Avançar para o conteúdo principal

"SS - o culto da dor!!!

Pois é meus amigos, como se já não tivesse pancada que chegasse, resolvi montar uma Single Speed e aderir ao movimento "purista" das bikes de um só pedaleiro, um só carreto e sem qualquer tipo de supensão.
No meu quadro "Seven" montei um garfo rígido, um pedaleiro Truvativ Isoflow de 33 dentes e um carreto de 17 dentes atrás e lá vou eu para os trilhos.
Inicialmente montei com 19, mas resolvi hoje sair com 17 dentes à experiência, mas acho que vou voltar aos 19 dentes. A subir aquilo até dobra a espinha. Uffa!!!
A minha primeira impressão foi bastante positiva.
Gostei sobretudo de ser eu o "patrão", de necessitar de mais concentração em percursos mais pedregosos e técnicos, se bem que o percuso de hoje fosse essencialmente plano e sem grande técnica, com excepção dum bocadinho na Marateca, onde deliberadamente escolhi algumas pequenas passagens mais exigentes, mas pouco, para me ir adaptando com calma.
Agora que a SS dá pica, lá isso dá, é como voltar aos tempos em que comecei a andar de bike mais a sério, com uma Òrbita completamente rígida.
As sensações, bem, as sensações foram no primeiro dia "as nalgas (nádegas) amassadas e os braçinhos tremelicantes, mas gostei, tanto mais que gosto de aventura e desafios e este, é sem dúvida um belo desafio.
Por isso, deliberei que a partir de hoje, a SS passará a ser a minha companheira domingueira, quer vá só, ou acompanhando os amigos, desde que não seja para percursos tipo extreme.
Mas hoje foi assim!!!
Pelas 08h juntaram-se na Pires Marques, eu AC, Filipe, Álvaro, Marcelo, Fidalgo, Nuno Dias e Jorge Palma.
Após alguma indecisão sobre o percurso de hoje, acabámos por ir até à Lardosa, onde parámos no Café "Tá-se Bem" para o cafézinho matinal.
seguidamente voltou-se à indecisão sobre o vamos à Gardunha, não vamos à Gardunha e eu fiquei convencido que não íamos hoje à Gardunha, mas no próximo Domingo, tanto mais que de SS e logo na primeira vez era um contra senso e por outro lado, queria estar em casa por volta das 13h.
Rumámos então em direcção à Soalheira e junto ao Colégio de S. Fiel é que soube que efectivamente a malta queria subir à Serra, ficando sem saber o percurso exacto, pois disse que não ía.
O restante pessoal, na maioria mais "pardabaixo" do que "pardacima" não aderiu e acabaram por ir só três, o Álvaro, o Fidalgo e o Jorge Palma e nós, os restantes quatro, seguímos até à Marateca, onde nos divertí-mos um pouco a pedalar junto à água, ainda bastante baixa nesta altura do ano.
Tirámos umas fotos para mais tarde recordar e rumámos a Castelo Branco pela Quinta da Marateca.
No paredão da Barragem o Marcelo foi atacado pelas cãimbras musculares e após alguns alongamentos e um cubo de marmelada lá continuámos.
Após cruzarmos a N.18 e como a malta vinha um pouco lenta, tive que me despedir e adiantar-me pra tentar chegar a casa a horas.
Cheguei à cidade pelas 13h05 com 78 kms percorridos de SS à média horária de 18 kms/h, uma surpresa para mim.
GOSTEI!!!

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC

Comentários

MANECAS.BIKES disse…
os meus parabens.. nao e facil andar nessa bike

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…