domingo, 7 de fevereiro de 2010

"Uma aventura até à Serra do Muradal"

Conforme combinado préviamente com o Nuno Eusébio, hoje, caso o tempo o permitisse, a volta seria um uma espécie de treino para o SRP160.
O Pedro Barroca também se uniu a nós, mas acompanhando-nos até à Serrasqueira, pois tinha compromissos e tinha que estar em casa cedo e a volta de hoje ía-se alongar um pouco derivado à altimetria e quilometragem.
Saímos os três da Pires Marques com intenção de ir tomar a dose matinal de cafeína no Palvarinho, o que aconteceu, depois daquela sempre difícil subida à Capela de Santo António, agora agravado com estado do terreno com muitos regos e alguma lama.
Seguimos depois em direcção à Praia Fluvial do Muro e subímos à Serrasqueira, onde nos despedímos do Pedro Barroca, que nos acompanhou até alí e a quem agradeço a companhia.
Contornámos a aldeia e pedalámos pelos Vales do Estacal e Olho Calhão até cruzarmos a Rapoula, onde pouco depois acompanhámos a Ribeira da Magueija durante alguns kms, passando ainda pelas Gatas, Monte Goula, Azenha de Cima e Magueija, seguindo um dos trilhos de xisto.
Subimos ao Pé da Serra e Lameira, descendo seguidamente para a bonita Barragem da Cardosa, um recanto de imensa beleza.
Ali parámos um pouco a apreciar a paisagem, olhando para as antenas eólicas da Serra do Moradal, dissimuladas pela neblina, tomando coragem para as duras e longas rampas que nos esperavam em direcção às ditas antenas.
Já quase no topo, virámos à direita para uma adrenalínica descida entre pinhal que nos levou ao Vale do Curral e logo de seguida à bonita aldeia da Cardosa, onde nos divertimos pedalando nuns singles entre xisto simplesmente espectaculares.
Dalí ladeámos a Ribeira da Silvosa e logo depois a Ribeira da Paiágua, até esta última aldeia, entrando seguidamente na imponente Serra da Pedragueira, onde após algumas pequenas dificuldades a transpor uns quantos pinheiros caídos no trilho, provávelmente derivado à neve, apanhámos caminho livre para descer em alta velocidade até à estrada para Almaceda.
Entrámos depois num bonito single track que nos levou até às Rochas de Baixo, onde efectuámos nova paragem para abastecimento.
Depois foi seguir ladeando a linda ribeira de Almaceda até ao Martin Branco, onde contornámos a Barragem da Várzea do Porto do Conde, seguindo depois o Tripeiro até ao Barbaído.
Já com a cidade no horizonte, com um belo acumulado e umas boas dezenas de kms, continuámos a nossa aventura passando entre as aldeia do Freixial e Juncal em direcção a Santa Catarina e Valverde, entrando na cidade pelo lado da Tapada das Figueiras e Parque de Campismo.
Um belíssimo treino para o SRP160, mas apenas de pouco mais de metade do que compõe a prova, mas ainda faltam dois meses e até lá, certamente conseguirei melhor performance.
Foram 92 kms de bastante dificuldade, com muitos e bonitos trilhos, soberbos single tracks, umas quantas paredes, bem "sacaninhas" onde a avózinha se fartou de "serrar", umas adrenalínicas descidas e a passagem por 14 bonitas aldeias, prencheram hoje a minha alongada manhã de btt, acompanhado pelo amigo Nuno Eusébio, que também ele adora este tipo de aventuras e na parte inicial, pelo Pedro, que com pena nossa não nos pôde acompanhar.
Outras aventuras virão, assim as pernitas o permitam e o espírito de aventura não me abandone.

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos,
ou, fora deles!!!
AC
Clica na foto

Entre Serras

2 comentários:

Carlos Gaspar disse...

que formidável e saudável espírito bttista e que belos trilhos ... estivesse eu mais perto e por certo seria mais um a fazer companhia!!!
Um abraço e vamos seguindo as suas e as vossas aventuras aqui desde TOMAR, inté !!!
Carlos Gaspar - BTT100Stress

AC disse...

Olá Carlos.
Obg pelo comentário.
Quando quiserem, terei muito prazer em os guiar nalguns dos belos trilhos da região.
Apareçam!!! Também tenho seguido as aventuras da "rapaziada" de Tomar.
Abraço
AC