Avançar para o conteúdo principal

"A aventura dos doze"

Pensamento:
"Quem deseja ir longe poupa a montada".
.o0o.
Surpresa:
Hoje, apesar da meteorologia indicar manhã chuvosa, compareceram à chamada, 12 aventureiros, a saber:
AC, Leonel, Dino, Pedro, Nuno Maia, Carronda, Marcelo, Marco, Arlindo, Martin, Joaquim Cabarrão e Álvaro.
Abandonámos a Pires Marques em direcção ao frigorífico (passagem para a via férrea) e rumámos em direcção à Quinta do Lombardo, onde o Leonel veio a furar na roda dianteira. Depois da azáfama do pôe a câmara, tira a câmara, á terceira foi de vez, isto porque as câmaras cedidas pelo Dino e pelo Martin estavam também elas furadas, ou melhor, trilhadas por andarem mal resguardadas na bolsa. (valeu a lição).
Depois de trocada a câmara de ar, continuámos a nossa aventura e embrenhámo-nos pelo Vale da Pereira (como eu gosto daquele lindo vale) e surge a segunda situação, também protagonizada pelo Leonel, que caíu numa passagem enlameada. Ainda lhe perguntámos se andava aos sapos, mas não, ele disse que caíu mesmo.eheheheh.
Passámos novo lamaçal e demos início ao trial que nos levou até ao Rio Ocreza, comigo a também protagonizar uma desajeitada queda, por escorreganço da roda da frente da bicla numa pedra. (Não foi por andar aos sapos)
A partir daí resolvemos ir tomar café a Caféde e entrámos no alcatrão para novamente na primeira saída para os trilhos nos aventurarmos novamente na lama, desta vez por duas centenas de metros de puro equilíbrio, que a maioria do pessoal deu nega, talvez com receio de sujar o fato.
Entrámos então na aldeia e parámos na Ti Matilde. Após aquecer o corpinho com o café, rumámos a Alcains pelas passadouras da Rabaça, que nos iam pregando a partida, pois estavam quase cobertas de água derivado às chuvadas dos dois últimos dias/noites, dificultando a passagem dos de perna curta e mais medricas, eu incluído. Valeu-nos o Pedro (rapaz corajoso) que ajudou alguns na caricata passagem. Obrigado Pedro.
A partir daí e como a maioria do pessoal não queria chegar tarde a casa, encurtámos o trajecto entrando em Alcains pela Zona Industrial e seguimos em direcção a Castelo Branco, via Santa Apolónia.
Chegámos pelas 12h30, com 38 kms percorridos em sã camaradagem e com divertimento quanto baste.


Comentários

Varadero disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Varadero disse…
Pessoal, eu não tive tempo de me despedir, mas já estava meia hora atrasado
rarn disse…
Não vou citar Jean Racine, mas este provérbio do Maquiavel, justifica os 12 de ontem
"Quando um homem é bom amigo, também tem amigos bons"
Niccolo Maquiavel
Faltou outro amigo para os treze, eu :(

Da próxima espero poder comparecer

Um abraço e até dia 4 Março

rarn
NunoDiaz disse…
E eu que fui pedalar sozinho... belas imagens :-)

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…