Avançar para o conteúdo principal

"Betêtices"

Esta semana foi repleta de bom Btt, nomeadamente com a preparação do meu Raid AC-Trilhos e Aventuras, para pedalar em autonomia e na companhia de amigos, para quem me dei ao trabalho de preparar este Raid, assim como os anteriores e presumívelmente os posteriores. A ver vamos!!!
Assim foi a minha semana:-
Domingo, 02
Nove companheiros, AC, Filipe, Carlos Salles, Jorge Palma, Nuno Maia, Sérgio Marujo, Agnelo Quelhas, Joaquim Cabarrão e Nuno Eusébio, juntaram-se mais uma vez para dar umas pedaladas domingueiras, desta vez até às proximidades da Atalaia, em terrenos mais planos, com uma ou outra "ondulação" aqui e ali.
A primeira parte do percurso, até ao Vale da Torre, foi feita em ritmo bastante moderado, por trilhos já sobejamente conhecidos e maioritáriamente estradões.
Paragem no Vale da Torre para o cafézinho matinal, gentilmente oferecido pelo Agnelo Quelhas, que se esforça sempre por chegar sempre um pouco atrazado, pois adora pagar os cafézinhos à malta. eh eh eh!!!
Dalí rumámos à Ponte Romana, ou Medieval, não sei bem e alí nos entretivemos um pouco a dar ao "gatilho" das digitais, pois é um bonito local e bastante acolhedor.
Seguimos depois em direcção à Soalheira, mas a proximidade do alcatrão, fez recordar a dois companheiros, o Nuno Maia e o Agnelo, a necessidade de chegar a casa mais cedo e lá foram eles com um simples adeus.
Os restantes continuaram o percurso previamente definido e acabámos por parar no Bar dos Bombeiros da Soalheira para apagar o fogo nas gargantas com uma bebida reconfortante.
Até Castelo Branco apanhámos o "TGV", tal a velocidade imposta, acabando por chegar à cidade pelas 13h com uma média horária a rondar os 20 kms/hora em 78 kms percorridos e já com alguns companheiros agarrados ao "elástico".
Foi uma bela voltinha de Btt, onde o terreno era propício para a velocidade, nomeadamente na segunda parte.

Segunda, 03
Ainda havia muito trabalho para fazer, nomeadamente a triagem de trilhos para o Raid AC e como sempre, pude contar com a preciosa ajuda do meu amigo Filipe que mais uma vez me acompanhou nesta tarefa, bastante nostálgica quando feita a solo.
Era meu objectivo seleccionar os trilhos na mancha florestal dos Montes da Baliza até à Foz do Rio Ponsul e posteriormente até Malpica do Tejo.
Fomos de carro até à Ponte Medieval do Ponsul e daí já nas nossas bikes, rolámos em alcatrão até aos Lentiscais.
A partir daí foi o gozo total!!!
Uma bela trialeira até à Barroca do Lobo, este ano a puxar um pouco mais pelos dotes técnicos, seguindo-se umas dezenas de metros a empurrar a bicla por uma vereda criada pelos animais selvagens até ao alto, onde começa o eucaliptal.
Na sua travessia sempre pela cumeada e por belos estradões, fomos brindados por três vezes pelo avistamento de belos veados, machos e fêmeas que nos deliciaram.
A natureza no seu melhor e em estado selvagem, sem pagar bilhete!!!
Entretanto chegámos à foz do Rio Ponsul ficando rendidos áquela imensa beleza proporcionada por paisagens inóspitas rasgadas pela serpenteante mancha aquática que divide o território nacional da nossa vizinha Espanha. Soberbo!!!
Retrocedemos cerca de 3 kms pelo mesmo percurso, seguindo depois em direcção ao Monte dos Andrés e Hortas da Boidade que nos dão acesso à bonita Aldeia de Malpica do Tejo, onde assim a malta que participe o deseje e o stress da chegada os não incomode, poderemos "triturar" umas carnudas Chouriças "energéticas", acompanhadas duma qualquer pinga "proteica". eh eh eh!!!
Seguidamente faremos um teste, não com o balão, mas sim com umas bem condimentadas trialeiras e uns carreirinhos à maneira, para manter a bike bem estabilizada.
A chegada ao recinto da capela da Sra das Neves irá alterar os trilhos e a envolvente paisagística e foi mesmo aí que acabou o nosso trabalhinho de segunda feira, pois o Filipe tinha de regressar para ir trabalhar.
Sempre em alcatrão, rumámos rápidamente até à Ponte do Rio Ponsul, onde tinha a viatura e após arrumarmos as bikes rumámos à cidade.
Uma bela e revigorante manhã de Btt, em locais só para priveligiados.
Quarta feira, 04
Faltava o terço final e eu não tinha combinado nada com ningém e já estava na eminência de ir preparar a parte final sózinho.
Estava a preparar-me para o "embate", quando chega o Filipe à minha garagem e lá lhe lancei a escada mais uma vez.
O Filipe apesar de andar a precisar dum descansozinho, mais uma vez me ajudou, mas pelo sim pelo não, passámos pela Pires Marques, não fosse por lá estar alguém.
Eis então que chega o Pedro da "Danone", companheiro com quem já não pedalava há inúmeros meses e que agora, segundo disse, vai voltar às lides betêtistas".
Propus-lhe acompanhar-nos e ele prontamente acedeu. Porreiro!!!
Fizemos um aquecimento de 20 kms em asfalto até Malpica do Tejo, onde tomámos o cafézinho no Café Sacul e rumámos ao Santuário de Nossa Senhora das Neves, ainda em alcatrão.
Após um primeiro reforço com uma barrinha energética entrámos nos trilhos pelo Monte de S. Domingos e Monte Novo que nos proporcionaram belos momentos de Btt.
Descemos seguidamente para o Vale de Paio e após cruzarmos o arraial subimos para a estrada que liga Malpica a Monforte, cruzando-a para entrar de novo nos trilhos pelo Monte do Caldeireiro, onde fomos recebidos por uma enorme e bem tratada vara de porcos que por ali andava alegremente em busca da bolota caída das azinheiras.
Passámos depois os Montes do Grifo e do Malha Pão, pelas suas extremidades para rumarmos ao Monte dos Marmelos, onde em trilhos entre azinhal descemos ao RioPonsul que ladeámos pelo Monte do Escrivão até à Ponte Medieval.
Efectuamos a subida pelo Monte do Chaveiro e após passarmos o Cagavaio entramos no nosso território o sobejamente conhecido Monte de S. Martinho.
Concluida esta última parte ficou desde logo delineado e marcado em GPS o percurso do "IV Raid AC - Trilhos e Aventuras", o qual terei o prazer de partilhar com os meus amigos, ou quem queira participar, bastando apenas ser portador duma bike, boa disposição, espírito de aventura, autonomia na alimentação, hidratação e manutenção da sua bike e sobretudo, não ter que estar em casa pelas 12h.
Até Domingo pelas 08h na Pires Marques.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de moto pelo Alto Douro Vinhateiro"

