segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

"Rota dos 5 Castelos # Sortelha"





A convite do Agnelo Quelhas, www.agneloquelhas.com/trilhos/ acompanhei-o no passado Sábado, dia 19, a Sortelha para nos juntarmos a um grupo de malta seus amigos, vinda maioritáriamente de Lisboa para efectuarem a "Rota dos 5 Castelos" com partida e chegada na bonita localidade de Sortelha.
Acompanharam-nos também o Jorge Palma
Logo de manhãnzinha montei os porta bicicletas no carro e fui ao encontro do Jorge para depois irmos buscar o Agnelo.
Partimos de Castelo Branco pelas 07h45 rumo a Sortelha, para mais uma bela aventura de Btt.
A concentração estava marcada naquela localidade para as 09h, mas derivado a alguns atrasos, acabámos por partir cerca das 10h.
Além do Agnelo e do Jorge, não conhecia mais ninguém dos restantes 15 elementos que compunham o grupo, mas tal não foi motivo para que houvesse qualquer quebra no relacionamento, pois era tudo malta porreira e "habituès" nestas "andanças", contribuindo para o salutar convívio que foi toda a jornada do passado Sábado.
A ideia partiu do Fernando Carmo http://www.fernandocarmo.com/ conhecido triatleta e maratonista, que convidou os restantes elementos, no total de 18 betêtistas que percorreram em plena sintonia com a natureza, neste nosso belo interior, os 80 espectaculares kms que compõem a "Rota dos 5 Castelos".
Não sei bem por onde andei, pois esta foi a primeira vez que pedalei naquela belíssima zona.
Passei por muitas e bonitas aldeias e vilas, algumas bem pitorescas, cravadas no meio daquela região granítica.
Apenas conhecia Sortelha, Alfaiates e Sabugal. As restantes povoações foram para mim uma agradável surpresa.
A primeira por onde passei, lembro-me bem, até pelo nome castiço que lhe foi atribuído, "Quarta Feira", e onde demos início à zona para mim mais complicada de todo o percurso.
Uma subida de cerca de 3 kms em pedra bastante desnívelada, tipo calçada romana, muito técnica e escorregadia, derivado à humidade pelas "orvalhadas" constantes naquela zona.
Eu nem sequer tentei na parte inicial e fui "marchando" e pedalando num ou outro troço onde me sentia mais à vontade, pois a minha técnica ainda deixa um pouco a desejar, tanto mais que não estava na disposição de dar cabo do "cortiço" logo de início.
Assim cheguei ao final daqueles terríficos kms.
A partir daí, as dificuldades diminuiram bastante e foi um autêntico gozo pedalar naqueles trilhos fintando "calhaus e cabeços" entre vegetação mais ou menos rasteira, na primeira metade do percurso, onde com imensa pena não pude desfrutar de toda a plenitude daquela região a nível paisagístico, derivado ao manto de nevoeiro que cobria os vales circundantes e pela neblina que nos envolvia, contribuindo para que a manhã se mantivesse fria e impedindo a infiltração dos raios solares.
A partir da Vila do Touro melhorou um pouco, mas foi sol de pouca dura, pois voltámos a ser envolvidos pela neblina lá para os lados de Rapola do Côa.
Mas o sol acabou por vencer aquele manto de nevoeiro, acabando por nos proporcionar um resto de dia transbordante de sol e lindas paisagens.
Até Alfaiates pedalámos em excelentes trilhos e alguns "single tracks" que me deram imenso prazer.
Parámos no Castelo para umas fotos e baixámos à Estalagem "O Pelicano" para repor energias com uma bela sopa e sandes de presunto, na sua maioria, pois o nível calórico já estava a chegar ao "amarelo" e a "galga" já era muita.
Por alí nos mantivemos quase 1 hora comendo e conversando até que resolvemos partir para a parte final da nossa jornada.
Depois de alguns kms em alcatrão, entrámos de novo nos trilhos onde acabei por pedalar nos mais belos singles e que mais gozo me deram até hoje.
Lindos, técnicos, adrenalínicos e delíneados entre carvalhais e giestais, completamente cobertos pelas folhas caídas dos carvalhos, numa panóplia de cores e tons criando paisagens de sonho e que me fazem sentir priveligiado por poder partilhar toda aquela natureza quase por "lapidar".
Entrámos no Sabugal e subimos ao castelo por uma bonita calçada, para podermos apreciar um dos mais belos e bem preservados castelos do País.
Encantado com o que me rodeava e entretido a fotografar, atrasei-me um pouco e deixei que os restantes elementos do grupo se me adiantassem e que dalí saíram em velocidade de TGV.
No gps o track naquele local mais parecia um novêlo derivado às voltas dadas no ano anterior e eu acabei por me enganar e seguir o track em sentido contrário até que percebi que estava errado, apesar de estar desconfiado, acabando por percorrer mais cerca de 6 kms entre ir e regressar.
Lá dei com o track correcto e toca a pedalar a bom ritmo na tentativa de encurtar a distância, pelo menos em relação a alguns companheiros, certamente mais atrasados, pois o desgaste sempre se manifesta primeiro a uns que a outros e lá fui "arrepiando" caminho, pois estava a sentir-me bem.
Bastantes kms mais à frente, encontrei um grupo de 5 elementos sentados num "calhau" e onde se encontravam o Agnelo e o Jorge e animei mais um pouco pois a solidão, já era!!!
Não quero dizer que estivesse desanimado, pois estou habituado a pedalar em autonomia, só que não sou grande "crak" com o gps e a tarde estava a caír.
Como já estávamos perto de Sortelha, foi um instante enquanto lá chegámos, após um dia bem passado a pedalar naquela bela região deste belo interior repleto de belas paisagens, que me fazem gostar cada vez mais do Btt
Tive ainda o privilégio de poder pedalar com excelentes companheiros, onde o verdadeiro espírito do Btt está sempre presente.
Um grande obrigado ao Agnelo Quelhas por me ter convidado e assim me dar a oportunidade de usufruir do explêndido dia de Btt, que foram os 80 kms percorridos e vividos na bonita "Rota dos 5 Castelos".
Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC




2 comentários:

Agnelo disse...

Caro amigo é sempre um prazer pedalar ao lado de uma pessoa com o seu "espirito".
A localidade "Almeida" que refere é na realidade o Sabugal.
1 abraço
Agnelo

Anónimo disse...

Caro Amigo do Agnelo...Gostei muito do texto e das fotos. Esta zona é-me particularmente querida e gosto de saber que "estrangeiros" a valorizam de forma verdadeira...sem rede. Só gostava que se fizesse mais por ela...sobretudo os que lá vivem.
1 abraço da irmã do Agnelo
Cláudia Quelhas