Avançar para o conteúdo principal

"5º. Aniversário do Grupo SelindaBtt # Sertã"

Perfil altimétrico
Percurso no google

Este post sai um pouco atrazado no tempo, mas o facto é que esta semana tenho andado um pouco adoentado e um pouco desmotivado, sem grande vontade de me chegar ao computador.
Mas como diz o velho ditado, "mais vale tarde que nunca".
No passado domingo, na companhia do amigo João Valente, desta vez em representação do grupo "BTTHAL", deslocámo-nos à Sertã convidados para mais um aniversário do grupo "SelindaBtt".
Foi o seu 5º. aniversário e que contou à partida com cerca de 50 convidados, entre representantes de grupos, lojas, importadores e patrocinadores, entre outras entidades ligadas às duas rodas.
Formou-se assim um grupo bastante homogénio no que respeita à camaradagem e boa disposição e onde a performace desportiva era um facto secundário.
Fomos dos primeiros a chegar à Praça da Carvalha, local da concentração e logo de seguida fomos tomar a bica ao bar com o mesmo nome.
O pessoal foi chegando e quando já todos os convidados estavam presentes e prontos para o "embate", deu-se a partida, com aquele colorido pelotão de betêtistas a rumarem aos trilhos da região, bem alegres e bem dispostos.
Percorremos cabeços e vales num constante sobe e desce em zonas de predominante pinhal com belas passagens e maravilhosos "single tracks" a serpentear a ribeira, do melhor onde já tive oportunidade de pedalar. (A juntar à Rota dos 5 Castelos em Sortelha no sábado, foi um fim de semana em cheio)
Durante o percurso houve uma diversidade de paragens para reagrupamento, para provar a "pinguinha", assaltar uma ou outra laranjeira e ainda para atacar um belo repasto camuflado de "reforço" com vários tipos de enchido, nomeadamente, chouriço de carne, chouriço mouro, morcela, farinheira e ainda fiambre e chourição entre outros, regados com a bela pinga regional e outras bebidas à descrição.
A partir daí a porca começou a torcer o rabo, ou melhor, o corpo todo para uns quantos, cujo "arcaboiço" ainda não está bem preparado para aguentar estas bebidas "hipotónicas" regionais, "tintos e seus derivados" tornando-os ainda mais sedentos e atrevidos a quem os trilhos passaram a ser cada vez mais estreitos e menos lineares.
Conclusão: Alguns engarrafamentos, com especial predominância nos singles... Divertimento a rodos!!!
Com todas estas paragens e peripécias, chegámos à Sertã já próximo das 15h.
Seguiu-se a peregrinação aos balneários da Escola Secundária, para o merecido banho com água bem quentinha.
Finalmente o manjar, após 40 kms de pedaladas bem divertidas em companhia de malta também toda ela divertida e onde prevaleceu em todo o tempo o verdadeiro espírito betêtista, que teve lugar no já conhecido Restaurante Ponte Velha, onde fomos presenteados com uma bela sopa alentejana secundada por um gostoso pernil assado acompanhado pelos belos elixires de Baco, em versão tinto ou branco e outras bebidas à descrição.
No final partiu-se o bolo e cantaram-se os parabéns ao grupo aniversariante.
Foi um dia em cheio, bem animado e repleto de adrenalina, alguma artificial (tintol e seus derivados), onde se reencontraram velhos amigos do pedal e se criaram novas amizades e conhecimentos.
Os meus sinceros parabéns a este simpático grupo de Btt, que muito já fez em prol do Btt e de quem muito ainda se espera!!!
Até breve,

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC
Album Fotográfico
(Clique para ver)
Selindabtt

Comentários

Anónimo disse…
Um sincero obrigado!
Foi um dia bem passado junto das nossas bikes!

João Valente

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…

"O Trilho da Mina de Ouro do Conhal"

"Só existe um êxito: a capacidade de levar a vida que se quer." (Cristopher Morley) Logo pela manhã, carinha lavada, pequeno almoço tomado ,cafezinho da praxe e na companhia da minha "Maria", fomos até Santana, na aldeia piscatória do Arneiro para uma manhã lúdica e reconfortante pelo Trilho da Mina de Ouro do Conhal. Ajeitei o trilho, cortando a passagem pela cumeada até ao Miradouro da Serrinha e descida acentuada à Foz da Ribeira do Vale.
Saí da aldeia pelo caminho que lá mais à frente ladeia a Ribeira do Vale até á sua foz.
Neste local, onde a ribeira se encontra com o Rio Tejo, formou-se uma ilha a que dão o nome de Cabecinho. Depois de seguir o caminho até à margem do rio, voltamos atrás e fomos até à ilha, passando por duas pontes suspensas, a primeira sobre a Ribeira do Vale e a segunda mais à frente, para ligar à Ilha do Cabecinho. Esta ilha é pequenina . . .uma ilhota, por assim dizer. Nela encontramos uma casa em ruinas, alguns pinheiros e uma mesa e ba…