Avançar para o conteúdo principal

"Manhã radiante de sol e de amigos"

.o0o.
Pensamento:
"A actvidade enriquece mais que a prudência"
"Luc C. Vauyenargues"
.o0o.
Voltaram as manhãs radiantes de sol e com elas, a rapaziada também vai aparecendo.
Hoje, fomos 7, que nos juntámos no P.Infantil da P.Marques. Eu, o Paulo Alves, o Filipe, o Marco, o Daniel, o João Valente e o Rui Macedo. O Marco apresentou uma proposta para irmos fazer uns "single tracks" bastante técnicos" e inclinados que conheceu recentemente lá para os lados dos Cebolais, mas sinceramente" venho duma semana em que andei bastante gripado e alguns dias acamado e não estava nada à vontade para percursos demasiado técnicos. desculpa lá Marco fica para a próxima. Está prometido.
Rumanos então em direcção ao bonito Vale da Pereira, zona de excelência para a prática do BTT de lazer, não dá para imitar "downiller's", "frerider's" e outros saltitantes, mas apenas andar de BTT, apreciar paisagens e exibir a "digital",mas também dá para nos divertirmos um pouco.
Assim; imersos na "colectânea" de carvalhos, que sendo árvores de folha caduca, fazem que os solos verdejantes repletos de folhagem, nos proporcionem momentos de grande admiração pela paisagem que nos envolve. Ainda no Vale e por entre giestal e carvalhal, delineamos um bonito single track que los levou à margem esquerda do Rio Ocreza, que cruzámos mais adiante na ponte da estrada de Caféde. Já em direcção ao Palvarinho, embrenhámo-nos nalguns trilhos a ser percorridos na "Rota do Gaio", que não vou nomear por motivos óbvios, mas que vos digo serem espectaculares e cujo passeio, agendado para 4 de Março recomendo vivamente. Basta ter sido delineado pelo meu amigo "Roberto", profundo conhecedor da zona, para vos garantir espectacularidade no percurso.
Como a malta também gosta do cafézito, parámos nas bombas de combustível sitas no cruzamento do Palvarinho.
Seguidamente, rumo à aldeia com passagem pelo espectacular "single" entre hortas e que dá entrada pelo lado da igreja . (obrigado RARN por no-lo teres ensinado)
Depois da fotos de grupo junto ao lavadouro comunitário e antes que se acabasse a adrenalina rápidamente nos deslocámos em direcção à espectacular descida para a Ponte de Ferro.
Frenética, simplesmente, com a malta a tentar exibir ao máximo os seus dotes fotogénicos (algumas máquinas não aguentam) e uma pose mais "pró" ao passar junto à "digital" que os captava numa curva apertada e novamente umas dezenas de metros mais adiente, desta vez, pela lente da "digital" do Paulo. Foi lindo.
Paramos pouco tempo na Ponte de Ferro para tirar umas fotos e depois, aquela subida. Bem, aquela subida até ao Moinho que não tem tanta graça. A malta refila, mas no fundo até gosta.
Uns breves momentos de espera para reagrupar e toca a pedalar que se vai fazendo tarde, apesar de já se verem os telhados, como se ousa dizer, em direcção ao Monte da Barreira para fazer a não muito longa descida para o pontão, mas que dá um gozo danado, seguindo depois o trajecto em direcção à Cova do Gato, onde cada um tomou o seu rumo. Chegámos a Castelo Branco pelas 13h om 42 kms percorridos.
.o0o.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…

"O Trilho da Mina de Ouro do Conhal"

"Só existe um êxito: a capacidade de levar a vida que se quer." (Cristopher Morley) Logo pela manhã, carinha lavada, pequeno almoço tomado ,cafezinho da praxe e na companhia da minha "Maria", fomos até Santana, na aldeia piscatória do Arneiro para uma manhã lúdica e reconfortante pelo Trilho da Mina de Ouro do Conhal. Ajeitei o trilho, cortando a passagem pela cumeada até ao Miradouro da Serrinha e descida acentuada à Foz da Ribeira do Vale.
Saí da aldeia pelo caminho que lá mais à frente ladeia a Ribeira do Vale até á sua foz.
Neste local, onde a ribeira se encontra com o Rio Tejo, formou-se uma ilha a que dão o nome de Cabecinho. Depois de seguir o caminho até à margem do rio, voltamos atrás e fomos até à ilha, passando por duas pontes suspensas, a primeira sobre a Ribeira do Vale e a segunda mais à frente, para ligar à Ilha do Cabecinho. Esta ilha é pequenina . . .uma ilhota, por assim dizer. Nela encontramos uma casa em ruinas, alguns pinheiros e uma mesa e ba…