Avançar para o conteúdo principal

"Btt na Sierra de Gata"

Aproveitando a ausência de chuva dos últimos dias, a previsão favorável do último fim de semana e a saudade das côres outonais, fui dar um passeio de btt pela bonita Sierra de Gata, em busca das edílicas paisagens de "El Castañar de Ojesto" e "Puerto de Sta Clara", das suas calçadas milenares, das trialeiras do Jalama com o seu brutal "sendero de las minas"
Partilhei esta minha intenção aos amigos no facebook e oito quiseram acompanhar-me em mais um dos meus passeios vadios, desta vez por "tierras de nuestros hermanos".
Prontos para mais uma aventura, o Dário Falcão, Pedro Roxo, Vasco Soares, Luís Lourenço, Nuno Eusébio, João Afonso, Vasco Sequeira, Zé Luís e eu, distribuídos por três viaturas, rumámos a Villamiel pelas 07h00.
Parámos nos Escalos de Cima para o cafezinho matinal e ali recolhemos o Zé e o Vasco Sequeira.
Depois de uma viagem de cerca de 1 hora, feita nas calmas, estacionámos junto à "Plaza de Toros" em Villamiel, o local de início e final do nosso passeio.
Depois de prepararmos as bikes e restante material, demos início à aventura logo com uma calçada em subida, que se foi complicando, quer pela parte técnica, quer pela sua pendente.
A rapaziada ainda estava um pouco fria, mas não havia grande alternativa. Teve que ser assim o início para não aumentar a quilometragem e a pendente não a poderia suavizar, pois íamos para o alto.
Pedalámos alguns kms entre carvalhos e descemos a San Martin de Trevejo por um trilho bastante irregular.
Cruzámos a povoação com passagem pela bonita plaza mayor e demos inicio à subida ao Puerto de Santa Clara, pelo Convento de S. Miguel.
Ladeámos um pouco o Rio de la Vega por um trilho que mais à frente se transformou num bonito single track.
Acabado o single, começaram as irregulares calçadas romanas que tivemos que vencer até ao alto do puerto. Passámos pelo belo Castañar de Ojesto antes de culminar a ascensão.
Depois de mais uns singles entre carvalhais e fetos, a ladear a estrada para Salamanca, entramos no asfalto e virámos para Navasfrias.
Percorridas algumas centenas de metros, voltámos aos trilhos, agora por estradão até El Payo, com paragem obrigatória junto à formosa Puente de el Gaz, que cruza o Rio Payo.
Na aldeia bebemos um cafezito para aquecer, pois a manhã ainda se mantinha fria e seguimos para Peñaparda, onde viemos a efetuar nova paragem, desta vez para comida sólida.
Encostámos as bikes à porta da Taverna del Rincon e ali comemos uns "bocadillos de lomo caliente" bem acompanhados com "unas cañas", que nos deixaram em posição de arranque para nova etapa.
Depois de Peñaparda, pedalámos alguns kms pelo GR187 e virámos o azimute ao Jalama, o pico mais alto da Sierra de Gata. Mas não era nossa intenção conquistá-lo, pelo menos nesse dia.
Olhámo-lo com respeito e depois de passarmos rapidamente pela zona limite onde se iria iniciar uma montaria, depressa abandonámos o zona e chegámos ao último local gerador de adrenalina, um dos caminhos emblemáticos da serra. . . o trilhos das minas. Uma brutal trialeira muito técnica que desce lentamente à meia encosta em direção, neste caso, a Villamiel, pois há outras opções.
Começa com um espetacular single track entre giesteiras e em ligeira subida, passando a calçada cheia de drops e pedras irregulares. Foi um gozo para uns e um martírio para outros.
A panorâmica daquele lugar é magnífica e aliada áquele trilho brutal, quase que nos transporta para outra dimensão. Um sonho para os betêtistas trialeiros ávidos de adrenalina.
A descida, que nos deliciou durante cerca de 10 kms, terminou de novo em Villamiel, o local de partida.
Durante uma longa manhã e 58 kms, a malta divertiu-se, arregalou a vista com fantásticas paisagens e belos recantos, trilhando caminhos milenares de calçada e "menudos senderos", divertindo-se, partilhando amizade e companheirismo, unidos neste bonito desporto, o btt lúdico e de aventura.
Um agradecimento aos amigos que mais uma vez me acompanharam nestes pequenos "devaneios" de bike . . . as minhas voltas vadias.
 
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles
AC
 
Filme
 

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…

"O outro lado da Estrêla"

Uma vez mais, resolvi fazer umas das minhas "voltas vadias", programadas para este ano, que espero mais rico em aventuras lúdicas e de partilha com amigos. Criei um percurso que chamei de "o outro lado da Estrela", pois a nossa querida Serra da Estrela só é conhecida pela maioria da malta pelas " Torres, Adamastores e outros alimentadores de egos". Mas a serra não é só isso, tem o outro lado, bem bonito por sinal, repleto de lindas panorâmicas e bonitas aldeias. Umas históricas, outras não, mas todas elas com encanto e uma história para contar. Juntaram-se à minha ideia, 14 companheiros e amigos, todos eles ávidos de uma boa aventura e bons momentos de convívio e sã camaradagem. Juntámo-nos na Rotunda da Racha, junto à loja do David, a Feelsbike, pelas 07h00, rumando seguidamente ao Vale da Amoreira, onde estabelecemos o "paddock", junto à Casa de Pasto Ideal, para uma reposição calórica e hidratação atempada, logo após a chegada. Saímos para a…