Avançar para o conteúdo principal

"Betêtices"

Esta semana foi repleta de bom Btt, nomeadamente com a preparação do meu Raid AC-Trilhos e Aventuras, para pedalar em autonomia e na companhia de amigos, para quem me dei ao trabalho de preparar este Raid, assim como os anteriores e presumívelmente os posteriores. A ver vamos!!!
Assim foi a minha semana:-
Domingo, 02
Nove companheiros, AC, Filipe, Carlos Salles, Jorge Palma, Nuno Maia, Sérgio Marujo, Agnelo Quelhas, Joaquim Cabarrão e Nuno Eusébio, juntaram-se mais uma vez para dar umas pedaladas domingueiras, desta vez até às proximidades da Atalaia, em terrenos mais planos, com uma ou outra "ondulação" aqui e ali.
A primeira parte do percurso, até ao Vale da Torre, foi feita em ritmo bastante moderado, por trilhos já sobejamente conhecidos e maioritáriamente estradões.
Paragem no Vale da Torre para o cafézinho matinal, gentilmente oferecido pelo Agnelo Quelhas, que se esforça sempre por chegar sempre um pouco atrazado, pois adora pagar os cafézinhos à malta. eh eh eh!!!
Dalí rumámos à Ponte Romana, ou Medieval, não sei bem e alí nos entretivemos um pouco a dar ao "gatilho" das digitais, pois é um bonito local e bastante acolhedor.
Seguimos depois em direcção à Soalheira, mas a proximidade do alcatrão, fez recordar a dois companheiros, o Nuno Maia e o Agnelo, a necessidade de chegar a casa mais cedo e lá foram eles com um simples adeus.
Os restantes continuaram o percurso previamente definido e acabámos por parar no Bar dos Bombeiros da Soalheira para apagar o fogo nas gargantas com uma bebida reconfortante.
Até Castelo Branco apanhámos o "TGV", tal a velocidade imposta, acabando por chegar à cidade pelas 13h com uma média horária a rondar os 20 kms/hora em 78 kms percorridos e já com alguns companheiros agarrados ao "elástico".
Foi uma bela voltinha de Btt, onde o terreno era propício para a velocidade, nomeadamente na segunda parte.

Segunda, 03
Ainda havia muito trabalho para fazer, nomeadamente a triagem de trilhos para o Raid AC e como sempre, pude contar com a preciosa ajuda do meu amigo Filipe que mais uma vez me acompanhou nesta tarefa, bastante nostálgica quando feita a solo.
Era meu objectivo seleccionar os trilhos na mancha florestal dos Montes da Baliza até à Foz do Rio Ponsul e posteriormente até Malpica do Tejo.
Fomos de carro até à Ponte Medieval do Ponsul e daí já nas nossas bikes, rolámos em alcatrão até aos Lentiscais.
A partir daí foi o gozo total!!!
Uma bela trialeira até à Barroca do Lobo, este ano a puxar um pouco mais pelos dotes técnicos, seguindo-se umas dezenas de metros a empurrar a bicla por uma vereda criada pelos animais selvagens até ao alto, onde começa o eucaliptal.
Na sua travessia sempre pela cumeada e por belos estradões, fomos brindados por três vezes pelo avistamento de belos veados, machos e fêmeas que nos deliciaram.
A natureza no seu melhor e em estado selvagem, sem pagar bilhete!!!
Entretanto chegámos à foz do Rio Ponsul ficando rendidos áquela imensa beleza proporcionada por paisagens inóspitas rasgadas pela serpenteante mancha aquática que divide o território nacional da nossa vizinha Espanha. Soberbo!!!
Retrocedemos cerca de 3 kms pelo mesmo percurso, seguindo depois em direcção ao Monte dos Andrés e Hortas da Boidade que nos dão acesso à bonita Aldeia de Malpica do Tejo, onde assim a malta que participe o deseje e o stress da chegada os não incomode, poderemos "triturar" umas carnudas Chouriças "energéticas", acompanhadas duma qualquer pinga "proteica". eh eh eh!!!
Seguidamente faremos um teste, não com o balão, mas sim com umas bem condimentadas trialeiras e uns carreirinhos à maneira, para manter a bike bem estabilizada.
A chegada ao recinto da capela da Sra das Neves irá alterar os trilhos e a envolvente paisagística e foi mesmo aí que acabou o nosso trabalhinho de segunda feira, pois o Filipe tinha de regressar para ir trabalhar.
Sempre em alcatrão, rumámos rápidamente até à Ponte do Rio Ponsul, onde tinha a viatura e após arrumarmos as bikes rumámos à cidade.
Uma bela e revigorante manhã de Btt, em locais só para priveligiados.
Quarta feira, 04
Faltava o terço final e eu não tinha combinado nada com ningém e já estava na eminência de ir preparar a parte final sózinho.
Estava a preparar-me para o "embate", quando chega o Filipe à minha garagem e lá lhe lancei a escada mais uma vez.
O Filipe apesar de andar a precisar dum descansozinho, mais uma vez me ajudou, mas pelo sim pelo não, passámos pela Pires Marques, não fosse por lá estar alguém.
Eis então que chega o Pedro da "Danone", companheiro com quem já não pedalava há inúmeros meses e que agora, segundo disse, vai voltar às lides betêtistas".
Propus-lhe acompanhar-nos e ele prontamente acedeu. Porreiro!!!
Fizemos um aquecimento de 20 kms em asfalto até Malpica do Tejo, onde tomámos o cafézinho no Café Sacul e rumámos ao Santuário de Nossa Senhora das Neves, ainda em alcatrão.
Após um primeiro reforço com uma barrinha energética entrámos nos trilhos pelo Monte de S. Domingos e Monte Novo que nos proporcionaram belos momentos de Btt.
Descemos seguidamente para o Vale de Paio e após cruzarmos o arraial subimos para a estrada que liga Malpica a Monforte, cruzando-a para entrar de novo nos trilhos pelo Monte do Caldeireiro, onde fomos recebidos por uma enorme e bem tratada vara de porcos que por ali andava alegremente em busca da bolota caída das azinheiras.
Passámos depois os Montes do Grifo e do Malha Pão, pelas suas extremidades para rumarmos ao Monte dos Marmelos, onde em trilhos entre azinhal descemos ao RioPonsul que ladeámos pelo Monte do Escrivão até à Ponte Medieval.
Efectuamos a subida pelo Monte do Chaveiro e após passarmos o Cagavaio entramos no nosso território o sobejamente conhecido Monte de S. Martinho.
Concluida esta última parte ficou desde logo delineado e marcado em GPS o percurso do "IV Raid AC - Trilhos e Aventuras", o qual terei o prazer de partilhar com os meus amigos, ou quem queira participar, bastando apenas ser portador duma bike, boa disposição, espírito de aventura, autonomia na alimentação, hidratação e manutenção da sua bike e sobretudo, não ter que estar em casa pelas 12h.
Até Domingo pelas 08h na Pires Marques.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de Mota à Serra da Lousã"

