Avançar para o conteúdo principal

"GR22 - Sortelha/Monsanto"

E vão seis!!!
Neste domingo, eu, AC, o meu irmão Luís, o Silvério e o João Valente, concretizámos a sexta e penúltima etapa de mais uma das minhas "maluqueiras" . . . a concretização da Grande Rota das Aldeias Históricas em Btt, arrastando os amigos que me têm acompanhado domingo a domingo e que comigo têm partilhado as espectaculares paisagens, os soberbos trilhos e as imponentes e históricas aldeias que compôem esta linda rota.
A última etapa será no próximo domingo e ligará Monsanto ao ponto de partida desta GR . . . a linda aldeia de Castelo Novo.
Pelas 07h e como habitual lá chega o Silvério com a "ramona" . . . a carrinha que nos tem transportado em todas as etapas, com excepção da segunda, que foi dividida pela minha Focus e pela Navara do Fidalgo.
Depois de carregadas as bikes e restante material, lá arrancámos em direcção a Sortelha para a partida desta penúltima etapa.
À chegada à aldeia, nem vivalma, parecia deserta e ainda por cima nem um "tasco" ou café aberto para a primeiro abastecimento.
Nem as simpáticas senhoras dos licores de "tudo" ali se encontravam, no seu local habitual, a praça principal da aldeia, para uma pequena prova que nos desse alento para esta bonita etapa.
Descemos então para a estrada principal e entrámos no trajecto, agora em sentido inverso, com que termináramos a etapa anterior, até à Aldeia de Santo António onde tomámos então o pequeno almoço.
E hoje, o Grande Silvério apareceu apetrechado com três "brains".
O dele, o genuíno, que se encontra algures sob o couro cabeludo e com o qual tem animado a malta, e outros dois, incursos na suspensão e no amortecedor da brilhante Specialized Epic de carbono, uma bike de testes que trouxe lá da capital, para experimentar cá bem no interior.
Pois bem, tão contente andava o Silvério, como certamente andaria a bike, caso os brains que a equipam, fossem encefálicos.
Mas que desta vez foi uma trabalheira para o desagarrar, lá isso foi . . . parecia uma lapa . . . que fosse da "Spec Carbónica" ou dos "Big Shot's" cá da zona do granito, (branquinhos traçados em copo XL sem palhinha) não sei ao certo, mas foi um gozo vê-lo pedalar e galgar kms por esses trilhos fora.
E no final, quando metade do grupo, ou quase metade, se quedou a enrolar a língua, pendente da dura subida ao estacionamento no miradouro, a outra metade, subiu ainda ao Castelo, num último esforço, compensado pelas amplas e explendorosas paisagens que se avistam daquelas bonitas ruinas.
Tempo para umas fotos, trincar algo sólido e dar dois dedos de conversa, antes da descida até junto da viatura, onde arrumámos as bikes e restante tralha, para atacarmos umas bifanas préviamente encomendadas pelo João e estabilizármos a temperatura corporal com umas bjecas fresquinhas, antes de encetarmos o regresso a Castelo Branco.
Uma etapa espectacular em trilhos e paisagens, enriquecida com a passagens pelas aldeias das Alagoas, Meimão, Meimoa e João Pires, a travessia do Parque Nacional da Serra da Malcata e aqueles recantos da Barragem da Meimoa, que contornámos quase na sua totalidade, foi a cereja em cima do bolo.
Esta aventura vai terminar no próximo domingo com a conclusão da última etapa, mas para mim a aventura e a "maluqueira" das bikes vai continuar com a Transpirenaica, que vou efectuar a solo ente 3 e 8 de Setembro, com a minha asfáltica, ligando Argelés-sur-Mer, no Mediterrâneo, a S. Jean de Luz, no Atlântico.
Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC
Galeria Fotográfica
"clica na foto"
"GR22 Sortelha/Monsanto"

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de moto pelo Alto Douro Vinhateiro"

"O que é bonito neste mundo, e anima, é ver que na vindima de cada sonho fica a cepa a sonhar outra aventura."
(Miguel Torga)
Com a  excelente companhia dos amigos Luís Miguel, João de Deus e Marta Farias, fomos "desbravar" algumas das encantadoras estradinhas panorâmicas do Alto Douro Vinhateiro.
A saída foi programada para as 07h00 e, já na companhia do Luís Miguel, fomos até Penamacor, onde o João e a Marta já nos aguardavam junto às bombas de combustíveis locais.
Já agrupados rumamos ao norte cruzando Meimoa, Vale da Srª da Povoa, Terreiro das Bruxas, Santo Estevão e Sabugal.
A partir desta vila e com a bonita visão do seu famoso castelo das cinco quinas, entramos em terras de Ribacoa, onde o frescura matinal nos atormentou um pouco e nos fez reconhecer que o verão já lá vai e as temperaturas vão já sofrendo metamorfoses, sobretudo em algumas zonas e, esta é uma delas.
Logo após abandonarmos o Sabugal, viramos à direita para as Quintas de S. Bartolomeu e por Rap…

"Asfáltica vadia por terras de Ribacoa"

"Se formos felizes por dentro, nada nos aprisionará por fora"
Ontem e mais uma vez com a agradável companhia do Jorge Varetas, fomos dar uma volta de bicicleta por Terras de Ribacoa, com partida e chegada na bonita vila beirã do Sabugal, situada num pequeno planalto da Serra da Malcata. Com o caudal do Rio Coa a seus pés, acolhe-se à sombra do seu esbelto e forte castelo medieval das 5 quinas, como é conhecido. Pelas 06h30 abandonamos a cidade rumo àquela vila beirã e pelas 08h30 dávamos início à nossa pequena aventura velocipédica rumo às Termas do Cró, com passagem pelas Quintas de São Bartolomeu e Rapoula do Coa. Fomos dar uma espreitadela à fachada das termas recentemente reabilitadas, com hotel, SPA e balneário termal. Fomos depois até Cerdeira do Coa, onde paramos após cruzarmos Peroficó. Não consigo resistir a uma paragem nesta localidade para apreciar aquele encantador local do Rio Noémi e a sua espetacular ponte românica de seis arcos. Tive que mostrar aquele lugar …

"Augas Blancas - Rabacallos"

"Dia após dia os erros do passado perdem força e os desejos do futuro ganham corpo"
Após um primeiro dia fantástico com uma boa caminhada pelas "Pasarelas del Rio Mao", eu e a minha "Maria" resolvemos manter-nos por mais um dia na região e fazer-mos outro passeio pelas encostas do Rio Sil.
Saímos da pousada após um calmo e tranquilo pequeno almoço e fomos até Chandrexa, já nas proximidades de Parada de Sil para efetuarmos mais um passeio pedestre pelas "Augas Blancas y Rabacallos".
Estacionamos a viatura num parque defronte da igreja de Santa Maria de Chandrexa e ai demos inicio ao percurso que tinha preparado com alguma antecedência.
Por uma estreitinha estradinha "vecinal" passamos A Caseta, A Peña e Purdeus, entre bonitos bosques de castanheiros e chegamos a Calvos, um pitoresco lugarejo com situação priveligiada e panorâmica fantástica sobre o Rio Sil.
Sempre em sentido descendente e por um belo "sendero" rodeado de casta…