Avançar para o conteúdo principal

"Volta vadia pelo Parque Natural das Arribas do Douro"

"O homem é infeliz porque não conhece a natureza."
(Demócrito)
Com a sempre agradável e disponível companhia do meu irmão Luís, planeei uma das minhas voltas vadias pelo lindíssimo parque Natural das Arribas do Douro.
É um parque natural privilegiado, onde destaco a beleza agreste da paisagem granítica e uma rica e variada fauna e flora.
É conhecido por "Arribas" aquela erosão originada pelos rios Douro, Huesla, Hebra, Tormes e Uces.
Um local fantástico de paisagens estonteantes e miradouros com panorâmicas de cortar a respiração.
Abandonamos Castelo Branco pelas 06h00 rumo a Lumbrales, onde demos início a esta nossa pequena aventura velocipédica.
Depois de preparadas as bicicletas e restante material, abandonamos aquela  localidade salamantina.
Rumamos ao espetacular Puerto de la Molinera e fizemos a nossa primeira paragem no fantástico "Mirador del Cachón de Camaces" de onde se pode ver uma magnífica panorâmica do imponente salto de água do Rio Camaces que desemboca mais à frente no Rio Huebra.
Depois de desfrutarmos daquele idílico local de paisagens inóspitas, descemos mais um pouco até à ponte sobre o Rio Huebra, para darmos à subida do "puerto", uns bons kms de ascensão suave e de paisagens arrebatadoras.
Chegados ao cruzamento de Saucelle, viramos à esquerda para un dos pontos altos do dia, a descida ao paredão da Barragem do Salto de Saucelle.
Simplesmente brutal. As paragens eram constantes para apreciar aquela idílica panorâmica sobre o Rio Douro e a zona das "Arribes". Senti-me feliz por não ter ficado em casa. São momentos destes que nos tornam felizes e limpam a alma das agruras da vida e do stress do quotidiano.
Não há desculpa que me faça ficar em casa e perder estes momentos de comunhão com a natureza.
A paragem no "Mirador del Picón del Moro" era inevitável, pois não poderia perder a beleza da brutal panorâmica sobre o "Salto", a norte pela represa da barragem e a sul sobre o rio a perder de vista, quase até Barca d'Alva.
Acabamos a adrenalínica descida no paredão da barragem e enfrentamos um "ossinho duro de roer, com a subida á N.221, que sempre  ligeira ascensão nos levou ao cruzamento para Ligares, nas proximidades de Figueira de Castelo Rodrigo.
Numa viragem à esquerda, entramos numa estrada de bela panorâmica, contornamos o Penedo Durão e entramos seguidamente, o ponto alto do dia, a estrada do Candedo, que cruza a serra com o mesmo nome. Estreita, linda, brutal, adrenalínica.
Uma estradinha de montanha com paisagens de encher o olho, a rasgar montanha. Simplesmente fenomenal.
De novo na N.221, onde termina a estrada do Candedo, a rasgar o Parque Natural das Arribas do Douro, onde destaco a passagem pela zona da calçada de Sant'Ana e de Alpajares, seguimos o curso do Rio Douro até chegarmos de novo ao Salto de Saucelle, cruzando o paredão da barragem para nos entranharmos numa outra estradinha de montanha, que sempre em subida entre os 6 e 8%, nos levou até ao Puerto da Peña de la Vela, já á entrada de Hinojosa de Duero, com paragem obrigatória no panorâmico "Mirador del Contrabando".
Em Hinojosa de Duero, paramos para comer algo e seguimos para Sobradillo, outro bonito "pueblo salamantino" onde fizemos um bonito troço de "Sterratto" ou Strade Bianca", se fosse algum granfondo, uma italianice da moda, ou algum skyroad, outra inglesice esquisita. Nós por cá, em Portugal, chamamos-lhe estradão ou terra batida.
E foi pura diversão os cerca de 3,5 kms de estradão que fizeram a ligação a La Redonda, a ultima povoação que cruzámos antes de chegar novamente a Lumbrales.
Uma aventura que adorei. mais ainda pela presença do meu irmão caçula, que comigo partilha este gosto lúdico de andar de bicicleta, sempre em busca de novos recantos e aventuras cicloturisticas.
Depois de arrumadas as bicicletas, fomos beber uma "caña" e comer um "pincho", regressando a casa com o corpinho um pouco sofrido mas com a  alma cheia de bons momentos, paisagens de encantar e estradinhas, onde pedalar nos faz sentir diferentes e felizes, por podermos desfrutar destes soberbos locais, praticando o desporto que gostamos.

Fiquem bem.
Vêmo-nos na estrada, ou fora dela.
Beijos, abraços e apertos de mão.

Inté
AC

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de moto pelo Alto Douro Vinhateiro"

"O que é bonito neste mundo, e anima, é ver que na vindima de cada sonho fica a cepa a sonhar outra aventura."
(Miguel Torga)
Com a  excelente companhia dos amigos Luís Miguel, João de Deus e Marta Farias, fomos "desbravar" algumas das encantadoras estradinhas panorâmicas do Alto Douro Vinhateiro.
A saída foi programada para as 07h00 e, já na companhia do Luís Miguel, fomos até Penamacor, onde o João e a Marta já nos aguardavam junto às bombas de combustíveis locais.
Já agrupados rumamos ao norte cruzando Meimoa, Vale da Srª da Povoa, Terreiro das Bruxas, Santo Estevão e Sabugal.
A partir desta vila e com a bonita visão do seu famoso castelo das cinco quinas, entramos em terras de Ribacoa, onde o frescura matinal nos atormentou um pouco e nos fez reconhecer que o verão já lá vai e as temperaturas vão já sofrendo metamorfoses, sobretudo em algumas zonas e, esta é uma delas.
Logo após abandonarmos o Sabugal, viramos à direita para as Quintas de S. Bartolomeu e por Rap…

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Mototurismo por "tierras de nuestros hermanos""

"A imaginação é a primeira fonte da felicidade humana"
(Giacomo Leopardi)
Hoje fui fazer um passeio de mototurismo com a agradável companhia do João e da Marta, que vieram do Fundão aos comandos duma bonita e bem cativante Benelli  TRK502.
O ponto de encontro foi nas bombas da Repsol do Lanço Grande, onde atestamos as máquinas e ingerimos a primeira dose matinal de cafeína.
Cerca das 07h30 fizemo-nos à estrada, por Ladoeiro e Zebreira, entrando em Espanha pela pequena fonteira que cruza o Rio Erges junto a Salvaterra do Extremo.
Depois duma pequena paragem para tirar uma foto ao Castillo de Peñafiel, que se ergue altaneiro no cimo de um monte formado por negra e musgosa penedia de abruptos rochedos inacessíveis.
Entramos em Espanha e, à entrada de Zarza la Mayor, viramos à esquerda ao encontro da Ex-A1, em Moraleja, que seguimos até à cidade de Plasencia.
Pelo panorâmico Vale de Jerte fomos até Valdastillas e subimos ao Piornal, pela Sierra de Tormantos, com uma paragem na C…