Avançar para o conteúdo principal

"Manhã tranquila"

Este domingo fui dar umas pedaladas na companhia do meu amigo Nuno Eusébio.
Juntámo-nos como habitualmente na Pires Marques e ali, resolvemos ir dar uma vista de olhos nas fantásticas paisagens sobre o Vale do Rio Ocreza e Ribeira da Líria, alargando o horizonte até às Ferrarias.
Sem "picos" nem correrias, perseguições ou exibições menos conseguidas, lá saímos em direcção à Represa para tomar o cafézinho matinal no "Ramalhete".
Sentados à mesa, em conversa tranquíla e sem grandes pressas por alí nos mantivemos algum tempo até que resolvemos continuar o nosso passeio de hoje, rumando à carapetosa com passagem nos Amarelos.
Depois da adrenalínica descida para a ponte sobre o Rio Ocreza seguía-se a subida para as Ferrarias, mas alí efectuámos uma pequena paragem para apreciar o leito do rio bordejado de olival nas suas arribas, levando-me a pensar quão difícil seria colheita da azeitona naquelas zonas escarpadas e de difícil acesso, em tempos que ainda pairam na minha memória.
Um par de fotos para a posteridade e lá iniciámos a subida, olhando de soslaio, consoante ía ganhando altitude para aquele vale, cada vez mais profundo.
Chegámos as Ferrarias, sem que se vislumbrasse vivalma, pois àquela hora da manhã, aquela gente andaría de certeza pelas hortas.
Num sobe e desce constante entre pinhal e mato, maioritáriamente de estêva, fomos ganhando terreno em bonitos trilhos, enriquecidos aqui e alí por algumas passagens singulares, até que chegámos à Aldeia de Calvos e descemos a grande velocidade para a Foz da Líria, ou seja, onde esta ribeira espalha as suas águas no Rio Ocreza, mas não nesta altura do ano, pois não tem práticamente caudal, apenas algumas "péguias", como por aqui são chamadas, criando bonitas paisagens com as águas esverdeadas pela falta de oxigenação e ainda por se encontrarem repletas de microalgas, próprias deste tempo.
Mais uma dura subida para as Benquerenças, mas desta vez, efectuámos um pequeno desvio para nos divertirmos nuns quantos singles na zona da Azinheira.
O meio dia aproximava-se e o corpinho e a mente já estava saciado do vício do Btt, por isso e para preencher a bela manhã de btt que protagonizáramos, faltava apenas saciar a sede com outros líquidos, que não água choca e para isso, nada melhor que uma derradeira paragem no Bar da Associação do Valongo, onde chegámos pelas 12h.
Alí bebericámos uma bebida fresca acompanhada pelos famosos tremoços XL e conversámos descansadamente durante mais de meia hora, até que resolvemos regressar a casa para o banhinho retemperador e papar o merecido almoço, após 64 kms plenos de bonitas paisagens e explêndidos trilhos.
Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…