Avançar para o conteúdo principal

"VIII Raid AC Trilhos e Aventuras"

11 de Julho de 2010, dia do meu 57º aniversário.
Resolvi desta vez preencher o dia, fazendo umas das coisas que realmente gosto . . . de pedalar!!!
Delineei um percurso no bonito palco da Serra da Estrela, valendo-me de umas quantas voltas que por ali dera outrora e com alguns acertos, 88 kms esperavam-me, assim como a evenualidade dum encontro imediato com o "homem da marreta" que dizem os crentes, por ali costuma deambular. Mas nada disso aconteceu!!!
Convidei alguns amigos e ampliei o convite a quem me quisesse acompanhar através deste blog.
E assim se reuniu um bonito grupo de nove elementos prontos a viver mais uma aventura, desta vez pelos bonitos trilhos e magníficas paisagens do Parque Natural da Serra da Estrela.
A saída e chegada foi programada para Orjais, terra do amigo Silvério, que já merecia uma "arrancada" daquelas bandas. E se assim foi pensado, melhor foi executado, pois o Silvério logo tratou de "roubar" algum tempo à cama ao seu padrinho e presidente do clube local para nos abrir a porta do citado clube e assim podermos tomar o cafézinho matinal e comer algo.
Mas este "menino" resolveu fazer-me uma surpresa e antes de darmos início à nossa aventura, presenteou-me com um singelo bolo de aniversário, com velinhas e tudo. Obrigado Silvério!!!
Fiquei sensibilizado!!! É nestes pequenos momentos, que sobressaiem os grandes amigos. Espero que quando fizer os 58 anos me ofereças um bolo de chocolate, com cobertura de açucar e o emblema do GLORIOSO a ornamentá-lo. eh eh eh!!!
O meu irmão Luís, figura já "habitué" nos meus Raids e cuja presença me orgulho, ofereceu-me uma miniatura de bicicleta em metal feita por ele artesanalmente e que vou guardar com carinho.
A todos os outros amigos, a vossa presença e a alegria de convosco partilhar aqueles bonitos trilhos, foi a minha melhor prenda.
Bom . . . agora vou parar com esta conversa lamecha, pois já tenho o teclado do PC inundado com as lágrimas que nele caiem gota a gota!!!
Para esta aventura, alinharam o Silvério, o meu irmão Luís, o Nuno Eusébio, o Pedro Barroca, o João Afonso, o Luís Lourenço, o Francisco (Chiquinho da Covilhã) o "néo" nos meus raides, Sérgio Marujo e eu, obviamente.
Saímos de Castelo Branco pouco depois das 06h30 e pelas 07h30 já estávamos no Clube de Orjais de volta da "malguinha do café", com excepção do Silvério que exige sempre um caldeiro, usualmente apelidado de "abatanado", pois é um elemento que necessita de muita cafeína para mover toda aquela musculatura, ainda por lapidar. eh eh eh!!!
Logo para início da nossa aventura "mastigámos" cerca de seis kms de subida com uma inclinação considerável, mas que toda a malta superou sem problemas de maior. Mas valeu a pena.
Lá do alto, as imponentes paisagens sobre os vales circundantes, eram impressionantes.
Seguiu-se uma descida radical ao alto de S. Gião. Suportámos uns quantos kms de trilho poeirento derivado à passagem de maquinaria na extracção de madeira, mas logo fomos compensados com excelentos trilhos, aliados a bonitas paisagens até Verdelhos.
Tomámos algo fresco naquela localidade, onde nos cruzámos pela primeira vez com malta do Géo-Raid, que participava na 2ª. etapa do evento.
Dalí continuámos a subir durante intermináveis kms até junto da ermida de Nossa Sra do Perpétuo Socorro, onde pouco mais à frente, entrámos no caminho alcatroado até ao pitoresco lugar do Poço do Inferno, onde comemos algo mais sólido e atestámos os camelbags.
Tornámos a subir até ao alto, entrando depois na terrível subida, mais pela sua tecnicidade que pela inclinação, que nos levou à cumeada sobre o lindíssimo Vale Glaciar do Rio Zêzere, onde pedalámos até atingirmos a estrada que vem de Manteigas aos Piornos.
Após cruzarmos a estrada, entrámos no acesso ao Relvão, onde nos divertimos naquele trilho, todo ele cheio de pequenas ratoeiras, originadas pelos constantes tufos de erva rasteira e areão, que deliciou a malta.
Tirámos uma foto de grupo na isolada igreja naquele local e passámo-nos para o outro lado, iniciando uma longa e adrenalínica descida com início defronte da Barragem do Padre Alfredo, contornando todo o Vale Glaciar da Alforfa e Unhais da Serra. Uma descida toda ela cheia de pequenos perigos, que nos fizeram disparar os níveis adrenalínicos.
Apontámos depois o azimute à Bouça, indo ao encontro da sua bonita ribeira, onde após transpormos algumas dificuldades, nos deliciámos nas suas temperadas águas, que bebemos sem temor, pois a sede não dava tréguas e não se podia desperdiçar oportunidades de hidratação, tal era o calor que se fazia sentir.
Estávamos já perto das Cortes, inserida numa sequência de bonitas paisagens, mas tinhamos que continuar a subir.
Depois duma passagem nuns trilhos singelos, à laia de single, seguiu-se uma "penante" subida em largo estradão, para virarmos depois à direita, agora em direcção à zona do Pião.
Divertidos a pedalar naquela sequência de curvas e contra curvas, acabei por passar a zona onde deveria de virar para o Pião, mesmo ao centro duma apertada e inclinada descida e quando dei por ela, já não valia a pena voltar atrás, pelo que continuámos até ao Parque de Merendas, subindo depois em asfalto à Rosa Negra.
Até Cantar Galo foi um instante, pois seguiu-se uns kms de trilhos quase sempre a descer e a vontade de beber algo fresco animou-nos a um pedalar mais afoito.
Depois dumas bjecas num Café da povoação, lá continuámos a nossa aventura, cruzando a Vila do Carvalho e subindo ao Cabeço do Ribeiro do Boi.
Já de novo em direcção ao Alto de S. Gião, os ânimos iam-se acentuando com o diminuir dos kms.
Do alto de S. Gião a Orjais foi quase sempre a descer e em boa velocidade.
Esperava-nos um bom banho retemperador, cortesia do Presidente do Clube local, seguindo-se um lanche ajantarado com febras assadas ornamentadas com pickles e limão e regadas com umas cervejolas que entravam na mesa como se de uma linha de montagem se tratasse. Para alguns claro!!! Outros mantiveram-se fiéis à bebida adocicada, não tanto pela reposição dos níveis de açucar, mas porque tinham que conduzir no regresso a casa.
Foi uma bonita aventura, mais uma vez rodeado de bons amigos que me acompanharam neste Raid serrano.
Foram de facto 88 kms com alguma dureza, mas que toda a gente superou, uns com mais, outros com menos dificuldade.
Mas onde todos certamente foram unânimes, foi no bonito panorama proporcionado pela magnificiência daqueles vales, glaciares ou não, pululados de pequenas e grandes povoações. Daquelas encostas verdejantes e escarpas acinzentadas. Dos picos recortados nas suas formas assimétricas. Certamente um dia para mais tarde recordar!!!
Mais uma aventura "made in AC", desta vez na bonita Serra da Estrela.
Outras se seguirão, pois o meu espírito de aventura tarda em ficar saciado.
Sei que alguma rapaziada gosta de saber se custou muito, ou se foi assim assim.
Desta vez também não vou postar essas "tretas", mas como são bons rapazes, junto-vos uma imagem com alguns dados que vos poderão interessar.

