Avançar para o conteúdo principal

"XX Edição Troia - Sagres"

Decorreu no passado sábado a "XX edição da já mítica ligação Tróia - Sagres, em autonomia.
Foi a minha terceira participação e como não poderia deixar de ser, também diferente das anteriores.
No primeiro ano em que participei, consegui integrar-me em grupos de bons roladores que me rebocaram por ali abaixo.
No segundo ano, a famosa intempérie que deitou por terra as aspirações de largas dezenas de participantes, pois concluir a edição do ano passado, era mesmo só para quem pouco se cuida.
Acompanhou-me o Joaquim Cabarrão e ambos concluímos em condições quase desumanas, mas acabámos por pertencer ao restrito lote dos que chegaram ao fim.
Este ano, por razões várias, acabei por concluír em solitário apesar de sermos quatro à partida.
Logo no arranque, o Joaquim partiu a corrente, originando o atrazo de cerca de uma hora relativamente à partida.
Com um elo de corrente cedido pelo Álvaro, mas que era de 9v, lá se desenrascou temporáriamente a situação e digo temporáriamente, pois poucas dezenas de kms depois tornou a partir, originando a desistência do Joaquim.
O Álvaro, este ano pouco rodado, teve que seguir ao seu ritmo e eu acabei por tomar a mesma decisão, seguir ao meu ritmo, gerindo o tempo e o andamento sem entrar e situações de limite.
A partir de Odeceixe optei por aumentar um pouco o ritmo, pois sentia-me bem e com a sensação de poder chegar sem desgastes extremos.
Acabei por entrar em Sagres pelas 15h30, após 6h30 a pedalar durante 202 longos kms.
Efectuei três pequenas paragens para tomar café e comer algo mais sólido, mas de poucos minutos.
Apesar de ter combinado com alguns amigos reunirmo-nos para em conjunto tentarmos chegar a Sagres, tal não foi possível, pois não consegui partir a horas e eles lá seguiram sem a nossa companhia.
Talvez para o ano!!!
Nada mais há a dizer, além de que mais uma vez consegui concretizar esta longa ligação, que apesar de não ter grandes dificuldades orográficas, necessita de treino aeróbico, de resistência, alguma capacidade de sofrimento e sobretudo saber gerir.
O resto, acontece naturalmente!!!
Os restantes companheiros, com excepção do Joaquim, também conseguiram os seus objectivos, que creio ser o de concluir a tirada, sem grandes problemas, nem grandes empenos e isso, foi conseguido.
Não rolámos juntos durante todo o percurso, mas protagonizámos bons momentos de convívio, acompanhados das nossas famílias, que nos acompanharam nesta nossa obstinação.
Um bem haja a todos e gostaria de dizer até para o próximo mês de Dezembro, na XXI edição do Tróia - Sagres, pois antes disso, vamos certamente usufruir dumas largas dezenas de kms em boa companhia.

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos,
ou fora deles!!
AC

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Rota do Bucho/2016"

Pelo segundo ano consecutivo, resolvi editar a Rota do Bucho, com um passeio pelos trilhos de Malpica do Tejo, uma bonita aldeia onde tenho raízes, que termina à mesa com um belo bucho de ossos à boa moda malpiqueira. Convidei um "magote" de amigos, dos quais dezasseis disseram presente. O ponto de reunião, foi desta vez na Pastelaria Cantinho dos Sabores, na Rotunda da Racha, onde tomamos o cafézinho matinal. Pelas 08h20 partimos em pelotão auto rumo a Malpica do Tejo, onde o Rui e a Sandra Tapadas já nos aguardavam. A previsão era de vento forte e alguns aguaceiros e desta vez o S. Pedro não nos "despontou", mandou mesmo umas belas rajadas de vento e umas belas bátegas de água, que nos atingiram por três vezes, um pouco no início desta pequena aventura, sensivelmente a meio, quando estávamos à vista de um local de abrigo, a aldeia de Lentiscais e no final, em jeito de banho. Pelas 09h00, como planeado, abandonávamos a aldeia rumo ao Monte do Couto do Alberto, en…

"Hoje fomos à romaria"

A manhã acordou hoje límpida e solarenga, num bom incentivo para um bom par de pedaladas asfálticas. Quando saí da garagem já o Álvaro e o Leandro me esperavam. Juntos fomos até à Rotunda das Violetas, ao encontro do Luís Lourenço e do Nuno Eusébio. Pouco depois chegou o Jorge Palma. Para não perder a prática tive ainda que mudar a câmara de ar da minha roda traseira que vinha com um pequeno furo, originado por uma limalha. Já com a "ézinha" pronta a rodar, fizemo-nos à estrada, abandonando a cidade pela Milhã, rumo ao Juncal do Campo pela estradinha panorâmica da Quinta de Valverde. Cruzamos a aldeia e entroncamos na N.12, onde fletimos à direita, rumo ao Padrão, uma pequena aldeia que este fim de semana se encontra engalanada para a festa da Nossa Senhora da Saúde. Entramos na aldeia e fomos tomar o cafezinho matinal no bar junto ao adro da igreja, gentilmente servido por um senhor, creio que festeiro, que fez questão de oferecer os cafezinhos e que agradecemos. Descemos …

Alvaiade, Perdigão e Vila Velha de Rodão"

Hoje, com um pelotão mais numeroso, fomos tomar o cafézinho matinal à Bolaria Rodense, em Vila Velha de Rodão. Abandonamos a cidade pouco depois das 08h30 e rumamos ao Perdigão, com passagem por Sarnadas de Rodão e Alvaiade. Seguimos depois pela estradinha panorâmica que liga o Perdigão a Vila Velha de Rodão, usufruindo da bonitas paisagens sobre a Serra das Talhadas e Vilas Ruivas. Depois da pequena tertúlia na Bolaria Rodense e já com os níveis repostos, rumamos à cidade, com passagem pelo Coxerro e Sarnadas. Aqui voltamos a encontrar o Joaquim Cabarrão e o Salvado, que deram uma volta mais pequena e juntos seguimos até à entrada da cidade, onde nos voltamos a separar, pois o restante grupo foi pela variante à Carapalha. Numa manhã já bem primaveril, alinharam para esta bonita volta, além de mim, o Jorge Palma, Tó Pinto, Fernando "Caraíbas", Sr. Silva, António Leandro e o João Salavessa.  Foram 75 kms, repletos de divertidas pedaladas, na companhia deste animado grupo de …