Avançar para o conteúdo principal

"Nos Trilhos do Azinhal"

Pensamento:
"Não é mérito o facto de não termos caído, mas sim o de nos termos levantado todas as vezes que caímos"
(Provérbio Árabe)
.o0o.
Mais um domingo, mais uma volta de BTT.
Apesar da manhã ventosa, foram 10 os que compareceram para as já habituais "pedaladas" domingueiras: AC, Dino, Marcelo, Álvaro, Paulo Jalles, Nuno Jalles, Fidalgo, Joaquim Cabarrão, Arlindo e Nuno Maia.
A idéia de hoje, era aceder ao planalto do ponsul e curtir uns trilhos pelo azinhal.
Saímos da idade pelo single das Palmeiras em direcção ao Monte de S. Martinho, contornámos a velha lixeira e entrámos no eucaliptal nos Montes dos Cagavaios, percorrendo um belo e sombreado trilho que serpenteia à meia encosta até chegarmos ao cimo dos Enfestos, para tornar a entrar nos trilhos numa rápida descida para o Monte do Chaveiro.
Passámos a velha e arruinada ponte medieval sobre o rio Ponsul para acedermos à algo longa subida para o Monte dos Cancelos, já no planalto.
Por alí serpenteámos por vários trilhos, alguns a requerer os nossos dotes técnicos derivado ao areão e pedra rolante de que eram compostos, cruzando os Montes do Negrete e Escrivão até à margem esquerda do rio.
Mais uma gincana na areia e os mais audazes tentaram a travessia na bike, havendo quem o tenha feito e com estilo. Outros acanharam-se e tiveram de empurrar a bicla para a outra margem.
Foi um momento divertido onde a camaradagem e a boa disposição foram uma constante.
Aproveitámos para devorar as barrinhas energéticas enquanto o pézinho enxugava, ao mesmo tempo que nos deliciávamos a apreciar a paisagem que o rio nos proporciona nesta altura do ano e um numeroso bando de cegonhas e garças brancas, (carraçeiras) que levantaram com a nossa presença e por ali voavam em círculos.
Rodámos um pouco pela cumeada junto ao rio, para depois rumarmos ao Monte do Sordo, onde virámos à direita para nos entretermos a arfar na londa subida para o alto das Rebouças.
Dalí seguimos num sobe e desce até ao Forninho do Bispo, com o pensamento no Restaurante do Abílio, no recinto da Senhora de Mércules e numa bjéca, bem fresquinha que acabasse com a piadeira originada pelo pó dos caminhos, acumulado nas nossas gargantas. E o melhor produto é seguramente uma bela e loira sagres média, e não vá ficar algum resquício, seguida duma elegante mini, também sagres, para evitar conflitos.
Como ainda era cedo, por ali nos entretivemos um pouco na galhofa, regressando à cidade pelas 12h, com 36 kms percorridos, onde sobressaiu mais uma vez a camaradagem e o gosto pelo btt à descoberta de novos trilhos e aventuras.


Terça feira, dia 21, há pedalada. Concentração pelas 08h na Pires Marques.
Até lá
AC

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de Mota à Serra da Lousã"

"Penso noventa e nove vezes e nada descubro; deixo de pensar, mergulho em profundo silêncio - e eis que a verdade se me revela."
(Albert Einstein)
Dia apetecível para andar de mota, com algum vento trapalhão durante a manhã, mas que em nada beliscou este esplêndido dia de passeio co amigos. Com concentração marcada para as 08h30 na Padaria do Montalvão, apareceram o José Correia, Rafa Riscado, Carlos Marques e Paulo Santos. Depois do cafezinho tomado acompanhado de dois dedos de conversa, fizemo-nos à estrada, rumo a Pampilhosa da Serra, onde estava programada a primeira paragem. Estacionamos as motas no estacionamento do Pavilhão Municipal e demos um pequeno giro pelo Jardim da Praça do Regionalismo e Praia Fluvial, indo depois comer algo à pastelaria padaria no beco defronte do jardim Abandonamos aquela bonita vila, não sem antes efetuarmos uma pequena paragem no Miradouro do Calvário, com uma ampla visão sobre aquela vila tipicamente serra, cruzada pelo Rio Unhais. Voltamo…

"Trilho das Bufareiras e Penedo Furado"

"Às vezes ouço passar o vento; e só de o ouvir passar, vale a pena ter nascido"
(Fernando Pessoa)
Numa espécie de homenagem ao primeiro dia de primavera, que se apresentou como tal, solarengo e luminoso, fui mais a minha "Maria" fazer um pequeno passeio pedestre, ali para os lados de Vila de Rei. Saímos de casa já com os ponteiros do relógio a aproximarem-se das 09h00 e fomos até à Padaria do Montalvão, onde tomei a matinal dose de cafeína. Seguimos depois para a Praia Fluvial do Penedo Furado, para caminharmos um pouco pelo Trilho das Bufareiras e percorrer os recém inaugurados passadiços do Penedo Furado. Já a manhã ia a meio quando iniciamos a nossa caminhada, que teve inicio na Praia Fluvial, seguindo durante umas centenas de metros a Ribeira de Codes, pelos novos passadiços, até ao pequeno ribeiro da zona das cascatas. São 532 metros lineares, que trazem ainda mais beleza ao local e facilitam o acesso às cascatas. Terminada a passagem pelos passadiços, entramos…