Avançar para o conteúdo principal

"Há dias em que não se pode sair de casa"

Numa manhã não tão fria como as anteriores, apesar da previsão de chuva, saímos hoje a dar uma voltinha de btt.

Eu, o Silvério, o Carlos Sales e o Nuno Eusébio, tinhamos já planeado ir fazer um bonito circuito na Serra da Gardunha, em busca de alguns vestígios da neve que nestes dois dias anteriores assolaram aquela região.

Saímos pelas 08h em direcção à Soalheira, onde parámos nas bombas de combustível, para tomarmos o cafézinho matinal.

Preparámos as bikes e restante material e demos início à nossa aventura.
Até aqui tudo bem. A motivação estava em alta, o grupo animado e o percurso escolhido, prometia umas boas pedaladas pelo coração da Gardunha.

Logo nos kms iniciais e a meio do percurso, até à casa do guarda, o Carlos começou a sentir algumas dificuldades, pois tem andado com alguns problemas físicos e medicado, pelo que, numa atitude responsável, optou por regressar calmamente a casa, por asfalto.

Com muita pena nossa, pois é um companheiro excepcional, resolvemos continuar a nossa pequena odisseia de hoje.

Seguimos depois para o Casal da Serra, onde nos despedimos do Carlos e subimos pelo trilho da Barragem do Penedo Redondo até junto às eólicas que dão caras ao Casal da Serra e Paradanta.
Aí, a neve já causava algum divertimento, pois já se encontravam algumas extensões e os trilhos já se encontravam mais nevados.

E foi na descida que nos levaria até ao Lugar de Álvaro, que o Silvério teve uma queda aparatosa.
Por precaução, resolvemos retroceder, pois a partir daquela povoação, iríamos pedalar pela zona mais bela do percurso e também a mais exigente.

Não valia a pena arriscar e os trilhos lá ficarão à nossa espera. É dado adquirido, que um dia destes vamos completá-lo. Por ora, apenas interessava o estado físico do amigo Silvério.

Regressámos de novo ao Casal da Serra e daí até às viaturas, por asfalto.

Apesar dos contratempos e do susto, ficaram na retina as belíssimas paisagens de que ainda tivemos hipótese de registar.
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos
.. .ou fora deles.
AC

Comentários

FMicaelo disse…
Com pena minha hoje o dia foi de trabalho senão tambem tinha alinhado! O que espero que aconteça da próxima! Quanto ao Silvério espero que não tenha sido nada de muito grave! É daquelas que só acontece a quem anda... mas andar por locais assim é sempre um prazer! Vale o sacrifico!
BTT-ALBI disse…
Eh pá ! que dia mais aziago esse ehmm !?!? o que à partida seria (mais) um dia de bom BTT, transformou-se num grande sarilho para alguns.
As melhoras para ambos.
Quanto às fotos estão muito boas como sempre, e o relato super preciso.
1 abraÇo.

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…