Avançar para o conteúdo principal

"XX Edição Troia - Sagres"

Decorreu no passado sábado a "XX edição da já mítica ligação Tróia - Sagres, em autonomia.
Foi a minha terceira participação e como não poderia deixar de ser, também diferente das anteriores.
No primeiro ano em que participei, consegui integrar-me em grupos de bons roladores que me rebocaram por ali abaixo.
No segundo ano, a famosa intempérie que deitou por terra as aspirações de largas dezenas de participantes, pois concluir a edição do ano passado, era mesmo só para quem pouco se cuida.
Acompanhou-me o Joaquim Cabarrão e ambos concluímos em condições quase desumanas, mas acabámos por pertencer ao restrito lote dos que chegaram ao fim.
Este ano, por razões várias, acabei por concluír em solitário apesar de sermos quatro à partida.
Logo no arranque, o Joaquim partiu a corrente, originando o atrazo de cerca de uma hora relativamente à partida.
Com um elo de corrente cedido pelo Álvaro, mas que era de 9v, lá se desenrascou temporáriamente a situação e digo temporáriamente, pois poucas dezenas de kms depois tornou a partir, originando a desistência do Joaquim.
O Álvaro, este ano pouco rodado, teve que seguir ao seu ritmo e eu acabei por tomar a mesma decisão, seguir ao meu ritmo, gerindo o tempo e o andamento sem entrar e situações de limite.
A partir de Odeceixe optei por aumentar um pouco o ritmo, pois sentia-me bem e com a sensação de poder chegar sem desgastes extremos.
Acabei por entrar em Sagres pelas 15h30, após 6h30 a pedalar durante 202 longos kms.
Efectuei três pequenas paragens para tomar café e comer algo mais sólido, mas de poucos minutos.
Apesar de ter combinado com alguns amigos reunirmo-nos para em conjunto tentarmos chegar a Sagres, tal não foi possível, pois não consegui partir a horas e eles lá seguiram sem a nossa companhia.
Talvez para o ano!!!
Nada mais há a dizer, além de que mais uma vez consegui concretizar esta longa ligação, que apesar de não ter grandes dificuldades orográficas, necessita de treino aeróbico, de resistência, alguma capacidade de sofrimento e sobretudo saber gerir.
O resto, acontece naturalmente!!!
Os restantes companheiros, com excepção do Joaquim, também conseguiram os seus objectivos, que creio ser o de concluir a tirada, sem grandes problemas, nem grandes empenos e isso, foi conseguido.
Não rolámos juntos durante todo o percurso, mas protagonizámos bons momentos de convívio, acompanhados das nossas famílias, que nos acompanharam nesta nossa obstinação.
Um bem haja a todos e gostaria de dizer até para o próximo mês de Dezembro, na XXI edição do Tróia - Sagres, pois antes disso, vamos certamente usufruir dumas largas dezenas de kms em boa companhia.

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos,
ou fora deles!!
AC

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Mototurismo por "tierras de nuestros hermanos""

"A imaginação é a primeira fonte da felicidade humana"
(Giacomo Leopardi)
Hoje fui fazer um passeio de mototurismo com a agradável companhia do João e da Marta, que vieram do Fundão aos comandos duma bonita e bem cativante Benelli  TRK502.
O ponto de encontro foi nas bombas da Repsol do Lanço Grande, onde atestamos as máquinas e ingerimos a primeira dose matinal de cafeína.
Cerca das 07h30 fizemo-nos à estrada, por Ladoeiro e Zebreira, entrando em Espanha pela pequena fonteira que cruza o Rio Erges junto a Salvaterra do Extremo.
Depois duma pequena paragem para tirar uma foto ao Castillo de Peñafiel, que se ergue altaneiro no cimo de um monte formado por negra e musgosa penedia de abruptos rochedos inacessíveis.
Entramos em Espanha e, à entrada de Zarza la Mayor, viramos à esquerda ao encontro da Ex-A1, em Moraleja, que seguimos até à cidade de Plasencia.
Pelo panorâmico Vale de Jerte fomos até Valdastillas e subimos ao Piornal, pela Sierra de Tormantos, com uma paragem na C…

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…