sábado, 12 de janeiro de 2008

"Foz do Rio Ponsul, natureza selvagem"

Altimetria
Percurso no Google
.o0o.
A convite do Agnelo, acompanhei-o num dos seus "raides", logo, garantia duma boa jornada de btt.
Desta vez o destino era a Foz do Rio Ponsul, próximo à Barragem de Cedillo, local inóspito e de grande beleza.
Apenas eu e o Marcelo comparecemos no local aprazado, as Bombas de Gasolina da Galp na Quinta Dr. Beirão, para acompanharmos o Agnelo nesta bela aventura.
Saímos pelas 08h45, mas logo mais à frente, junto à Danone, a roda da frente da "Canyon" do Marcelo recusou-se a continuar sem que lhe trocassem a câmara de ar, por ter um furo lento.
Mãos à obra e o trabalho foi concluído com êxito.
Lá seguimos e em alcatrão até aos Maxiais pelo velho troço da N.18, para um aquecimento "nos conformes" que a jornada era "suadeira".
Passada a povoação lançámo-nos por aquelas rápidas e adrenalínicas descidas até ao Ribeiro do Barco, para enfrentarmos seguidamente o sobe e desce até ao Monte dos Macarros, onde fomos saudados por uns quantos cães, ficando eu na dúvida se estavam eufóricos de nos ver, ou se nos queriam "apalpar o fato". eheheh!!!
Mais à frente cruzámos a N.1266 para de novo entrar nos trilhos e atravessar o Ribeiro de Alfrívida em direcção à Sra dos Remédios, que contornámos em direcção ao Monte Fidaldo, em cuja proximidade fica a Foz do Rio Ponsul.
Os últimos trinta metros para o local onde iriamos apreciar aquela extasiante paisagem eram um pouco aterradores para mim e para o Marcelo, que optámos por descer da bicla.
Só o Agnelo mostrou "cojones" para tal proeza.
Irra!!! Um dia ainda hei-de ser capaz!!!
Depois uns quantos disparos com as digitais e de apreciar calmamente aquele belo local, entrámos num belo single track à meia encosta e entre matagal, que nos levou ao velho e desactivado Posto da Guarda Fiscal, que imponente, apesar do seu estado de degradação, se ergue altivamente lá no alto, parecendo "mirar nuestros hermanos" do outro lado do Rio Tejo.
Mais à frente a Barragem de Cedillo com a sua Central Hidroeléctrica, parece destoar naquele recanto selvagem.
É de facto uma pura e dura aventura de btt e para betêtistas da classe "Kuduro" e nem os agora tão em voga "selins arraçados de sofá", amenizam o sofrimento a que foram sujeitas as "bochechas que ladeiam o escroto".
Pois é!!!
Mas infelizmente estes recantos de rara beleza e onde a natureza é ainda admirada na sua plena magnitude e estado selvagem, não se encontram nos jardins e zonas temáticas.
Por outro lado, pedalar nestes locais faz-nos sentir "enormes" e uníssonos com a natureza.
É um previlégio para o qual há que ter espírito de aventura e sofrimento e há que aproveitar enquanto estão ainda algo afastados da civilização.
A minha obstinação e espírito aventureiro leva-me a aproveitar ao máximo estas oportunidades, porquanto, não são aconselháveis em solitário, a idade não perdoa e quer queira, quer não, qualquer dia não basta querer e também porque estes lindos recantos, são locais em extinção e os apelidados "Parques Naturais" por aí criados de forma desconexa, são para mim uma treta e onde à semelhança doutros, será mais cedo ou mais tarde, proibído pedalar.
Depois foi o regresso à cidade com passagem nos "arrabaldes" do Monte Fidalgo em direcção ao Vale de Pousadas, onde parámos para o cafézinho da praxe e incentivo para a dura subida da Ladeira de S. Gens que nos faz arfar e empurrar penosamente, ora um, ora outro "crank" da bicla durante três longos kms, para culminar já próximo de Cebolais de Baixo.
Contornámos a aldeia e rumámos ao Retaxo, por trilhos que nos conduziram à Capela da Sra da Guia.
Atravessámos a Povoação e subimos à Serra das Olelas pela sua vertente mais suave e descemos pela descida também mais fácil, para entrarmos no asfalto da N.553 e em asfalto continuámos até Castelo Branco, onde chegámos pelas 13h10, com 62 kms percorridos à média de 17 Kms/h, que contribuiram para endurecer um pouco mais a jornada de hoje.
Foi um passeio bem divertido e durinho quanto baste, mas que pessoalmente adorei, pois sou um pouco fã deste tipo de jornadas de btt.
O Agnelo parece que ainda não foi desta que conseguiu alinhar a sua nova câmara de filmar, que com as nossas indicações fartou-se de filmar cascalho e terreno arenoso, ou seria que éramos nós que íamos bastante adiantados, relativamente ao "camaramen" eheheh!!!
Venham mais destes, c'a gente gosta!!!
Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC

3 comentários:

Agnelo disse...

Foi sem dúvida uma manhã bem passada numa incursão de grande beleza que me deixa sempre com uma visão renovada do local. Pena não haver mais gente a aventurar-se e a aderir a estas incursões.

Anónimo disse...

Jornada espectacular! E eu que não soube de nada!!! Fica aqui o meu protesto! Ehehehehe Boas pedaladas! FMike

Marcello Silva disse...

Realmente é incrivel como de bicicleta se pode chegar a estes lugares de beleza extrema, obrigado Sr Cabaço e Agnelo por me terem proporcinado uma excelente manhã de BTT, fico á espera de outras voltas e pergunto eu se eu consigo ir porque é que o resto do pessoal não vem também ???Vá lá apareçam.

Um abraço