sábado, 14 de abril de 2007

"XXV Ciclo-Brevet # Segura - Sardoal"

Pensamento:
"A força não provêm da capacidade física e sim de uma vontade indomável"
(Mahatma Gandhi)


.o0o.

.o0o.

Como já vem sendo habitual desde hà 13 anos, participei no XXV Ciclo-Brevet Internacional de Cicloturismo organizado pela FPCUB, com o apoio da CMC.Rainha , este ano nos dias 14 e 15 de Abril.
Apenas participei hoje, ou seja, no 1º. dia, com partida de Segura e chegada ao Sardoal/Abrantes. Havia uma 2ª. partida de Castelo Branco, por opção, mas para mim, que não gosto de meios termos, ou se faz a etapa inteira, ou não se faz. Partir de Castelo Branco e fazer "picanços" com quem partiu de Segura, soa-me a falso, parece algo ilegal, por isso, opto sempre pelo puro e neste caso duro, têm-se uma espécie de dever cumprido. Suado, mas verdadeiro.
Amanhã a partida é de Abrantes e chegada a Caldas da Rainha.
Este ano optei por apenas participar no 1º. dia, por ainda recear abusar um pouco das intensidades derivado ao meu joelho, que de vez em quando me ameaça pregar uma partida, sensação que tive a partir da subida da Taberna Seca e que me obrigou a desacelerar um pouco, mas com a paragem para almoço em Proença-a-Nova, estabilizou felizmente.
Ainda assim, conclui a etapa na íntegra que somou 169 kms à média horária de 28 kms/h.
Foi uma etapa algo dura, principalmente para quem a iniciou em Segura e que teve logo o 1º. aquecimento com a subida da Sra da Graça em Idanha-a-Nova, seguindo-se outras com algum relevo, como a Taberna Seca, Alvito, Sobreira Formosa, Proença-a-Nova, Maxieira, Chão de Lopes, Chão de Codes, Panascos, entre outras, em constante sobe e desce.
È a clássica de cicloturismo de fundo mais antiga do País e espero que continue por muitos anos.
Pena é que cada vez se vejam menos jovens nesta prática salutar, mas estou em crer que o cicloturismo ainda vai voltar em grande.
O BTT está no auge e da forma que está a ser tratado , com passeios, maratonas, mini maratonas, rotas, raids e afins, todos os fins de semana, feriados nacionais e municipais, em quantidades "industriais" quilometragens "long travel" dureza excessiva e níveis técnicos demasiado exigentes, ressalvando as devidas excepções, alguns deles procurando apenas o lucro em detrimento do que de puro tem o BTT, mais tarde, ou mais cedo vai aborrecer a malta e a frequência participativa vai diminuir porque isto de pagar para andar de bicicleta não tem muita graça.
Já se pedem muitos "euros" para tal prática, quando ainda se pode pedalar gratuítamente por esses mesmos trilhos. Apenas não recebemos a t-shirt da ordem e não participamos num qualquer sorteio de material de bicicleta que normalmente não compramos. Depois, se vamos a um e não vamos a outro, enfim....!!!!!!!!!!!
Mas sobretudo, não deixem de pedalar, seja de BTT ou de Estrada;
PORQUE:
- Faz bem à saúde;
- Fomenta a amizade;
- Desenvolve o companheirismo e o espírito de ajuda;
- Faz-os esquecer um pouco o betão armado dos grandes centros;
- Põe-nos em contacto com a natureza, por belos trilhos e paisagens;
E SOBRETUDO:
- Durante algumas horas, faz-nos sentir melhores e esquecer que somos doutores, engenheiros, professores, funcionários públicos, liberais, operários e outros, passando apenas a ser amigos, esquecer os problemas do dia a dia, ou melhor, adiá-los.
Fiquem bem.
AC

.o0o.



1 comentário:

Pedro disse...

Bom dia António,

Já desde algum tempo que vou seguindo o teu blog (mais propriamente desde o passeio de Vila Velha de Ródão quando me falaste nele) e as tuas pedaladas que são muitas. Antes de mais quero dar-te os parabéns pela forma como tens construído o blog, sempre bem escrito e principalmente pelo inspirador pensamento no início de cada relato. Sabe bem vir aqui ver as "tuas" novidades.
O que me levou a comentar este post em específico, foi o facto de teres referido o estado do BTT, principalmente a seguinte parte "...porque isto de pagar para andar de bicicleta não tem muita graça.
Já se pedem muitos "euros" para tal prática, quando ainda se pode pedalar gratuitamente por esses mesmos trilhos.". Gostaria só de dizer que estou inteiramente de acordo contigo, porque o facto do BTT se estar a transformar num negócio incomoda-me bastante. Não vejo o Btt dessa forma mas sim e como bem disseste, um convívio saudável entre amigos ou conhecidos, com a particularidade de muitas vezes os conhecidos passarem a amigos após alguns passeios. Isto sim, para mim o verdadeiro espírito da "coisa".
Dou como exemplo um convívio realizado entre os Cagaréus e os Bicigodos por terras do Gerês e Barroso (mais propriamente Montalegre, Espanha, Pitões das Junias e Montalegre) onde tive a felicidade de estar presente e digo felicidade, porque de facto foi um dia em grande que terminou com um não menos retemperador banho e grande jantar no Turismo Rural do Padre Fontes em Mourilhe.
Como já reparei na ligação para o blog "BTT do Minho ao Vouga ", está lá um melhor relato daquele dia e as respectivas ilustrações.
Peço desculpa pela extensão do comentário, mas ficou a minha opinião.
Irei certamente continuar a visitar este sítio.
Continuação de muitas e boas voltas.
Um abraço, Pedro Ferrão