Avançar para o conteúdo principal

"Rota do Carvalhal"

Hoje, fui ter com o Carlos Sales e fomos dar umas pedaladas pela bonita Serra da Gardunha.
Carregámos as bicicletas e fomos até Castelo Novo, onde idealizei começar este pequeno percurso.
Tomámos Café no "Lagarto", preparámos as bicicletas e ai vamos nós serra acima.
Saímos pelas Devezas e no Santeiro, virámos á direita para as Ladeiras e antenas do lado de Alcongosta.
Passámos a curva apertada das Ladeiras e descemos à Casa Florestal, onde parámos para apreciar a explendorosa panorâmica sobre a Cova da Beira.
Descemos depois a Alcongosta, pela calçada romana, que apesar de não ser muito comprida, abanou-nos bem o esqueleto!!!
Pelas estreitas ruelas e apertadas quelhas, descemos à passagem inferior da A23 e rumámos ao Fundão, pela Quinta dos Casais.
Aqui, fomos até à Pastelaria, onde trabalha a mãe do Carlos e comemos um saboroso "pannier", muito bem confecionado e acompanhado de um sumo, para não destoar!!!
Voltámos à Serra, iniciando agora a subida pelo lado das Piscinas, em direcção à Quinta do Convento e Sra do Miradouro, onde virámos à esquerda para a Quinta Serrana, para sofrer" em cerca de três kms de boa "parede" de pedra roliça.
Passámos entre pomares de cerejeiras e voltámos à direita para o alto do Arrebentão, onde apanhámos o trilho à meia encosta para o Carvalhal, onde o horizonte nos "bafejava" com as bonitas paisagens a perder de vista.

Virámos novamente à esquerda, agora já em direcção ao Alto da Gardunha, onde se situam as antenas.
Trilho horrível, que nos obrigou a efectuar duas centenas de metros a "acompanhar a bicicleta", por ser completamente impraticável.
No próximo ano, se não houver manutenção neste trilho já não será possível passar por lá, quer a subir, quer a descer, pois parte dele já se encontra quase tapado com o matagal e os regos, em alguns locais, têm meio metro de fundura.

Chegámos às antenas e finalmente "cantámos vitória". Tinham-se acabado as subidas e secções técnicas do percurso.
Descemos então a Castelo Novo, pelo Castelo Velho e VG da Baldeira, para chegarmos de novo junto da minha "ramona" que se encontrava estacionada junto ao Restaurante " O Lagarto".
Arrumámos as bicicletas e fomos beber uma bjeca.
Regressámos à cidade, depois duma bonita manhã de pedaladas, num local onde gosto bastante de pedalar, e que, últimamente tenho esquecido um pouco.
35 kms e 1435 m de acumuldo positivo, foi o suficiente para ficarmos com o corpinho um pouco dorido, mas com a alma repleta de bons momentos e excelente paisagens.
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos
. . . ou fora deles.
AC

Comentários

Silvério disse…
Parabéns pelas espectaculares imagens e pela muito feliz montagem! Não há duvida alguma que pedalar na Gardunha (Serra!!!), desperta sempre paixões, mesmo a quem simplesmente a "pedala virtualmente", como acabei de fazer através deste post. Obrigado pela partilha.
Um abraço
Silvério
SALES disse…
Realmente a Gardunha tem potencialidades em trilhos e paisagens que nós Beirões ás vezes menosprezamos, mas quero dizer tbm que foi uma manhã espectacular com muitas recordações dos anos que vivi no Fundão e explorei a serra a pé claro, onde alguns trilhos eram-me bastante familiares. Um Bem-haja ao Amigo António, agora venha a próxima para ganhar ritmo e forma.

Mensagens populares deste blogue

Alvaiade, Perdigão e Vila Velha de Rodão"

Hoje, com um pelotão mais numeroso, fomos tomar o cafézinho matinal à Bolaria Rodense, em Vila Velha de Rodão. Abandonamos a cidade pouco depois das 08h30 e rumamos ao Perdigão, com passagem por Sarnadas de Rodão e Alvaiade. Seguimos depois pela estradinha panorâmica que liga o Perdigão a Vila Velha de Rodão, usufruindo da bonitas paisagens sobre a Serra das Talhadas e Vilas Ruivas. Depois da pequena tertúlia na Bolaria Rodense e já com os níveis repostos, rumamos à cidade, com passagem pelo Coxerro e Sarnadas. Aqui voltamos a encontrar o Joaquim Cabarrão e o Salvado, que deram uma volta mais pequena e juntos seguimos até à entrada da cidade, onde nos voltamos a separar, pois o restante grupo foi pela variante à Carapalha. Numa manhã já bem primaveril, alinharam para esta bonita volta, além de mim, o Jorge Palma, Tó Pinto, Fernando "Caraíbas", Sr. Silva, António Leandro e o João Salavessa.  Foram 75 kms, repletos de divertidas pedaladas, na companhia deste animado grupo de …

"Hoje fomos à romaria"

A manhã acordou hoje límpida e solarenga, num bom incentivo para um bom par de pedaladas asfálticas. Quando saí da garagem já o Álvaro e o Leandro me esperavam. Juntos fomos até à Rotunda das Violetas, ao encontro do Luís Lourenço e do Nuno Eusébio. Pouco depois chegou o Jorge Palma. Para não perder a prática tive ainda que mudar a câmara de ar da minha roda traseira que vinha com um pequeno furo, originado por uma limalha. Já com a "ézinha" pronta a rodar, fizemo-nos à estrada, abandonando a cidade pela Milhã, rumo ao Juncal do Campo pela estradinha panorâmica da Quinta de Valverde. Cruzamos a aldeia e entroncamos na N.12, onde fletimos à direita, rumo ao Padrão, uma pequena aldeia que este fim de semana se encontra engalanada para a festa da Nossa Senhora da Saúde. Entramos na aldeia e fomos tomar o cafezinho matinal no bar junto ao adro da igreja, gentilmente servido por um senhor, creio que festeiro, que fez questão de oferecer os cafezinhos e que agradecemos. Descemos …

"Rota do Bucho/2016"

Pelo segundo ano consecutivo, resolvi editar a Rota do Bucho, com um passeio pelos trilhos de Malpica do Tejo, uma bonita aldeia onde tenho raízes, que termina à mesa com um belo bucho de ossos à boa moda malpiqueira. Convidei um "magote" de amigos, dos quais dezasseis disseram presente. O ponto de reunião, foi desta vez na Pastelaria Cantinho dos Sabores, na Rotunda da Racha, onde tomamos o cafézinho matinal. Pelas 08h20 partimos em pelotão auto rumo a Malpica do Tejo, onde o Rui e a Sandra Tapadas já nos aguardavam. A previsão era de vento forte e alguns aguaceiros e desta vez o S. Pedro não nos "despontou", mandou mesmo umas belas rajadas de vento e umas belas bátegas de água, que nos atingiram por três vezes, um pouco no início desta pequena aventura, sensivelmente a meio, quando estávamos à vista de um local de abrigo, a aldeia de Lentiscais e no final, em jeito de banho. Pelas 09h00, como planeado, abandonávamos a aldeia rumo ao Monte do Couto do Alberto, en…