Avançar para o conteúdo principal

Uma aventura Alpina - Alpe di Neggia"

"Vive a vida com aventura porque parada ninguém te atura" (Nicoly Lummertz Ferreira)
Depois de três dias bem vividos, plenos de aventura, boa camaradagem e boa disposição, partimos para o último dia de pedalada.
Com a parte dos alpes que pretendíamos cruzar, o Sustenpass, o Furkapass e o Grimselpass, encerrados devido à neve tivemos que "cozinhar" uma alternativa, pois não somos meninos de ficar a chorar pelos cantos.
E o melhor, como quase sempre está mesmo à nossa frente, neste caso, à porta de casa, em Gamborogno.
E saímos mesmo da porta de casa para enfrentar umas durinhas rampas na conquista do Alpe di Neggia subindo o Monti di Fosano, com passagem para o país vizinho, a Itália
Começamos logo a subir, com pendente mais suave, entre os 7/8%  com paisagens maravilhosas sobre o Lago Maggiore e lindos vales verdejantes, para chegar ao alto meio empenados, com os últimos 6 kms a não baixar dos 12%. 
Foram 12 kms de pura ascensão, paisagens idílicas, companheirismo do melhor e estradinhas de encantar.
Já no alto paramos algum tempo para desfrutar daquela majestosa paisagem montanhosa e até conviver um pouco com outros desportistas que iam chegando ou já por ai se encontravam.
Depois de vestir os casaquinhos para a descida, foi um gozo autêntico.
As paisagens de cortar a respiração multiplicavam-se e qual delas a mais bonita.
Algumas paragens para apreciar aquela envolvente panorâmica, de paisagens montanhosas selvagens e românticas, com um olhar mais atento sobre as pitorescas aldeias que íamos deixando para trás.
Passamos Indeminni, Isolabella, Pezze, Briegno, Lozzo, Armio, Veddasca, Graglio e Cadero já em território italiano e paramos numa bonita "passeggiata" na pitoresca aldeia de Garabiolo para um par de "birras rossas Moretti", o combustível suficiente para o final deste dia de aventura.
Finalizamos a descida em Zenna, onde voltamos a entrar na Suiça e desfrutar do restante percurso ladeando o Lago Maggiore, um bonita lago rodeado de mais de 30 bonitas cidades e 3 românticas ilhas, num total de 212 kms quadrados, divididos entre a Itália e a Suiça.
Foi um acumular de sensações pedalar durante uns bons kms ladeando este belo lago até chegarmos de novo a Vira Gamborogno, onde tínhamos o "quartel general" montado e enfrentar os últimos kms de subida, do dia e desta fantástica aventura até ao final.
Neste final de dia fomos almoçar ao restaurante "Il Cantuccio" pertencente a portugueses, onde fomos bem recebidos e desfrutamos dum belo jantarinho à portuguesa . . ."carne de porco à alentejana", acompanhada com um belo Dão.
E terminava assim os nossos 4 dias de pedalada pelos Alpes, com muita adrenalina, excelente camaradagem e panorâmicas excelentes, daquelas que "grudam" no cérebro e nunca mais saem.
No dia seguinte foi levantar cedo e tomar o pequeno almoço na "Paneteria" onde tomamos o primeiro e fomos contagiados pela simpatia e disponibilidade da senhora que nos atendeu de forma exemplar.
Seguiram-se dois dias de maratona automóvel, com troca de condutor de vez em quando para chegarmos a casa no dia seguinte pelo meio da manhã.
Foi mais uma bela aventura, daquelas que me motivam e se identificam com a forma como gosto de utilizar a bicicleta. Lúdica, aventureira, um pouco mais ou um pouco menos e sobretudo desfrutar da natureza e dos bons momentos da vida . . .sem stress e se possível em boa companhia, apesar de sempre me ter considerado um solitário nestas andanças aventureiras.
Parafraseando Lord Byron , "na solidão é quando estamos menos sós", ou mesmo Mauro Santayama, quando diz: "a educação para a vida deveria incluir aulas de solidão."

Fiquem bem.
Vêmo-nos na estrada, ou fora dela.
Beijos, abraços e apertos de mão.
Inté.
AC

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Mototurismo por "tierras de nuestros hermanos""

"A imaginação é a primeira fonte da felicidade humana"
(Giacomo Leopardi)
Hoje fui fazer um passeio de mototurismo com a agradável companhia do João e da Marta, que vieram do Fundão aos comandos duma bonita e bem cativante Benelli  TRK502.
O ponto de encontro foi nas bombas da Repsol do Lanço Grande, onde atestamos as máquinas e ingerimos a primeira dose matinal de cafeína.
Cerca das 07h30 fizemo-nos à estrada, por Ladoeiro e Zebreira, entrando em Espanha pela pequena fonteira que cruza o Rio Erges junto a Salvaterra do Extremo.
Depois duma pequena paragem para tirar uma foto ao Castillo de Peñafiel, que se ergue altaneiro no cimo de um monte formado por negra e musgosa penedia de abruptos rochedos inacessíveis.
Entramos em Espanha e, à entrada de Zarza la Mayor, viramos à esquerda ao encontro da Ex-A1, em Moraleja, que seguimos até à cidade de Plasencia.
Pelo panorâmico Vale de Jerte fomos até Valdastillas e subimos ao Piornal, pela Sierra de Tormantos, com uma paragem na C…

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…