terça-feira, 30 de abril de 2013

"Vale das Quedas"

Após umas mini férias com a Maria, voltei ao meu hobby de eleição.
Tinha feito um upgrade na minha "SANTA" e hoje aproveitei para ir a testar e afinar.
Está pronta para a "luta", ao contrário do dono que ainda "corre" atrás da sua performance habitual.
Levantei-me calmamente pelas 07h30 e fui dar uma espreitadela na janela. Não chovia, nem fiquei com a certeza de que não choveria!!!
Pairavam no céu umas nuvens ameaçadoras, mas não me senti ameaçado e resolvi ir pedalar.
Tomei o pequeno almoço calmamente e lá fui então ter com a minha "Santa" que já há muito tempo aguardava por uma "montadela" das minhas.
Depois de tudo prontinho fiz-me aos trilhos, mas, qual não é o meu espanto que ao dar as primeiras pedaladas ía aos saltos na bike . . . que raio se passa com isto! disse eu, espantado. Aquilo não era normal!
Pois claro, este mecânico de garagem da trêta" não tinha os cranks do pedaleiro bem alinhados, deixando a "santinha" coxa. E esta, heim!!!
Lá voltei à garagem e voltei a montar o pedaleiro como deve ser e tudo ficou a funcionar na normalidade.  Cúm catano, ele há cada uma!!!
Saí da cidade pelo Valongo e subi às Olelas, seguindo para o Retaxo.
Passei junto ao Cemitério e tomei o rumo ao Vale das Quedas, onde andei deambulando, dando uma espreitadela nuns quantos trilhos, para desenjoar os habituais.
O dia apresentava-se algo frio e um pouco acinzentado, mas a chuva aguentou-se.
Depois dumas boas voltas e por alguns trilhos bem catitas, cheguei à Pista de Pesca do Retaxo, onde decici ir até aos Amarelos.
Desta vez não parei na Padaria e contive a gula pelo panike de chocolate, seguindo pelo estradão que ladeia o IP2, até à Barragem da Talagueira.
Passei pelo lago artificial junto à piscina praia e rumei a casa, onde cheguei com 49 kms pedalados à minha moda. . .calma e descontraidamente, absorvendo ao máximo o que me rodeava.
Uma boa voltinha para recuperar um pouco da minha "maleita" e calejar o "rabinho", a precisar dumas boas dezenas de kms, para aceitar  com melhor agrado o "palmo de cabedal" que o tem feito sofrer ultimamente.
 
Fiquem bem.
Vemo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC  

quarta-feira, 24 de abril de 2013

"Passeio a São Vicente da Beira"

Hoje fui dar uma voltinha asfáltica, na companhia do amigo Álvaro, até S. Vicente da Beira.
Saímos da cidade pouco depois das 08h e rumámos àquela aldeia beirã, com passagem por Juncal e Freixial do Campo.
"Rocámos" Tinalhas e Sobral do Campo até chegarmos a S. Vicente.
Aqui, parámos na Pastelaria junto aos Bombeiros, como previamente combinado e bebemos calmamente o cafezinho matinal, enquanto púnhamos a conversa em dia.
 Percurso ondulante, hoje um pouco dificultado pelo vento frontal, mas que não comprometeu a visão da beleza dos campos à nossa volta, já completamente vestidos de primavera.
Continuámos o nosso passeio de hoje, agora em direção ao Louriçal do Campo, mas pela estrada que segue pela falda da serra, pois a subida ao Casal da Serra, via S. Vicente, ainda não é para já.
Estradinha bonita e panorâmica, ornamentada com bonitas paisagens, onde aquela visão sobre toda a Albufeira da Barragem de Santa Águeda, não me consegue deixar indiferente.
Cruzámos o Louriçal, pelas suas ruelas empedradas e seguimos para a Lardosa, via Barragem da Marateca. Bonito de se ver, aquela imensidão aquática, em tons azulados e completamente ladeada das cores primaveris, dos campos que a circundam.
Passámos pela Lardosa em direção aos Escalos de Cima.
Já perto daquela aldeia, encontrámos um companheiro do pedal que seguia em solitário.
Não o conhecíamos, mas acompanhámo-lo até aos Escalos de Baixo, onde nos despedimos, pois ele ia para o Ladoeiro.
Chegámos à cidade com umas rápidas pedaladas, após 74 kms, num bonito passeio de primavera, "cavalgando" a minha asfáltica, de quem já tinha algumas saudades.
Cheguei à cidade pelas 11h30, na excelente companhia do Álvaro e com umas dorezitas, às quais já não estava habituado.
Este fim de semana, a juntar o feriado, vou dar uma voltinha, mais a minha Maria, em busca de outras paisagens e outra gastronomia.
 
Fiquem bem.
Vemo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC

terça-feira, 23 de abril de 2013

"Sopé da Gardunha"

