Avançar para o conteúdo principal

"Passeio de mota pelos meandros do Zêzere"

"Mais valem duas rodas no asfalto, que dois pés dentro de casa"
(Fernando Angelo)
Ainda não há muito tempo tinha chegado a casa depois dum excelente passeio velocipédico com um belo grupeto de amigos, quando o amigo João Nuno me mandou um sms . . ."amanhã era gajo para ir dar uma voltinha de moto com um amigo. . ."
Um frase explosiva e com resposta quase instantânea. "Também alinhava numa coisa dessas"
E mais não dissemos, senão . . ."amanhã às 10h00 na Padaria do Montalvão" e "OK".
E assim nasceu mais um pequeno passeio mototuristico, que planeei ali para ao lados do Rio Zêzere.
Depois do cafezinho tomado no local combinado, conduzimos as nossas motos pela N3 e IC8 até à Sertã, onde fizemos uma pequena visita ao meu irmão Luis.
Apanhámo-lo em hora atarefada e seguimos para Cernache do Bonjardim por Olival, Ponte do Robalo e Nesperal.
Cruzamos a vila e à saída subimos ao miradouro da Capela de Santa Madalena e São Macário, onde os olhos se perdem em longínquas paisagens, algumas delas um pouco desoladoras, fruto dos incêndios que assolaram a região e ainda bem presentes na nossa memória.
Voltamos à N238 que seguimos até ao Vale Serrão.
Cruzamos a ponte sobre o Rio Zêzere e fomos até Dornes dar uma espreitadela e almoçar no Restaurante "Rio", onde nos deliciamos com um delicioso bacalhau à Rio, bem apresentado e de confeção cuidada. Gostei e penso voltar para apreciar outras iguarias que constavam no "cardápio".
Almoçamos calmamente e pondo a conversa em dia, rumando depois à Foz de Alge por belas estradinhas para andar de moto, pena o luxurioso verde da floresta que ladeava as estradas ter agora uma coloração acastanhada e meio despida, fruto dos incêndios.
Chegamos àquele aprazivel lugar, depois de passar por Fonte Seca, Carraminheira, Ventoso, Lameirão, Ribeira de Brás e Vale Bom.
Um belo recanto para veranear, com parque de campismo, restaurantes e paisagens soberbas.
Abandonamos o local e depois de cruzar a Ribeira de Alge, subimos a Figueiró dos Vinhos por Casal de Alge, Enchecamas e Chãos.
Em Figueiró, entramos na N347 e por Fontão, Bajancas, Malhada Velha, Louçainha, Cancelas e Espinhal fomos até ao IC3 e mais á frente, depois de passar Casais do Cabra e São Simão, chegamos à Venda dos Moinhos, onde entramos na CM1196 em direção ao Favacal e Ferraria de S. João, uma bonita aldeia de xisto, alcandorada numa crista quatzitica no extremo sul da Serra da Lousã.
Entramos na aldeia pela sua rua principal, um conjunto de currais comunitários, na orla de um imenso e mágico montado de sobreiros.
A aldeia estava praticamente deserta e demoramos pouco tempo, apenas o necessário para virar as motas e descer ao IC8, passando por Cercal, Lomba da Casa, Salgueiro da Ribeira, Salgueiro da Lomba e Chimpeles, castiças aldeolas na encosta sul da Serra da Lousã.
Já no IC8, enrolamos um pouco mais o punho até à Sertã, onde paramos para lanchar, na Pastelaria "Estrela Doce" e atestar a BMW 700GS do João.
Voltamos ao IC8 e até Castelo Branco, creio que não ficou areia de carvão nos coletores.
Mais um dia bem passado, desta vez na agradável companhia do João Nuno, um amigo e bom companheiro de aventuras.

Fiquem bem.
Vemo-nos na estrada, ou fora dela.
Beijos, abraços e apertos de mão.
Inté

AC

Comentários

João Nuno André Falcao disse…
Ter amigos da muito trabalho.... Bem haja amigo Cabaço.

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de mota pela Beira Alta e Beira Litoral.

"Aqueles que não fazem nada estão sempre dispostos a criticar os que fazem algo" (Oscar Wilde)
Na companhia dos amigos Francisco Mendes e Dª. Zarita, José Paulo e Carla Paulo e Nuno Silva, fomos dar um belo passeio de mota pela Beira Alta e Beira Litoral. Com o ponto de encontro no parque de estacionamento do Hipermercado Continente, lá nos juntamos pelas 06h00 para mais uma aventura mototuristica. Partimos em direção a Valhelhas, onde viramos á direita e serpenteando o bonito Vale da Estrela, fomos até à barragem do Caldeirão, onde paramos para apreciar aquela imponente bacia hidrográfica.
Fomos depois entrar na velhinha N.16 por onde rolamos até Aveiro. É uma estrada pouco movimentada mas com um razoável interesse turístico, onde destaco a passagem que contorna a Serra do Alvendre pelo Vale do Rio Mondego e a passagem entre Paçô e Sernada do Vouga, ladeando o bonito Rio Vouga. Passamos por muitas aldeias, vilas e algumas cidades, onde destaco Celorico da Beira, Mangualde, …