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos,
ou fora deles.
AC
Galeria Fotográfica
"VIII Raid AC - Trilhos e Aventuras"

Comentários

Rotiv disse…
Olá :)
O Blogue dos Manteigas passou por aqui ;)
Parabéns pelas fotos :)

VOTEM no Vale Glaciar do Zêzere, finalista das 7 Maravilhas Naturais de Portugal
http://www.7maravilhas.sapo.pt/#/pt/votacao

Um abraço,
http://bloteigas.blogspot.com/
BTT-ALBI disse…
11 de Julho vai ficar na memória como o 1º Raide na Serra da Estrela. Foi o mais duro até agora por mim realizado e ao mesmo tempo aquele em que me senti melhor.
Obrigado pela companhia pelo incentivo ao longo do mesmo e pela logística que o mesmo envolveu.
Espero fazer parte integrante do próximo.
1 abraÇo.
Pedro Barroca disse…
Este Raide vai ser inesquecível, obrigado pelo companheirismo sempre presente, é indiscritivel o que sentimos ao pedalar por ai, espero poder marcar presença nas proximas aventuras made in AC, 1 abraço e até breve.
FMicaelo disse…
Primeiro que tudo parabéns e que conte muitos, com certeza em boa forma em cima de uma bike... porque a vida é assim feita destes bons bocadinhos!
Quanto á aventura estas paisagens da Estrela são fenomenais, merecem sem dúvida este tipo de visitas.
Abraço
SALES disse…
Mais uma excelente aventura que não pude ir, por grande tristeza minha. Quero desejar-lhe os parabéns por mais um Verão passado Sr caranguejo, e que continue com essa genica e força que sempre nos habituou, um até breve deste seu amigo Carlos Sales
Luis Lourenço disse…
Obrigado chefe cabaço por mais um dia tão bem passado!!!
Na 1ª opurtunidade que tive de ir bttar à serra não deixaria de comparecer e ir levar a
bela malhinha, já me tinha proposto a outras, mas fui refuzado como dizem os aveques!!
Fala-se na comunidade bttistica da cidade de “democracia”, “democracia” uma porra!!!
E sempre que à opurtunidade de dar uma, é o que se deve fazer!!!!
Fomos 9 as testemunhas desta bela aventura, e como disse, uns com menos outros com mais
esforço, mas chegamos todos ao fim! Eu falo por mim que ainda “chorei” bastante nalguns
momentos, mas depois de feito, e só no fim, já não custa nada!!

