sábado, 16 de janeiro de 2016

"Pelo nosso interior quase desconhecido"

Hoje, resolvi ir dar uma voltinha por cantos e recantos, servidos por belas estradinhas panorâmicas e cruzar algumas das nossas bonitas aldeolas cá do nosso bonito interior.
Abandonei a cidade pelas 08h15 e rumei às Quintas de Valverde, seguindo a estreita e bonita estradinha que faz a ligação ao Juncal do Campo.
Cruzei a aldeia, pela sua rua principal em sentido descendente, estreita e curvilínia, e no entroncamento com a N.112 segui até à ponte sobre a Ribeira do Tripeiro, onde fleti à esquerda para o Chão da Vã.
Passei pela aldeia e segui até à Aldeia de Camões, onde fleti à esquerda, cruzando a ponte sobre a Ribeira de Camões seguindo pela espetacular estradinha panorâmica até ás proximidades de Sarzedas.
Subi à vila e desci para o Casal das Águas de Verão onde tencionava tomar a matinal dose de cafeína no Café "O Pinta", mas este estava ainda fechado.
Voltei à estrada e segui para santo André das Tojeiras, onde tomei o cafézinho da manhã.
Com passagem por mais um belo "naco" de estrada, com uma panorâmica espetacular, segui ara o Outeiro e, mais à frente, parei no Vale da Sertã para dar dois dedos de conversa com um simpático ansião, que me tirou umas dúvidas sobre uns caminhos onde pretendo passar mais tarde numa ligação que pretendo efetuar em btt.
 Foi bastante proveitosa e bem animada a conversa com aquela simpática pessoa, que até me convidou para um "copito", que até recusei, vá-se lá a saber porquê! Mas nesta altura do campeonato, ando-me a "dopar" com produtos farmacêuticos e a fazer uma "carrada" de exames e tenho de ir declinando um pouco este tipo de convites. 
Passei pela Lomba Chã e fui até à Nave, onde encontrei o meu amigo e ex-colega António Santos, onde parei para mais uns minutos de conversa, declinando outro convite para um "copito".
Segui depois para S. Domingos, onde entronquei na N.233, que segui até à cidade, com passagem pela Taberna Seca.
pelas 11h45, estava na cidade, após 75 kms pedalados de forma descontraída e em plena comunhão com a natureza, visitando alguns dos meus cantinhos preferidos.
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC

Sem comentários: