Avançar para o conteúdo principal

"Nos Trilhos do Javali"

Pensamento:
"O mal de quase todos nós é que preferimos ser arruinados pelo elogio a ser salvos pela crítica"
(Norman Vincent)
.o0o.
Hoje, fomos 5 os que nos reunímos para mais uma "romaria" de btt.
Manhã bastante ventosa, muita vontade, alegria e boa disposição, foram os ingredientes que hoje acompanharam a malta que se juntou para pedalar: AC, João Valente, Roberto, Micaelo e Dino.
Saímos da cidade pelo portal do frigorífico para apanhar o trilho para os Desembargadores, entrando seguidamente em asfalto até à Capa Rota, virando à direita para a descida dos Quintalréis de Cima e alí, à esquerda para o Compasso de Baixo.
Parámos no pontão da Ribeirinha para o Dino "dar à bomba", pois tinha furo na roda traseira da sua "Rockrider" e criar alento para enfrentarmos a dura subida para os Bouchalinos.
Lá no alto, um compasso de espera para reagrupar e continuámos, passando ao lado do arraial para logo após virarmos à direita para atravessar o eucaliptal e tomar a estrada para Belgais.
No início da descida para Belgais, voltámos à esquerda para serpentear pela orla do rio Ponsul e apreciarmos a magnífica paisagem que dalí se alcança, parando aqui e alí para registar esses momentos de forma digital.
Trilhos espectaculares nos esperavam desde então.
Estreitas, longas e técnicas veredas de passagem dos javalis que nos deram imenso gozo e também algum trabalho, pois tivemos que formar um grupo de "Sapadores Florestais", para afastar alguns eucaliptos caídos nos trilhos e que proporcionaram algumas cenas hilariantes.
Depois da arrepiante descida para o Cabeço Redondo, foi um "arfamento" constante até à Parrocha, onde avistámos lá para o lado dos Escalos um foco de incêndio, que era atacado por um helicóptero que ia encher o saco de água na "charca" da Tapada do Caraca.
Como o nosso destino imediato era os Escalos de Baixo, continuámos em direcção à zona de intervenção, passando o Barrão e lá no alto, fomos dar uma espreitadela ao incêndio, verificando que este tinha deflagrado junto à estrada, no cruzamento para a Mata, provávelmente por descuido de algum fumador, que terá atirado a "pirisca" pela janela da viatura.
Felizmente só arderam umas dezenas de m2 de pasto.
Seguimos para os Escalos de Baixo, com os "cockpit's" das bikes orientados ao restaurante "O Chafariz" , zona de abastecimento.
Eu bebi uma "bjeca" e o resto da malta o cafézinho da praxe, mas cedo tivemos que abandonar o local, pois começaram a passar ao nosso lado umas grandes travessas com uns jovens suínos de pele estaladiça e com um bronze que até arregalava os olhos (vulgo leitão) e faria inveja à "Cinha Jardim", para não falar do intenso e apaladado cheiro que até dilatava as narinas.
Tivémos mesmo que abandonar o local para não cair em tentação.
Abalámos, "sim senhor"!!!. Mas ficou a promessa de lá voltar!!!
Partímos então em direcção ao Monte S. Luís, que contornámos para a Fonte Santa, onde entrámos de novo em alcatrão até Castelo Branco, com uma pequena paragem junto à Pedra da Garalheira, para uma sessão fotográfica.
Chegámos à cidade pelas 12h, com 43 kms percorridos e após nos termos despedido da malta, eu e o Micaelo, os mais desgastados pelos constantes disparos na digital, fizemos ainda uma paragem no bar da Associação da Boa Esperança para repor os níveis de "cevada" com um par de "loirinhas" cada.
Mais uma jornada de btt, onde a amizade e companheirismo foi nota dominante.
.o0o.
Estejam atentos!!! Vêm aí os "Passeios Temáticos".
Uma parceria "ac-trilhos e aventuras#btthal"
Brevemente!!!!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…