Avançar para o conteúdo principal

"Um Lamiré sobre a II Maratona de Castelo Branco"

Domingo, 28 de Janeiro de 2007

.o0o.
Pensamento.
"Porque percorres inutilmente o céu inteiro à procura da tua estrela? Põe-na lá"
"Vergílio Ferreira"
.o0o.

Já estava programado hà já algum tempo este dia de trabalho, lazer e camaradagem.
Só não estava programado o frio de rachar e vento gélido com que fomos brindados logo pela manhã, quando cerca das 08h00 nos juntámos na sede da ACCB, aos Buenos Aires.
Fomos seis, os que não agendámos "motivo de força maior" para não estarmos presentes.
Desculpem a minha franqueza, mas a minha idade já me permite instalar um "disco rígido" com capacidade para albergar uma quantidade infinita de inimigos, caso as minhas palavras toquem susceptibiidades.
Mas avancemos. Lá estivémos Eu, o Mário Benjamim (O presidente que também trabalha, eheheh.!!!) o Nuno Maia (O nosso especialista na arte de fotografar), O Joãozito (ainda em fase de crescimento, mas que já chega aos pedais), O Zé das Bicicletas (a nossa "lebre", para o que der e vier, até acabar a "pilha") e o Luís Bolhas (O nosso ocasional motorista, bastante aceleradeiro por acaso e que, apesar de visto de cima não se vislumbrar a "bikla", se apresentou com uma impedância, "FASHAVOR"). Olha lá óh Luis, hás-de-me dizer qual é a farinha que andas a comer.eheheheh...!!
Vamos lá deixar as "bocas" e recomeçar a "prosa"
Engatámos o reboque à carrinha e nele colocámos as bicicletas e toca a rumar em direcção aos Lentiscais, para dar início à segunda fase do percurso da Maratona.
Depois de estacionar a veícla (é fêmea), tirámos as bikes que logo encostámos à parede e fomos ao Centro Social daquela pacata aldeia tomar o cafézinho quentinho, único calor para nos aconchegar nas horas seguintes.
Alí colocámos um cartaz a publicitar a Maratona e "pés" à obra, dando início ao trabalho que ali nos levou, para agendarmos marcação de pontos, possíveis trilhos de evacuação, para fotos, abastecimentos, controle, etc...!!, para o bom desenrolar do evento.
Os primeiros kms serão básicamente rolantes e só lá para o km 7 ou 8, uma descida bem condicionada e que satisfará todos os intervenientes, não pela inclinação, que não será exagerada, mas pela vertente técnica, paisagística e seu enquadramento.
Aí, um pouco de calma, por favor.!!!, mas quando digo técnica, é uma técnica acessível a quase toda a gente. E como costumo dizer, "se eu consigo, então toda a gente é capaz, a dobrar."
Segue-se uma subidita e depois estradão que serpenteia por zona de eucaliptal, olival e azinhal que nos leva às portas de Malpica, para atacar a moderada subida da Boidade até à aldeia, onde haverá abastecimento.
Segue-se uma descida por velhos trilhos com murado antigo que vos farão disparar a adrenalina, mas guardem alguma para as passagem por Negrais e Fraldona com descidas positivas e outras invertidas e de novo estradão para retemperar forças e ânimos que a chegada a Monforte, requer a Vossa atenção, não só pela paisagem, como por algumas "dificuldadezitas" para apurar o "gôto" para o abastecimento que se segue naquela aldeia. Depois, bem, depois a subida para a serra por entre olivais bem "amanhados" e onde poderemos mostrar aos nossos amigos que a nossa técnica a subir não fica por mãos alheias. Depois uma zona "depiladeira" para dar um "look" mais "prá frentex" aos mais cabeludos caso optem pelo "culote de licra". O resto, sobe e desce, torna a descer e depois.... já não conto mais, pois daqui para a frente é a parte que eu gosto mais e onde mais uso dou à minha "digital".
Apenas, que vão durante todo o trajecto passar por zonas nunca dantes pisadas por pneus de bicla e paisagens deslumbrantes por vales ribeiros e riachos a desaguar no Tejo Internacional, que certamente ficarão na retina dos mais observadores e amantes da natureza. Para os mais distraídos, que olham com mais incidência para a roda da frente da bicla, irão experimentar um pouco de tudo, nenhum item irá faltar. Subidas, todas elas cicláveis, descidas para dar o "litro", passagens espectaculares, de leitos de riachos/ribeiros, sem ter que descer da bicla, (ressalvo algumas excepções)trilhos técnicos e trilhos relaxantes em estradão e outros para empenar a "talega" e em substituição dos já desgastados "single tracks" os novos "albi tracks", confeccionados na região para todo o tipo de "cranks", inclusivé a nossa amizade, vontade de vos proporcionar algumas horas de prazer a pedalar e uma boa estadia, para quem vier de fora.
Bom. Paragem aqui, paragem ali, opinião daqui, opinião dacolá, chegámos a Monforte já passava das 15h, onde nos esperava o Alveirinho com seu bruto mini e quando digo mini é mesmo mini, mas mesmo, mesmo mini, que transportou o Mário aos Lentiscais para trazer a carrinha.
Eu e o Joãozito continuámos de bicicleta por alcatrão até Malpica, onde mais tarde o resto de pessoal se nos uniu.
Ali éramos aguardados pelo Presidente da Junta de Freguesia que nos ofereceu o almoço.
Que petisco "meus senhores". Uma sopa bem à nossa moda, bem entulhada e um ensopado de "sus acrofa", vulgo javali, bem aviado e à moda "malpiqueira", acompanhado dum "tintinho" bem encorpado, terminando com um cafézinho bem tirado, coisa que por hoje vai rareando, por alguns estabelecimentos, mais virados para o lucro.
"Obrigado, Senhor Presidente da Junta de Freguesia de Malpica do Tejo, a malta ficou fã...!!!
Com a barriguinha cheia e já mais confortados, um ou outro, com o "Airbag" quase em rotura, regressámos a Castelo Branco, conduzidos pelo nosso "chauffer" ocasional, Luís Bolhas, que fez a distribuição do pessoal.
Cheguei a casa pelas 17H15.
Senhor presidente da ACCB, uma vez por acaso, não se habitue.eheheh, senão a minha "Maria" põe-me as malas à porta...!!!
Agora, vou postar umas quantas fotos pelos trilhos da II Maratona de Castelo Branco, contudo não faço comentários nas fotos, cada um sabe quem é e eu também sei quem sou. O restante pessoal, venham conhecer-nos, senão antes, no dia 31 de Março deste ano.
VEJAM SÓ...!!