Eu não sou bloguista mas se fosse, só espunha o que é aberto a todos, as privadas
ficavam nos meus documentos do PC, que é para isso que eles servem!!!

Uma abraço e obrigado!!

Mensagens populares deste blogue

Alvaiade, Perdigão e Vila Velha de Rodão"

Hoje, com um pelotão mais numeroso, fomos tomar o cafézinho matinal à Bolaria Rodense, em Vila Velha de Rodão. Abandonamos a cidade pouco depois das 08h30 e rumamos ao Perdigão, com passagem por Sarnadas de Rodão e Alvaiade. Seguimos depois pela estradinha panorâmica que liga o Perdigão a Vila Velha de Rodão, usufruindo da bonitas paisagens sobre a Serra das Talhadas e Vilas Ruivas. Depois da pequena tertúlia na Bolaria Rodense e já com os níveis repostos, rumamos à cidade, com passagem pelo Coxerro e Sarnadas. Aqui voltamos a encontrar o Joaquim Cabarrão e o Salvado, que deram uma volta mais pequena e juntos seguimos até à entrada da cidade, onde nos voltamos a separar, pois o restante grupo foi pela variante à Carapalha. Numa manhã já bem primaveril, alinharam para esta bonita volta, além de mim, o Jorge Palma, Tó Pinto, Fernando "Caraíbas", Sr. Silva, António Leandro e o João Salavessa.  Foram 75 kms, repletos de divertidas pedaladas, na companhia deste animado grupo de …

"Hoje fomos à romaria"

A manhã acordou hoje límpida e solarenga, num bom incentivo para um bom par de pedaladas asfálticas. Quando saí da garagem já o Álvaro e o Leandro me esperavam. Juntos fomos até à Rotunda das Violetas, ao encontro do Luís Lourenço e do Nuno Eusébio. Pouco depois chegou o Jorge Palma. Para não perder a prática tive ainda que mudar a câmara de ar da minha roda traseira que vinha com um pequeno furo, originado por uma limalha. Já com a "ézinha" pronta a rodar, fizemo-nos à estrada, abandonando a cidade pela Milhã, rumo ao Juncal do Campo pela estradinha panorâmica da Quinta de Valverde. Cruzamos a aldeia e entroncamos na N.12, onde fletimos à direita, rumo ao Padrão, uma pequena aldeia que este fim de semana se encontra engalanada para a festa da Nossa Senhora da Saúde. Entramos na aldeia e fomos tomar o cafezinho matinal no bar junto ao adro da igreja, gentilmente servido por um senhor, creio que festeiro, que fez questão de oferecer os cafezinhos e que agradecemos. Descemos …

"Rota do Bucho/2016"

Pelo segundo ano consecutivo, resolvi editar a Rota do Bucho, com um passeio pelos trilhos de Malpica do Tejo, uma bonita aldeia onde tenho raízes, que termina à mesa com um belo bucho de ossos à boa moda malpiqueira. Convidei um "magote" de amigos, dos quais dezasseis disseram presente. O ponto de reunião, foi desta vez na Pastelaria Cantinho dos Sabores, na Rotunda da Racha, onde tomamos o cafézinho matinal. Pelas 08h20 partimos em pelotão auto rumo a Malpica do Tejo, onde o Rui e a Sandra Tapadas já nos aguardavam. A previsão era de vento forte e alguns aguaceiros e desta vez o S. Pedro não nos "despontou", mandou mesmo umas belas rajadas de vento e umas belas bátegas de água, que nos atingiram por três vezes, um pouco no início desta pequena aventura, sensivelmente a meio, quando estávamos à vista de um local de abrigo, a aldeia de Lentiscais e no final, em jeito de banho. Pelas 09h00, como planeado, abandonávamos a aldeia rumo ao Monte do Couto do Alberto, en…