"O que é bonito neste mundo, e anima, é ver que na vindima de cada sonho fica a cepa a sonhar outra aventura."
(Miguel Torga)
Com a  excelente companhia dos amigos Luís Miguel, João de Deus e Marta Farias, fomos "desbravar" algumas das encantadoras estradinhas panorâmicas do Alto Douro Vinhateiro.
A saída foi programada para as 07h00 e, já na companhia do Luís Miguel, fomos até Penamacor, onde o João e a Marta já nos aguardavam junto às bombas de combustíveis locais.
Já agrupados rumamos ao norte cruzando Meimoa, Vale da Srª da Povoa, Terreiro das Bruxas, Santo Estevão e Sabugal.
A partir desta vila e com a bonita visão do seu famoso castelo das cinco quinas, entramos em terras de Ribacoa, onde o frescura matinal nos atormentou um pouco e nos fez reconhecer que o verão já lá vai e as temperaturas vão já sofrendo metamorfoses, sobretudo em algumas zonas e, esta é uma delas.
Logo após abandonarmos o Sabugal, viramos à direita para as Quintas de S. Bartolomeu e por Rap…

"Uma visita a Belgais"

Ontem foi dia de passeio asfáltico em solitário e decidi ir fazer uma visita a Belgais.
Apesar da ameaça de chuva da meteorologia, quando espreitei pela janela, o dia estava bastante bonito e solarengo. Bora lá pedalar!!!  Vesti o fatinho de licra e fui buscar a minha "ézinha", que está sempre prontinha para ser montada .  . por mim, claro, nada de confusões!!! Eram 9h00 quando me fiz à estrada em direção aos Escalos de Baixo. Pedalada calma, de cabeça levantada e a apreciar tudo o que se passava em meu redor . . . como eu gosto. Quando chego a casa gosto de ter sempre algo para contar sobre o que vi e não apenas os dados contabilizados pelo meu ciclo computador ou aplicação do telemóvel. Nos Escalos de Baixo parei no Café "O Lanche" e ali bebi o cafezinho matinal, enquanto trocava umas palavras com o João, ficando a saber que o antigo Restaurante "O Chafariz" vai por ele ser reaberto, lá para o final deste mês, início de Novembro, mantendo o belo leitão …

"Asfáltica vadia por terras de Ribacoa"

"Se formos felizes por dentro, nada nos aprisionará por fora"
Ontem e mais uma vez com a agradável companhia do Jorge Varetas, fomos dar uma volta de bicicleta por Terras de Ribacoa, com partida e chegada na bonita vila beirã do Sabugal, situada num pequeno planalto da Serra da Malcata. Com o caudal do Rio Coa a seus pés, acolhe-se à sombra do seu esbelto e forte castelo medieval das 5 quinas, como é conhecido. Pelas 06h30 abandonamos a cidade rumo àquela vila beirã e pelas 08h30 dávamos início à nossa pequena aventura velocipédica rumo às Termas do Cró, com passagem pelas Quintas de São Bartolomeu e Rapoula do Coa. Fomos dar uma espreitadela à fachada das termas recentemente reabilitadas, com hotel, SPA e balneário termal. Fomos depois até Cerdeira do Coa, onde paramos após cruzarmos Peroficó. Não consigo resistir a uma paragem nesta localidade para apreciar aquele encantador local do Rio Noémi e a sua espetacular ponte românica de seis arcos. Tive que mostrar aquele lugar …