Avançar para o conteúdo principal

"Voltinha do molha - pé"

Hoje fui ter com a rapaziada das Docas, para a voltinha domingueira de Btt.
Ainda um pouco dorido, mas no bom caminho, creio .  . .

12 companheiros partiram das Docas, pouco depois das 08h, aos quais se juntaram mais um na Senhora de Mércules e outros dois na extrema do Monte Brito.

O João Afonso, hoje de "oficial de dia", conduziu o pelotão por uma panóplia de trilhos catitas, sem que nos afastássemos muito cá da urbe.

Rumámos inicialmente à Sra de Mércules, com passagem pela Quinta do Chinque, descendo depois à Ribeira da Sra de Mércules com respetiva subida ao Forninho do Bispo.

Entrámos em asfalto e passando pela Garalheira, Capa Rota e Fonte Santa seguimos o estradão da divisória dos Montes de Brito e S. Luís, para um pouco mais à frente cruzarmos a N240 em direção à Quinta da Espadaneira.
Cruzámos a via férrea e depois de passar por Santa Apolónia e Penedo Furado chegámos a Alcains, onde parámos, para a matinal dose de cafeína.
Saímos pela zona do cemitério, agora en direção ao Vale Capitão.

Pedalámos um pouco pela N.18 e voltámos à esquerda para o Lameiro do Salgueiro e Pontão, onde cruzámos o Rio Ocreza para o Porto Mieiro, que nos deu acesso à Póvoa de Rio de Moinhos.

Com passagem pela Fonte Nova, cuzámos a Ribeirinha, num pequeno pontão e por uma bonita trialeira e tomámos o rumo do Santuário de Nossa Sra da Encarnação.
Mais à frente, enfrentámos a subida do dia, curtinha mas boa e seguimos para a Nave Redonda e Vale do Nuno, cruzando-nos com alguns caçadores tordisqueiros, que aguardavam pacientemente a passagem daquelas saborosas aves migratórias.

Pedalámos ainda pela Quinta da Barroca da Senhora, Vale do Quinto e Moinho da Charneca, antes de entrarmos na M.551, que seguimos até entramos para o Couto do Abrunhosa e Tapada das Figueiras, onde me despedi, seguindo com o Pedro Antunes em direção à Quinta Pires Marques, onde residimos.
Foi uma manhã bastante agradável na companhia de uma "mão cheia" de amigos, 15 no total, que culminou com 62 kms bastante divertidos, sobretudo pela passagem de inúmeras charcas e atoleiros, que fomos encontrando a longo do percurso, motivando algumas cenas hilariantes.
 
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC

Comentários

Silvério disse…
As minhas congratulações por te ver de volta às lides pedaleiras, depois dessa pequena passagem pelo "estaleiro".
Esta foi uma EXCELENTE manhã de BTT, bem "encharcada" e muito participada, a fazer lembrar os tempos em que me juntei ao grupo, em 2008!
Parabéns a todos pelo excelente desempenho!
Um Abraço
Silvério

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de mota pela Beira Alta e Beira Litoral.

"Aqueles que não fazem nada estão sempre dispostos a criticar os que fazem algo" (Oscar Wilde)
Na companhia dos amigos Francisco Mendes e Dª. Zarita, José Paulo e Carla Paulo e Nuno Silva, fomos dar um belo passeio de mota pela Beira Alta e Beira Litoral. Com o ponto de encontro no parque de estacionamento do Hipermercado Continente, lá nos juntamos pelas 06h00 para mais uma aventura mototuristica. Partimos em direção a Valhelhas, onde viramos á direita e serpenteando o bonito Vale da Estrela, fomos até à barragem do Caldeirão, onde paramos para apreciar aquela imponente bacia hidrográfica.
Fomos depois entrar na velhinha N.16 por onde rolamos até Aveiro. É uma estrada pouco movimentada mas com um razoável interesse turístico, onde destaco a passagem que contorna a Serra do Alvendre pelo Vale do Rio Mondego e a passagem entre Paçô e Sernada do Vouga, ladeando o bonito Rio Vouga. Passamos por muitas aldeias, vilas e algumas cidades, onde destaco Celorico da Beira, Mangualde, …