Avançar para o conteúdo principal

"Pedaladas de Inverno"

Altimetria
Percurso no Google

.o0o.

A chuva chegou e o pó diluíu.
Os até hà bem pouco tempo trilhos poeirentos, deram agora lugar a trilhos lamacentos e mais escorregadios.
Mas tal não me desmotiva, antes pelo contrário, gosto de pedalar em terrenos algo enlameados por serem divertidos e cheios de surpresas.
Hoje e para variar, fui o último a chegar, com um ligeiro atraso relativamente à hora habitual.
à minha espera estavam o FMike, o Filipe e o Fidalgo.
Após alguma indecisão, decidimo-nos pela zona da Lardosa, por ser mais plana e com previsão de menos lama, mas acabámos por mudar de rumo, em direcção à Mata.
Saímos da cidade pelas 08h15, pelo portal do frigorífico e seguímos o caminho mais batido pelos betêtistas cá do burgo em direcção a Santa Apolónia.
Passámos a Estação de Alcains e pedalámos em direcção às hortas de Escalos de Cima, para cruzarmos a N.18.7 e entrarmos nos rápidos estradões para o Ribeiro do Freixo, contudo, resolvemos mais uma vez improvisar e mudar de rumo, desta vez para a Lousa, transpondo mais à frente a N.233.
Na Lousa e mais uma vez batemos com o nariz na porta do bar da União Lousense, pelo que já foi retirado da lista e em sua substituição entrou o "Lazer Café", onde efectuámos a nossa paragem para a bica da ordem, que por sinal estava divinal.
4 clientes a juntar ao "rol".
Já com a "tripinha" aquecida, saímos pela zona do Cemitério (agora denominado condomínio fechado) e fomos ao encontro duns trilhos espectaculares com início na Navancha, mas saímos defraudados.
Os citados trilhos que serpenteavam entre eucaliptal e mimosas, está agora destruído pelo corte da árvores, cuja rama tapa os caminhos, além de se encontrarem em muito mau estado e com regos profundos, derivado à passagem das máquinas de corte e transporte da madeira.
Fiquei deveras decepcionado, pois gostava bastante daquela passagem!!!
Porém, a partir da Mata, a coisa começou a animar com os trilhos que nos levaram à Capa Rota, com passagem nalguns curtos single tracks no Monte Brito e zona termal da Fonte Santa, até entrar em alcatrão para rápidamente chegar a Castelo Branco, pelas 12h05.
O Filipe continuou em alcatrão e nós fizemos um pequeno desvio para ir à "caixa de primeiros socorros" que o Fidalgo tem na garagem para tomar duas doses bebíveis de "Sagrespan" para as cartilagens dos meus joelhos, que secam bastante com a quilometragem a seco. eheheh
-"ando desconfiado, que esta "maleita" é contagiosa, pois hà por aí uma rapaziada a queixar-se do mesmo mal e a apostar na mesma medicação. eheheh". . .
Foram 52 kms percorridos em ritmo invernal, calmo e descontraído e onde a camaradagem e amizade são o elo de ligação a estes já enraízados passeios de Btt.

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC

Comentários

rarn disse…
Bonito, bonito

Depois chamam-lhe medicação...

Já agora, quem é que me passa uma receitinha desse medicamento?

No Domingo, no passeio dos Bombeiros, estava a ver se me curava com uma tal medicação, parecida a essa, e quando me virei já o pessoal tinha zarpado.

Bem, fiz o resto nas calmas, com tais xaropes não há pressas...

Um abraço

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…

"O Trilho da Mina de Ouro do Conhal"

"Só existe um êxito: a capacidade de levar a vida que se quer." (Cristopher Morley) Logo pela manhã, carinha lavada, pequeno almoço tomado ,cafezinho da praxe e na companhia da minha "Maria", fomos até Santana, na aldeia piscatória do Arneiro para uma manhã lúdica e reconfortante pelo Trilho da Mina de Ouro do Conhal. Ajeitei o trilho, cortando a passagem pela cumeada até ao Miradouro da Serrinha e descida acentuada à Foz da Ribeira do Vale.
Saí da aldeia pelo caminho que lá mais à frente ladeia a Ribeira do Vale até á sua foz.
Neste local, onde a ribeira se encontra com o Rio Tejo, formou-se uma ilha a que dão o nome de Cabecinho. Depois de seguir o caminho até à margem do rio, voltamos atrás e fomos até à ilha, passando por duas pontes suspensas, a primeira sobre a Ribeira do Vale e a segunda mais à frente, para ligar à Ilha do Cabecinho. Esta ilha é pequenina . . .uma ilhota, por assim dizer. Nela encontramos uma casa em ruinas, alguns pinheiros e uma mesa e ba…