.o0o.



.o0o.

Comentários

rarn disse…
Pelas fotos, esta maratona vai dar que falar.

Agora tenho um pequeno reparo a fazer quanto a este "artigo"
"Sr. Cabaço, como é que em BTT, um desporto tão salutar e confraternizante, consegue arranjar inimigos?" :)

Parabéns pelo pouco percurso qe já vi em fotos. Se as minhas pernas me permitissem fazia os 100 Km.
Mas mesmo sem elas quererem vou aos 50 Km ;)

Um abraço.

rarn
Agnelo disse…
Viva caro amigo.
De facto essa zona tem muito potencial, andei por lá este fim de semana, em trilhos diferentes dos que percorrestes (pelo que vi na foto fo google) e deparei-me com coisas muito interessantes. Já estou inscrito na prova e vou levar alguns comigo.
Parabéns pelo relato e pelas fotos.

1 abraço,
Agnelo.

Mensagens populares deste blogue

"Rota do Bucho/2016"

Pelo segundo ano consecutivo, resolvi editar a Rota do Bucho, com um passeio pelos trilhos de Malpica do Tejo, uma bonita aldeia onde tenho raízes, que termina à mesa com um belo bucho de ossos à boa moda malpiqueira. Convidei um "magote" de amigos, dos quais dezasseis disseram presente. O ponto de reunião, foi desta vez na Pastelaria Cantinho dos Sabores, na Rotunda da Racha, onde tomamos o cafézinho matinal. Pelas 08h20 partimos em pelotão auto rumo a Malpica do Tejo, onde o Rui e a Sandra Tapadas já nos aguardavam. A previsão era de vento forte e alguns aguaceiros e desta vez o S. Pedro não nos "despontou", mandou mesmo umas belas rajadas de vento e umas belas bátegas de água, que nos atingiram por três vezes, um pouco no início desta pequena aventura, sensivelmente a meio, quando estávamos à vista de um local de abrigo, a aldeia de Lentiscais e no final, em jeito de banho. Pelas 09h00, como planeado, abandonávamos a aldeia rumo ao Monte do Couto do Alberto, en…

"Hoje fomos à romaria"

A manhã acordou hoje límpida e solarenga, num bom incentivo para um bom par de pedaladas asfálticas. Quando saí da garagem já o Álvaro e o Leandro me esperavam. Juntos fomos até à Rotunda das Violetas, ao encontro do Luís Lourenço e do Nuno Eusébio. Pouco depois chegou o Jorge Palma. Para não perder a prática tive ainda que mudar a câmara de ar da minha roda traseira que vinha com um pequeno furo, originado por uma limalha. Já com a "ézinha" pronta a rodar, fizemo-nos à estrada, abandonando a cidade pela Milhã, rumo ao Juncal do Campo pela estradinha panorâmica da Quinta de Valverde. Cruzamos a aldeia e entroncamos na N.12, onde fletimos à direita, rumo ao Padrão, uma pequena aldeia que este fim de semana se encontra engalanada para a festa da Nossa Senhora da Saúde. Entramos na aldeia e fomos tomar o cafezinho matinal no bar junto ao adro da igreja, gentilmente servido por um senhor, creio que festeiro, que fez questão de oferecer os cafezinhos e que agradecemos. Descemos …

Alvaiade, Perdigão e Vila Velha de Rodão"

Hoje, com um pelotão mais numeroso, fomos tomar o cafézinho matinal à Bolaria Rodense, em Vila Velha de Rodão. Abandonamos a cidade pouco depois das 08h30 e rumamos ao Perdigão, com passagem por Sarnadas de Rodão e Alvaiade. Seguimos depois pela estradinha panorâmica que liga o Perdigão a Vila Velha de Rodão, usufruindo da bonitas paisagens sobre a Serra das Talhadas e Vilas Ruivas. Depois da pequena tertúlia na Bolaria Rodense e já com os níveis repostos, rumamos à cidade, com passagem pelo Coxerro e Sarnadas. Aqui voltamos a encontrar o Joaquim Cabarrão e o Salvado, que deram uma volta mais pequena e juntos seguimos até à entrada da cidade, onde nos voltamos a separar, pois o restante grupo foi pela variante à Carapalha. Numa manhã já bem primaveril, alinharam para esta bonita volta, além de mim, o Jorge Palma, Tó Pinto, Fernando "Caraíbas", Sr. Silva, António Leandro e o João Salavessa.  Foram 75 kms, repletos de divertidas pedaladas, na companhia deste animado grupo de …