Hoje era minha intenção ir dar uma volta de Btt com um pouco mais de carga e resolvi ir até ao sopé da bonita Serra da Gardunha.
Acompanharam-me os amigos José Luís e Silvério Correia.
O Silvério foi ter comigo e juntos fomos até à Lardosa, ao encontro do José Luís.
Saímos da cidade pela Quelha dos Desembargadores e fomos até à fonte Santa, onde entrámos praticamente nos trilhos.
Passámos Alcains e a Folha da Lardosa para pouco depois entrarmos na aldeia, onde o José Luís já nos esperava no "Tá-se Bem".
Ali bebemos o cafezinho matinal, enquanto dávamos dois dedos de conversa.
Saímos depois em direção à Soalheira e duas centenas de metros depois, o ar da roda da frente da bike do Silvério foi-se!!!
Foi a primeira vez que vi o Silvério sozinho a trocar a câmara de ar numa roda . . . afinal o homem sabe!!!
Pelos trilhos do costume, lá chegámos à Soalheira, ligando depois a S. Fiel, onde iniciámos parte da subida para a Casa do Guarda. 
Subimos algumas centenas de metros para seguidamente virarmos à esquerda, e nos embrenharmos no pinhal numa bonita descida ao Louriçal do Campo.
Cruzámos a Aldeia e após passarmos a Fonte dos Cabeços, seguimos por umas quelhas catitas até ao Santuário.
Aqui tirámos a foto de grupo se seguimos de novo em direção à Soalheira numa sequência de bonitos singles.
Cruzámos de novo a aldeia, agora em direção à Barragem da Marateca pedalando por trilhos entre quintarolas até entramos no estradão de acesso principal à Barragem.
Depois de cruzarmos o pontão sobre o Rio Ocreza, onde este entra na barragem seguimos para a Póvoa de Rio de Moinhos, onde efetuámos a segunda paragem, no Bar do Clube, para saciarmos a sede com algo que não  fosse água.
Depois da passagem pelo Santuário da Senhora da Encarnação tomámos o rumo às três toneladas, onde virámos o azimute à Cafede.
Voltámos a cruzar o Rio Ocreza, agora pelas passadouras da Rabaça para mais à frente deixarmos o Zé Luís, junto às Escolas em Alcains.
Já com a cidade à vista, a ela nos dirigimos com passagem ainda por Santa Apolónia e Atacanha.
Foi uma bonita volta de Btt, que culminou com 87 kms pedalados por alguns dos bonitos trilhos deste nosso belo cantinho, na companhia de amigos e em amena cavaqueira.
Estou convencido de que estou mesmo de volta para umas quantas "diabruras"!!!
 
Fiquem bem.
Vemo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC

segunda-feira, 22 de abril de 2013

"De regresso ao meu hobby preferido"

Depois de tempos conturbados à volta de uma lesão no meu joelho direito, regressei às bikes e ao meu hobby preferido, apesar do médico me aconselhar vivamente "ir à faca".
Já consegui dar a volta ao resultado por uma vez. Espero conseguir de novo tal proeza . . . a ver vamos!!!
No sábado passado, na companhia do amigo Álvaro, fomos dar uma volta descontraída até à sempre bonita Barragem da Marateca.
Rumámos a Cafede e na Póvoa de Rio de Moinhos, parámos para a matinal dose de cafeína.
Desfrutámos seguidamente da bonita envolvente da bacia hidrográfica de Santa Águeda e fomos até à Lardosa, onde encontrámos o grupo de rapaziada que se reúne junto à Rotunda do Continente, parando para dois dedos de conversa, a que se juntou pouco depois o Pinto Infante, cavalgando a sua "branquinha EFS de 1968".
Bonita manhã primaveril para dar umas pedaladas e, para mim, estava a ser maravilhoso . . . estava a sentir-me ótimo e sem dores no joelho. Nascia a esperança!!!
Passámos por Escalos de Cima e Escalos de Baixo para dar entrada na cidade, ainda as 11h00 não tinham chegado e com um sorriso nos lábios.
Fiquei logo com vontade de no dia seguinte me juntar à malta das Docas para uma Betêtada.
 
E assim foi!
 
Ontem juntei-me à malta das docas para umas já saudosas pedaladas campestres.
Compareceram 10 companheiros para desfrutar a bonita manhã solarenga, a contrastar com os péssimo tempo que até há pouco tempo nos atormentava.
Entregaram-me a "batuta" para a voltinha dominical, por estar "doentinho" e assim escolher os trilhos como me aprouvesse . . . e assim fiz!
Rumámos à Fonte Santa e contornámos os Escalos de Baixo, passando pelas traseiras do Restaurante a Bigorna, em direção aos Escalos de Cima, onde parámos no café junto à fonte, para o cafezinho da praxe.
Já recompostos e mais à frente, após a zona das hortas, despedimo-nos do Filipe Salvado e do Pedro Henriques que encurtaram em direção à cidade.
Nós continuámos em direção à Póvoa de Rio de Moinhos e Tinalhas.
Compartimos uma curta secção dos trilhos da Maratona de Alcains, em sentido inverso, não de forma premeditada, mas apenas por desconhecimento. De qualquer forma, foi agradável cumprimentar alguns companheiros que se divertiam naquele evento.
Sem stress . . . cada um na sua!!!
Não entrámos em Tinalhas e seguimos pelo trilho junto à serração rumo às três toneladas, continuando para a Quinta de Valverde, onde mais à frente entrámos no asfalto que seguimos até às proximidades da Tapada das Figueiras.
Passámos o Parque de Campismo e o Pinheiro Manso, para entrarmos na cidade, ainda a horas de bebericar um par de "bjecas" no Bar Lusitano, antes da banhoca e almocinho retemperador.
Fiquei deveras satisfeito e apesar de dorido, quer a nível muscular, quer a nível do "rabinho", que já se estava a desabituar do "palmo de cabedal", fiquei esperançado de que vou ultrapassar esta situação sem "artroscopia".
Amanhã vou forçar mais um pouco, com uma betêtada mais longa e um pouco mais altimétrica a ver se a "coisa" está mesmo para durar.
Foram 65 kms de puro prazer, na companhia de amigos, com os quais já tinha saudades de dar umas pedaladas.
 
Fiquem bem.
Vemo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC