domingo, 7 de setembro de 2014

"Por vales profundos"

"Mais uma vez, fui tomar o cafezinho matinal às Docas, pois tinha combinado com o Nuno Eusébio uma betêtada.
Depois da tempestade noturna e das nuvem bastante ameaçadores logo pela manhã, ainda tive um lampejo de dúvida se o Nuno compareceria, mas não falhou e ainda um pouco antes das 8h00 lá apareceu ele no Café Sical.
Tomou também ele o cafezinho e depois de uns minutos de conversa, abandonámos o local, em direção à Rotunda do Mac Donald's.
Passámos a Decathlon e embrenhámo-nos por uns "carreirinhos" nos arrabaldes dos Maxiais e seguimos para a caseta, contornando seguidamente o Monte do Rei, com um par de peripécias com as novas aramadas.
Acabámos por descobrir uma nova ligação, com uma trialeira catita, batida pelas ovelhas, que nos levou até ao Vale das Quedas.
Subimos às Olelas pela vertente mais "arfante" e descemos à Represa, desta vez com visita ao Ramalhete, para a primeira jolinha do dia.
A manhã estava a manter-se e até com uma ou outra tímida aparição do sol, proporcionando-nos uns belos momentos de btt, numa boa e deveras animados.
Contornámos os Poços Fundos e seguimos para os Amarelos e Sarnadas, onde tomámos o azimute ao Vale do Feito e Pista de Pesca do Retaxo, um pequena bacia hidrográfica bastante acolhedora, onde paramos para comer algo e tirar uma foto.
Cruzámos seguidamente o vale do gamão em direção a Retaxo e depois de subirmos de novo as Olelas, agora pela vertente sul, fomos até à Foz do Ribeiro do Cinzeiro, no Ribeiro do Marco. Um bonito e inóspito local, pouco frequentado pela malta do btt, e com razão, por ali a "coisa" dói um bocadinho!
De novo nos Maxiais, descemos ao Vale dos Gagos e enfrentámos a dura e longa subida ao Monte das Barreiras, para entrarmos de novo na cidade, pelo Valongo.
Desta vez a paragem foi num novo recanto, pelo menos para nós, no Café Por do Sol, onde fizemos a tertuliazita final, com a respetiva "abaladiça".
Um até á próxima, finalizou esta excelente manhã de btt, que culminou com uns bem diversificados 61 kms, na sempre agradável companhia do Nuno Eusébio
 
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC

1 comentário:

Silverio Correia disse...

Uma linda e "profunda" volta pelos interessantes trilhos albicastrenses! Eu, pedalar por aí, só "virtualmente", outra vez!
Abraço
Silvério