Avançar para o conteúdo principal

"Manhã tranquila"

Este domingo fui dar umas pedaladas na companhia do meu amigo Nuno Eusébio.
Juntámo-nos como habitualmente na Pires Marques e ali, resolvemos ir dar uma vista de olhos nas fantásticas paisagens sobre o Vale do Rio Ocreza e Ribeira da Líria, alargando o horizonte até às Ferrarias.
Sem "picos" nem correrias, perseguições ou exibições menos conseguidas, lá saímos em direcção à Represa para tomar o cafézinho matinal no "Ramalhete".
Sentados à mesa, em conversa tranquíla e sem grandes pressas por alí nos mantivemos algum tempo até que resolvemos continuar o nosso passeio de hoje, rumando à carapetosa com passagem nos Amarelos.
Depois da adrenalínica descida para a ponte sobre o Rio Ocreza seguía-se a subida para as Ferrarias, mas alí efectuámos uma pequena paragem para apreciar o leito do rio bordejado de olival nas suas arribas, levando-me a pensar quão difícil seria colheita da azeitona naquelas zonas escarpadas e de difícil acesso, em tempos que ainda pairam na minha memória.
Um par de fotos para a posteridade e lá iniciámos a subida, olhando de soslaio, consoante ía ganhando altitude para aquele vale, cada vez mais profundo.
Chegámos as Ferrarias, sem que se vislumbrasse vivalma, pois àquela hora da manhã, aquela gente andaría de certeza pelas hortas.
Num sobe e desce constante entre pinhal e mato, maioritáriamente de estêva, fomos ganhando terreno em bonitos trilhos, enriquecidos aqui e alí por algumas passagens singulares, até que chegámos à Aldeia de Calvos e descemos a grande velocidade para a Foz da Líria, ou seja, onde esta ribeira espalha as suas águas no Rio Ocreza, mas não nesta altura do ano, pois não tem práticamente caudal, apenas algumas "péguias", como por aqui são chamadas, criando bonitas paisagens com as águas esverdeadas pela falta de oxigenação e ainda por se encontrarem repletas de microalgas, próprias deste tempo.
Mais uma dura subida para as Benquerenças, mas desta vez, efectuámos um pequeno desvio para nos divertirmos nuns quantos singles na zona da Azinheira.
O meio dia aproximava-se e o corpinho e a mente já estava saciado do vício do Btt, por isso e para preencher a bela manhã de btt que protagonizáramos, faltava apenas saciar a sede com outros líquidos, que não água choca e para isso, nada melhor que uma derradeira paragem no Bar da Associação do Valongo, onde chegámos pelas 12h.
Alí bebericámos uma bebida fresca acompanhada pelos famosos tremoços XL e conversámos descansadamente durante mais de meia hora, até que resolvemos regressar a casa para o banhinho retemperador e papar o merecido almoço, após 64 kms plenos de bonitas paisagens e explêndidos trilhos.
Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Rota do Bucho/2016"

Pelo segundo ano consecutivo, resolvi editar a Rota do Bucho, com um passeio pelos trilhos de Malpica do Tejo, uma bonita aldeia onde tenho raízes, que termina à mesa com um belo bucho de ossos à boa moda malpiqueira. Convidei um "magote" de amigos, dos quais dezasseis disseram presente. O ponto de reunião, foi desta vez na Pastelaria Cantinho dos Sabores, na Rotunda da Racha, onde tomamos o cafézinho matinal. Pelas 08h20 partimos em pelotão auto rumo a Malpica do Tejo, onde o Rui e a Sandra Tapadas já nos aguardavam. A previsão era de vento forte e alguns aguaceiros e desta vez o S. Pedro não nos "despontou", mandou mesmo umas belas rajadas de vento e umas belas bátegas de água, que nos atingiram por três vezes, um pouco no início desta pequena aventura, sensivelmente a meio, quando estávamos à vista de um local de abrigo, a aldeia de Lentiscais e no final, em jeito de banho. Pelas 09h00, como planeado, abandonávamos a aldeia rumo ao Monte do Couto do Alberto, en…

"Hoje fomos à romaria"

A manhã acordou hoje límpida e solarenga, num bom incentivo para um bom par de pedaladas asfálticas. Quando saí da garagem já o Álvaro e o Leandro me esperavam. Juntos fomos até à Rotunda das Violetas, ao encontro do Luís Lourenço e do Nuno Eusébio. Pouco depois chegou o Jorge Palma. Para não perder a prática tive ainda que mudar a câmara de ar da minha roda traseira que vinha com um pequeno furo, originado por uma limalha. Já com a "ézinha" pronta a rodar, fizemo-nos à estrada, abandonando a cidade pela Milhã, rumo ao Juncal do Campo pela estradinha panorâmica da Quinta de Valverde. Cruzamos a aldeia e entroncamos na N.12, onde fletimos à direita, rumo ao Padrão, uma pequena aldeia que este fim de semana se encontra engalanada para a festa da Nossa Senhora da Saúde. Entramos na aldeia e fomos tomar o cafezinho matinal no bar junto ao adro da igreja, gentilmente servido por um senhor, creio que festeiro, que fez questão de oferecer os cafezinhos e que agradecemos. Descemos …

Alvaiade, Perdigão e Vila Velha de Rodão"

Hoje, com um pelotão mais numeroso, fomos tomar o cafézinho matinal à Bolaria Rodense, em Vila Velha de Rodão. Abandonamos a cidade pouco depois das 08h30 e rumamos ao Perdigão, com passagem por Sarnadas de Rodão e Alvaiade. Seguimos depois pela estradinha panorâmica que liga o Perdigão a Vila Velha de Rodão, usufruindo da bonitas paisagens sobre a Serra das Talhadas e Vilas Ruivas. Depois da pequena tertúlia na Bolaria Rodense e já com os níveis repostos, rumamos à cidade, com passagem pelo Coxerro e Sarnadas. Aqui voltamos a encontrar o Joaquim Cabarrão e o Salvado, que deram uma volta mais pequena e juntos seguimos até à entrada da cidade, onde nos voltamos a separar, pois o restante grupo foi pela variante à Carapalha. Numa manhã já bem primaveril, alinharam para esta bonita volta, além de mim, o Jorge Palma, Tó Pinto, Fernando "Caraíbas", Sr. Silva, António Leandro e o João Salavessa.  Foram 75 kms, repletos de divertidas pedaladas, na companhia deste animado grupo de …