qualquer lugar e de conhecer outras zonas e sobretudo de conviver e conhecer amigos por esse país fora.
Pelas 08h na Pires Marques já se encontravam alguns companheiros preparados para mais um dia de puro btt e outros foram chegando entretanto.
Partimos para esta aventura onze betêtistas :- AC, João Afonso; Zé Luís Vasco; Nuno Eusébio; Carlos Sales; Nuno Dias; Agnelo Quelhas; Joaquim Cabarrão; Luís Lourenço e Álvaro, preparados para um dia de pleno divertimento.
Tinhamos pela frente o Vale do Ponsul o planalto dos Montes do Picado até aos Lentiscais, onde tomámos o cafézinho matinal, a grande mancha florestal composta pelos Montes da Baliza e que nos levaria até à bonita Foz do Rio Ponsul em pleno Parque do Tejo Internacional, os Montes dos Andrés e Hortas da Boidade no acesso a Malpica do Tejo, as trialeiras no arrabalde da aldeia e nas Escorregadias até ao Santuário de Nossa Senhora das Neves, os ondulantes azinhais pelos Montes de S. Domingos, Novo, Vale de Paio, Caldeireiro, Grifo, Farropa, Marmelal e Escrivão onde de novo nos reencontrávamos com o Rio Ponsul.
Por isso, muita aventura e muito btt nos esperava por zonas trialeiras, belos carreiros a rasgar matagal maioritáriamente composto, por estevais, fundas barrocas, manchas florestais de frondosos eucaliptais e azinhais a perder de vista.
Foi um dia em pleno com muita aventura, muita animação, brincadeiras e sã camaradagem e onde a amizade é pura e desinteressada.
E como o btt é uma panóplia de acontecimentos, houve também um furo e quatro quedas sem consequências, que também elas contribuíram para animar a malta.
Após um pequeno piquenique, uma surpresa do amigo Joaquim Cabarrão, com toalhinha e tudo, composto por queijo da Serra pãozinho caseiro e uma garrafinha de bom vinho alentejano "Monte Velho", isto à laia de treino para o abastecimento seguinte em Malpica do Tejo que se prolongou por mais de duas horas com várias travessas de enchido, vinho tinto, cerveja, sumos e água, com uns cafézinhos a finalizar regados com um belo cheirinho de Whisky, que pôs a malta toda a "cem à hora".
O pior é que todo esse tempo que estivemos sentados à mesa nos fez falta para chegar a horas à cidade e como castigo chegámos já bem depois do sol posto, mas como compensação, com a barriga bem cheia de boa comida e o corpinho bem cheio de bom BTT, por isso, esta foi sem dúvida "UMA AVENTURA À ANTIGA"

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC
Filme