Avançar para o conteúdo principal

"De regresso ao meu hobby preferido"

Depois de tempos conturbados à volta de uma lesão no meu joelho direito, regressei às bikes e ao meu hobby preferido, apesar do médico me aconselhar vivamente "ir à faca".
Já consegui dar a volta ao resultado por uma vez. Espero conseguir de novo tal proeza . . . a ver vamos!!!
No sábado passado, na companhia do amigo Álvaro, fomos dar uma volta descontraída até à sempre bonita Barragem da Marateca.
Rumámos a Cafede e na Póvoa de Rio de Moinhos, parámos para a matinal dose de cafeína.
Desfrutámos seguidamente da bonita envolvente da bacia hidrográfica de Santa Águeda e fomos até à Lardosa, onde encontrámos o grupo de rapaziada que se reúne junto à Rotunda do Continente, parando para dois dedos de conversa, a que se juntou pouco depois o Pinto Infante, cavalgando a sua "branquinha EFS de 1968".
Bonita manhã primaveril para dar umas pedaladas e, para mim, estava a ser maravilhoso . . . estava a sentir-me ótimo e sem dores no joelho. Nascia a esperança!!!
Passámos por Escalos de Cima e Escalos de Baixo para dar entrada na cidade, ainda as 11h00 não tinham chegado e com um sorriso nos lábios.
Fiquei logo com vontade de no dia seguinte me juntar à malta das Docas para uma Betêtada.
 
E assim foi!
 
Ontem juntei-me à malta das docas para umas já saudosas pedaladas campestres.
Compareceram 10 companheiros para desfrutar a bonita manhã solarenga, a contrastar com os péssimo tempo que até há pouco tempo nos atormentava.
Entregaram-me a "batuta" para a voltinha dominical, por estar "doentinho" e assim escolher os trilhos como me aprouvesse . . . e assim fiz!
Rumámos à Fonte Santa e contornámos os Escalos de Baixo, passando pelas traseiras do Restaurante a Bigorna, em direção aos Escalos de Cima, onde parámos no café junto à fonte, para o cafezinho da praxe.
Já recompostos e mais à frente, após a zona das hortas, despedimo-nos do Filipe Salvado e do Pedro Henriques que encurtaram em direção à cidade.
Nós continuámos em direção à Póvoa de Rio de Moinhos e Tinalhas.
Compartimos uma curta secção dos trilhos da Maratona de Alcains, em sentido inverso, não de forma premeditada, mas apenas por desconhecimento. De qualquer forma, foi agradável cumprimentar alguns companheiros que se divertiam naquele evento.
Sem stress . . . cada um na sua!!!
Não entrámos em Tinalhas e seguimos pelo trilho junto à serração rumo às três toneladas, continuando para a Quinta de Valverde, onde mais à frente entrámos no asfalto que seguimos até às proximidades da Tapada das Figueiras.
Passámos o Parque de Campismo e o Pinheiro Manso, para entrarmos na cidade, ainda a horas de bebericar um par de "bjecas" no Bar Lusitano, antes da banhoca e almocinho retemperador.
Fiquei deveras satisfeito e apesar de dorido, quer a nível muscular, quer a nível do "rabinho", que já se estava a desabituar do "palmo de cabedal", fiquei esperançado de que vou ultrapassar esta situação sem "artroscopia".
Amanhã vou forçar mais um pouco, com uma betêtada mais longa e um pouco mais altimétrica a ver se a "coisa" está mesmo para durar.
Foram 65 kms de puro prazer, na companhia de amigos, com os quais já tinha saudades de dar umas pedaladas.
 
Fiquem bem.
Vemo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC

Comentários

Silvério disse…
Com estas boas noticias e com o bom tempo que finalmente chegou, até já consigo visionar umas "diabruras da cambada"!
Partilho da tua esperança, que ultrapasses esta situação sem "artroscopia"!
Abraço
Silvério
Pinto Infante disse…
apráz me ver o teu regresso aos trilhos.
o blog já chorava esta proza que te carateriza juntamente com as voltinhas.
quero é que estejas ao melhor nivel, quer pessoalmente como desportivamente.
um grande abraço, melhoras, e como falámos, a saúe é que manda..
Pinto Infante

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…