Avançar para o conteúdo principal

"Descida à Foz da Ribeirinha"

Hoje, compareceram na Pires Marques, o Filipe, o Dino e eu.
Após um compasso de espera por um companheiro, que não apareceu, partimos os três pelas 09h10 sem rumo muito definido, para a zona do Rio Ponsul.
Saímos pelo Vale Cabreiro, e apanhámos a estrada da "lixeira velha" até à quelha da Srª. de Mércules e por esta até à Rebouça, onde parámos para decidir por onde ir, se pela esquerda, se pela direita.
Optámos pela esquerda e metemo-nos por caminhos que ainda não conheciamos, passando na Queijeira da Rebouça de Baixo, Queijeira da Rafeira, Chão da Granja e fizémos nova paragem no Monte do Pombal, para o Dino dar uma afinadela nos travões da sua bikla.
Já com os travões ajustados, cruzámos então o arraial e fomos em direcção ao leito do rio, por um trilho que eu sabia ali existir e que acompanhava o rio até ao pontão da Granjinha. Em dada altura o trilho, simplesmente desapareceu, presumívelmente tragado pelas águas revoltosas do rio que ali recebe as águas da Ribeirinha, originando um enorme caudal causado pela intempérie que assolou a zona nos últimos dois meses.
Para não termos de retroceder, inventámos um interessante "single track" pelos vários carreiros de gado ali existentes, na sua maioria sobre pedra rolante e escorregadia, que fez disparar a adrenalina no pessoal e a mim particularmente, cuja técnica está agora a atingir a adolescência, fez-me pôr o joelho em terra, sem consequências, além do orgulho ferido.
Encontrado outro trilho, que conhecia, lá seguimos em direcção aos Quintalreis, com uma pequena paragem na Casa do Estrêlo, para "papar" a barrinha, tirar uma foto de grupo e dar "dois dedos de conversa". Já próximo dos Quintalreis, passámos por alguma dificuldade, com os bastantes e enormes eucaliptos caídos no caminho, derivado ao último temporal, que tivémos que transpor com a bicicleta ao ombro.
Passada esta dificuldade, prosseguimos em direcção à Capa Rota, onde encontrámos alcatrão que seguimos até à zona dos Desembargadores, tomando o caminho que nos leva à Fonte da Mula e recta do Lanço Grande, seguindo este último, porque o Flipe queria lavar a bikla nas bombas.
Limpeza feita e já com Castelo Branco à vista, rumámos a cidade, onde chegámos pelas 12h30.


Total Kms 39
Acumulado 648
Pendente Positiva 18%
Pendente Negativa 17%
Pendente Média 4%
Altura Máxima 396 mts
Altura Mínima 130 mts

.o0o.





Percurso

Altimetria

A Minha "MAV"

O Filipe e o Dino

O Dino afinando os travões sob observação do Filipe

O Filipe, eu e o Dino

FILIPE

Monte do Pombal

Rio Ponsul

Eu com o Dino

Obstáculos nos Quintalreis

Monte do Pombal

Panorâmica vista da Rebouça de Cima

DINO

Filipe

Ribeirinha

Rio Ponsul

Monte do Pombal

.o0o.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Rota do Bucho/2016"

Pelo segundo ano consecutivo, resolvi editar a Rota do Bucho, com um passeio pelos trilhos de Malpica do Tejo, uma bonita aldeia onde tenho raízes, que termina à mesa com um belo bucho de ossos à boa moda malpiqueira. Convidei um "magote" de amigos, dos quais dezasseis disseram presente. O ponto de reunião, foi desta vez na Pastelaria Cantinho dos Sabores, na Rotunda da Racha, onde tomamos o cafézinho matinal. Pelas 08h20 partimos em pelotão auto rumo a Malpica do Tejo, onde o Rui e a Sandra Tapadas já nos aguardavam. A previsão era de vento forte e alguns aguaceiros e desta vez o S. Pedro não nos "despontou", mandou mesmo umas belas rajadas de vento e umas belas bátegas de água, que nos atingiram por três vezes, um pouco no início desta pequena aventura, sensivelmente a meio, quando estávamos à vista de um local de abrigo, a aldeia de Lentiscais e no final, em jeito de banho. Pelas 09h00, como planeado, abandonávamos a aldeia rumo ao Monte do Couto do Alberto, en…

"Hoje fomos à romaria"

A manhã acordou hoje límpida e solarenga, num bom incentivo para um bom par de pedaladas asfálticas. Quando saí da garagem já o Álvaro e o Leandro me esperavam. Juntos fomos até à Rotunda das Violetas, ao encontro do Luís Lourenço e do Nuno Eusébio. Pouco depois chegou o Jorge Palma. Para não perder a prática tive ainda que mudar a câmara de ar da minha roda traseira que vinha com um pequeno furo, originado por uma limalha. Já com a "ézinha" pronta a rodar, fizemo-nos à estrada, abandonando a cidade pela Milhã, rumo ao Juncal do Campo pela estradinha panorâmica da Quinta de Valverde. Cruzamos a aldeia e entroncamos na N.12, onde fletimos à direita, rumo ao Padrão, uma pequena aldeia que este fim de semana se encontra engalanada para a festa da Nossa Senhora da Saúde. Entramos na aldeia e fomos tomar o cafezinho matinal no bar junto ao adro da igreja, gentilmente servido por um senhor, creio que festeiro, que fez questão de oferecer os cafezinhos e que agradecemos. Descemos …

Alvaiade, Perdigão e Vila Velha de Rodão"

Hoje, com um pelotão mais numeroso, fomos tomar o cafézinho matinal à Bolaria Rodense, em Vila Velha de Rodão. Abandonamos a cidade pouco depois das 08h30 e rumamos ao Perdigão, com passagem por Sarnadas de Rodão e Alvaiade. Seguimos depois pela estradinha panorâmica que liga o Perdigão a Vila Velha de Rodão, usufruindo da bonitas paisagens sobre a Serra das Talhadas e Vilas Ruivas. Depois da pequena tertúlia na Bolaria Rodense e já com os níveis repostos, rumamos à cidade, com passagem pelo Coxerro e Sarnadas. Aqui voltamos a encontrar o Joaquim Cabarrão e o Salvado, que deram uma volta mais pequena e juntos seguimos até à entrada da cidade, onde nos voltamos a separar, pois o restante grupo foi pela variante à Carapalha. Numa manhã já bem primaveril, alinharam para esta bonita volta, além de mim, o Jorge Palma, Tó Pinto, Fernando "Caraíbas", Sr. Silva, António Leandro e o João Salavessa.  Foram 75 kms, repletos de divertidas pedaladas, na companhia deste animado grupo de …