Avançar para o conteúdo principal

"Viagem ao Centro do Mundo"

Altimetria


Depois dum domingo em pleno, uma terça feira supostamente para recrear, mas não foi bem assim, apesar dum passeio com metade do acumulado, foi ainda assim preenchido com uns "curtidos" 66 kms de puro btt.


Hoje, eu o FMike, o João Valente e o Filipe, não conseguimos resistir a mais uma terça feira "pedalante" e lançámo-nos a devorar trilhos em direcção ao Centro do Mundo, nome porque é conhecida a pacata aldeia de Barbaído.
Saímos da cidade pouco depois das 08h e rumámos à citada aldeia passando pela Tapada das Figueiras e Valverde para entrarmos na primeira povoação do dia, a aldeia de Freixial do Campo.
Parámos no Café Amazonas, onde a malta betêtista é sempre bem recebida pela D. Guilhermina, mas hoje foi o marido, cujo nome não recordo.
Gente simpática e hospitaleira.
Pedimos as bicas da praxe, mas a surpresa estava eminente, pois o amigo FMike apresentou-se com um bolo, ou lá como se chama, de massa de farinheira, produto familiar proveniente da "matação" do bácoro e que até fez "faísca" eheheh
Obigadinho amigo Mike, aquilo era uma delícia mas era só metade, então e a outra!!! Vê lá se não te esqueces na próxima terça, se não a malta fica "augada" eheheh
depois do cafézinho pegámos novamente nas biclas e descemos para o Vale Sando por uma bela e técnica descida para atacarmos depois uma subidita onde no ano passado eu e o Filipe levámos uma tareia dumas abelhinhas bem bravas, mas que felizmente já foram movidas do local, ou então os enxames morreram.
Lá no alto foi pedalar por extenso estradão sempre pela cumeada, até virarmos à esquerda já direccionados ao Barbaído.
Alguma confusão nalguns cruzamentos derivado ao corte das matas de eucaliptos que por ali existiam mas tudo correu bem, lá dei com os trilhos para o Verdelhão.
Já com o arraial à vista virámos novamente à esquerda já direccionado ao centro do Mundo onde pouco tempo depois e após termos molhado os "pézinhos" na ribeira, chegámos e resolvemos parar, só que era difícil encontrar o café da aldeia, bem dissimulado e geminado com a mercearia.
A senhora bastante simpática e admirada de estarmos todos sujos de lama, pois perguntou-nos se também andavamos "à lama" lá nos "aviou" a receita de "sagrespan", dose mini, que me deu novo alento, acompanhada dum delicioso bolinho de mel.
Saímos dali em direcção a Juncal do Campo com a Serra de S. Brás e Serra do Lobo à nossa direita, até à descida para o vale que antecede o Juncal.
Passámos a aldeia e rumámos, desta vez a Caféde pela Lameira do Velho e passando a aldeia sem parar, rumámos às passadouras da Rabaça, onde cruzámos o Rio Ocreza.
Contornámos as Sesmarias para entrar em Alcains pelas Escolas e seguimos para Santa Apolónia pelo caminho do Penedo Furado.
Dalí até à cidade foi rápido, com chegada pelas 12h50 e 66 kms percorridos por belos trilhos e excelente companhia.

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Alvaiade, Perdigão e Vila Velha de Rodão"

Hoje, com um pelotão mais numeroso, fomos tomar o cafézinho matinal à Bolaria Rodense, em Vila Velha de Rodão. Abandonamos a cidade pouco depois das 08h30 e rumamos ao Perdigão, com passagem por Sarnadas de Rodão e Alvaiade. Seguimos depois pela estradinha panorâmica que liga o Perdigão a Vila Velha de Rodão, usufruindo da bonitas paisagens sobre a Serra das Talhadas e Vilas Ruivas. Depois da pequena tertúlia na Bolaria Rodense e já com os níveis repostos, rumamos à cidade, com passagem pelo Coxerro e Sarnadas. Aqui voltamos a encontrar o Joaquim Cabarrão e o Salvado, que deram uma volta mais pequena e juntos seguimos até à entrada da cidade, onde nos voltamos a separar, pois o restante grupo foi pela variante à Carapalha. Numa manhã já bem primaveril, alinharam para esta bonita volta, além de mim, o Jorge Palma, Tó Pinto, Fernando "Caraíbas", Sr. Silva, António Leandro e o João Salavessa.  Foram 75 kms, repletos de divertidas pedaladas, na companhia deste animado grupo de …

"Hoje fomos à romaria"

A manhã acordou hoje límpida e solarenga, num bom incentivo para um bom par de pedaladas asfálticas. Quando saí da garagem já o Álvaro e o Leandro me esperavam. Juntos fomos até à Rotunda das Violetas, ao encontro do Luís Lourenço e do Nuno Eusébio. Pouco depois chegou o Jorge Palma. Para não perder a prática tive ainda que mudar a câmara de ar da minha roda traseira que vinha com um pequeno furo, originado por uma limalha. Já com a "ézinha" pronta a rodar, fizemo-nos à estrada, abandonando a cidade pela Milhã, rumo ao Juncal do Campo pela estradinha panorâmica da Quinta de Valverde. Cruzamos a aldeia e entroncamos na N.12, onde fletimos à direita, rumo ao Padrão, uma pequena aldeia que este fim de semana se encontra engalanada para a festa da Nossa Senhora da Saúde. Entramos na aldeia e fomos tomar o cafezinho matinal no bar junto ao adro da igreja, gentilmente servido por um senhor, creio que festeiro, que fez questão de oferecer os cafezinhos e que agradecemos. Descemos …

"Rota do Bucho/2016"

Pelo segundo ano consecutivo, resolvi editar a Rota do Bucho, com um passeio pelos trilhos de Malpica do Tejo, uma bonita aldeia onde tenho raízes, que termina à mesa com um belo bucho de ossos à boa moda malpiqueira. Convidei um "magote" de amigos, dos quais dezasseis disseram presente. O ponto de reunião, foi desta vez na Pastelaria Cantinho dos Sabores, na Rotunda da Racha, onde tomamos o cafézinho matinal. Pelas 08h20 partimos em pelotão auto rumo a Malpica do Tejo, onde o Rui e a Sandra Tapadas já nos aguardavam. A previsão era de vento forte e alguns aguaceiros e desta vez o S. Pedro não nos "despontou", mandou mesmo umas belas rajadas de vento e umas belas bátegas de água, que nos atingiram por três vezes, um pouco no início desta pequena aventura, sensivelmente a meio, quando estávamos à vista de um local de abrigo, a aldeia de Lentiscais e no final, em jeito de banho. Pelas 09h00, como planeado, abandonávamos a aldeia rumo ao Monte do Couto do Alberto, en…