Avançar para o conteúdo principal

"Augas Blancas - Rabacallos"

"Dia após dia os erros do passado perdem força e os desejos do futuro ganham corpo"
Após um primeiro dia fantástico com uma boa caminhada pelas "Pasarelas del Rio Mao", eu e a minha "Maria" resolvemos manter-nos por mais um dia na região e fazer-mos outro passeio pelas encostas do Rio Sil.
Saímos da pousada após um calmo e tranquilo pequeno almoço e fomos até Chandrexa, já nas proximidades de Parada de Sil para efetuarmos mais um passeio pedestre pelas "Augas Blancas y Rabacallos".
Estacionamos a viatura num parque defronte da igreja de Santa Maria de Chandrexa e ai demos inicio ao percurso que tinha preparado com alguma antecedência.
Por uma estreitinha estradinha "vecinal" passamos A Caseta, A Peña e Purdeus, entre bonitos bosques de castanheiros e chegamos a Calvos, um pitoresco lugarejo com situação priveligiada e panorâmica fantástica sobre o Rio Sil.
Sempre em sentido descendente e por um belo "sendero" rodeado de castanheiros e zonas de vinhedo, descemos ao rio, na zona em que forma o espetacular Encoro de Santo Estevo".
A partir daqui entramos num lugar simplesmente idílico, por um fantástico trilho sempre com as águas do Rio Sil aos nossos pés, com pequenas enseadas e locais de pura magia.
Mais à frente, passamos por um dos recantos mais bonitos de Parada de Sil, as Augas Blancas.
É um pequeno manancial de águas sulfurosas, noutros tempos conhecidas pelas suas propriedades medicinais e hoje quase esquecidas, completamente abandonadas e escondidas num local simplesmente magico.
Sempre envolvidos por belos e antigos castanheiros e carvalhos ladeando o Encoro de Santo Estevo, chegamos a Rabacallos, uma pitoresca aldeia e um miradouro priveligiado sobre o "encoro" e as suas escarpadas encostas, vestidas de  bonitos vinhedos, num axadrezado colorido.
Depois de cruzarmos a ponte sobre o Regato do Batán, entramos noutro bonito "sendero" em direção a "Entrambosrios"
Estávamos já nos 3 últimos quilómetros e como que a cereja no topo do bolo, fomos brindados com algo maravilhoso.
Uma trilha frondosa seguindo o" Ribero de Batán" repleto de pequenos saltos de água, passarelas e pontes de madeira, além de diversos moinhos, fruto da antigua atividade naquela zona.
Sempre em sentido ascendente, chegamos ao entoncamento para Entrambosrios e Chandrexa, seguindo para esta última.
Agora entre velhas hortas e velhos castanheiros, chegamos de novo a Chandrexa, de onde algumas horas antes tínhamos saído, para usufruir de um dos mais belos passeios pedestres que já fiz. . . e já fiz alguns.
Aquela zona ficou-me gravada na memória e a vontade de lá voltar vai de certeza criar essa oportunidade.
Depois deste belo passeio pedestre, resolvemos ir agora de carro, até La Pobra de Trives e subir à Cabeza de Manzaneda, descendo depois até ao Encoro de Montefurado por uma estreita estradinha particular, pertencente ao Grupo Iberdrola, bem curvilínea e com paisagens de encher o olho.
Estou já a preparar "qualquer coisa" para voltar aquelas paragens.
Chegamos à pousada um pouco cansaditos mas satisfeitos com o belo dia de passeio, quer pedestre, quer de carro.
Era agora altura de descansar um pouco e começar a preparar o dia seguinte, já noutras paragens.
Fiquem bem.
Vemo-nos na estrada, ou fora dela.
Beijos, abraços e apertos de mão.
Inté
AC

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de moto pelo Alto Douro Vinhateiro"

"O que é bonito neste mundo, e anima, é ver que na vindima de cada sonho fica a cepa a sonhar outra aventura."
(Miguel Torga)
Com a  excelente companhia dos amigos Luís Miguel, João de Deus e Marta Farias, fomos "desbravar" algumas das encantadoras estradinhas panorâmicas do Alto Douro Vinhateiro.
A saída foi programada para as 07h00 e, já na companhia do Luís Miguel, fomos até Penamacor, onde o João e a Marta já nos aguardavam junto às bombas de combustíveis locais.
Já agrupados rumamos ao norte cruzando Meimoa, Vale da Srª da Povoa, Terreiro das Bruxas, Santo Estevão e Sabugal.
A partir desta vila e com a bonita visão do seu famoso castelo das cinco quinas, entramos em terras de Ribacoa, onde o frescura matinal nos atormentou um pouco e nos fez reconhecer que o verão já lá vai e as temperaturas vão já sofrendo metamorfoses, sobretudo em algumas zonas e, esta é uma delas.
Logo após abandonarmos o Sabugal, viramos à direita para as Quintas de S. Bartolomeu e por Rap…

"Uma visita a Belgais"

Ontem foi dia de passeio asfáltico em solitário e decidi ir fazer uma visita a Belgais.
Apesar da ameaça de chuva da meteorologia, quando espreitei pela janela, o dia estava bastante bonito e solarengo. Bora lá pedalar!!!  Vesti o fatinho de licra e fui buscar a minha "ézinha", que está sempre prontinha para ser montada .  . por mim, claro, nada de confusões!!! Eram 9h00 quando me fiz à estrada em direção aos Escalos de Baixo. Pedalada calma, de cabeça levantada e a apreciar tudo o que se passava em meu redor . . . como eu gosto. Quando chego a casa gosto de ter sempre algo para contar sobre o que vi e não apenas os dados contabilizados pelo meu ciclo computador ou aplicação do telemóvel. Nos Escalos de Baixo parei no Café "O Lanche" e ali bebi o cafezinho matinal, enquanto trocava umas palavras com o João, ficando a saber que o antigo Restaurante "O Chafariz" vai por ele ser reaberto, lá para o final deste mês, início de Novembro, mantendo o belo leitão …

"Asfáltica vadia por terras de Ribacoa"

"Se formos felizes por dentro, nada nos aprisionará por fora"
Ontem e mais uma vez com a agradável companhia do Jorge Varetas, fomos dar uma volta de bicicleta por Terras de Ribacoa, com partida e chegada na bonita vila beirã do Sabugal, situada num pequeno planalto da Serra da Malcata. Com o caudal do Rio Coa a seus pés, acolhe-se à sombra do seu esbelto e forte castelo medieval das 5 quinas, como é conhecido. Pelas 06h30 abandonamos a cidade rumo àquela vila beirã e pelas 08h30 dávamos início à nossa pequena aventura velocipédica rumo às Termas do Cró, com passagem pelas Quintas de São Bartolomeu e Rapoula do Coa. Fomos dar uma espreitadela à fachada das termas recentemente reabilitadas, com hotel, SPA e balneário termal. Fomos depois até Cerdeira do Coa, onde paramos após cruzarmos Peroficó. Não consigo resistir a uma paragem nesta localidade para apreciar aquele encantador local do Rio Noémi e a sua espetacular ponte românica de seis arcos. Tive que mostrar aquele lugar …