"Penso noventa e nove vezes e nada descubro; deixo de pensar, mergulho em profundo silêncio - e eis que a verdade se me revela."
(Albert Einstein)
Dia apetecível para andar de mota, com algum vento trapalhão durante a manhã, mas que em nada beliscou este esplêndido dia de passeio co amigos. Com concentração marcada para as 08h30 na Padaria do Montalvão, apareceram o José Correia, Rafa Riscado, Carlos Marques e Paulo Santos. Depois do cafezinho tomado acompanhado de dois dedos de conversa, fizemo-nos à estrada, rumo a Pampilhosa da Serra, onde estava programada a primeira paragem. Estacionamos as motas no estacionamento do Pavilhão Municipal e demos um pequeno giro pelo Jardim da Praça do Regionalismo e Praia Fluvial, indo depois comer algo à pastelaria padaria no beco defronte do jardim Abandonamos aquela bonita vila, não sem antes efetuarmos uma pequena paragem no Miradouro do Calvário, com uma ampla visão sobre aquela vila tipicamente serra, cruzada pelo Rio Unhais. Voltamo…

"Trilho das Bufareiras e Penedo Furado"

"Às vezes ouço passar o vento; e só de o ouvir passar, vale a pena ter nascido"
(Fernando Pessoa)
Numa espécie de homenagem ao primeiro dia de primavera, que se apresentou como tal, solarengo e luminoso, fui mais a minha "Maria" fazer um pequeno passeio pedestre, ali para os lados de Vila de Rei. Saímos de casa já com os ponteiros do relógio a aproximarem-se das 09h00 e fomos até à Padaria do Montalvão, onde tomei a matinal dose de cafeína. Seguimos depois para a Praia Fluvial do Penedo Furado, para caminharmos um pouco pelo Trilho das Bufareiras e percorrer os recém inaugurados passadiços do Penedo Furado. Já a manhã ia a meio quando iniciamos a nossa caminhada, que teve inicio na Praia Fluvial, seguindo durante umas centenas de metros a Ribeira de Codes, pelos novos passadiços, até ao pequeno ribeiro da zona das cascatas. São 532 metros lineares, que trazem ainda mais beleza ao local e facilitam o acesso às cascatas. Terminada a passagem pelos passadiços, entramos…