Avançar para o conteúdo principal

Sarnadas > Pedra da Légua (Alcains)"

Tinha assumido o compromisso com o Carlos Pio do "Papaléguas" para marcar um track de gps de Sarnadas de Rodão a Alcains, que serão certamente os últimos 30 kms para a conclusão do Raid de Btt Cabo da Roca > Alcains, uma parceria dos "Papaléguas" com o Projectobtt, numa distância total de cerca de 360 kms a percorrer em três dias, 22 a 24 do corrente mês.
Aproveitando os passeios domingueiros da malta que se junta na Pires Marques, desta vez, eu, o Filipe, o Jorge Palma, O Fidalgo e o Marcelo fomos até à Pedra da Légua para dar início à marcação do "track".
Cruzámos então a N.18 em direcção ao Penedo Gordo, aproveitando o estradão rolante para descermos para a Ribeira da Líria, que cruzámos, para subirmos para a N.112, que também cruzámos e descermos novamente, desta vez para a Ribeira da Velha, afrontarmos a arfante subida e novamente descermos para a Ribeira da Nave das Enguias e mais uma dura subida para a Quinta da Lomba, já nas imediações das Benquerenças de Cima, que contornámos para entrarmos nas Benquerenças de Baixo e pedalarmos no bonito single track que atravessa parte das Benquerenças Velhas (há quem lhe chame Azinheira), a aldeia inicial, agora em ruinas e de impactante beleza, toda ela em xisto.
Passámos as ruínas e continuámos em direcção ao Canto Redondo para encostarmos algumas centenas de metros à A23 até à passagem inferior para um antigo troço da En.18 e aí cruzar a linha férrea e assim evitar as três paredes existentes na continuação do estradão.
Chegámos à Represa e parámos no "Ramalhete" para o cafézinho matinal, continuando depois em direcção aos Amarelos que contornámos pelo Palheirão entrando na estrada que vai para a Carapetosa, mas em sentido inverso descemos à Estação Ferroviária para apanharmos a passagem superior que nos deu acesso a Sarnadas de Rodão.
Aí fechei o track, logo à entrada da povoação, onde creio que será feita a colagem com o track que já vem de Gavião até Vila Velha e dalí com continuação até Sarnadas pelo amigo António Pequito.
Trabalho concluído, faltava agora regressar a casa.
O Filipe, por compromissos familiares, (qualquer dia) a partir de Sarnadas regressou por alcatrão e nós continuámos, atravessando a povoação até à N.18 e apanhámos o estradão que segue paralelo ao IP.2 até ao Retaxo e subimos às Olelas por um single track onde já não pedalava à bastante tempo para depois nos lançarmos naquela adrenalínica descida até à ponte superior da Via Férrea, que também ladeámos acabando mesmo por a cruzar e continuar pelo antigo troço na N.18 até Castelo Branco.
Hoje a coisa não estava a correr bem, por problemas na minha bike e mais tarde na do Jorge Palma.
A minha continua a falhar na transmissão por desgaste na cassete que continuo a aguardar que chegue à loja, mas deve estar para breve.
O Jorge Palma, foi atacado por algum "VooDoo" misterioso, pois de repente a corrente entortou e dificultava-lhe a pedalada com sucessivas prisões a nível do desviador. Mistério!!!!
Nunca tinha visto coisa assim!!!
Mas os problemas só são realmente graves, quando a gente assim os considera. Com espírito aventureiro e não empolando as situações, acabamos sempre por chegar a casa.
E foi o que aconteceu, culminando pelas 12h00 no Bar da Associação do Valongo com um par de "bjecas" e uma valente "tremoçada" para repor líquidos, a côr não interessa, e hidratos de tremoço, pois "carbo" só nas biclas. eh eh!!!
Depois lá nos espalhámos, cada um para seu lado, procurando um bom banho e uma refeição decente e para os mais zelosos, uma sestinha retemperadora, que Terça Feira é dia de pedalada, pois então!!!
Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC

Comentários

Boas,

Amigo Cabaço, quero deixar aqui, em meu nome e em nome de todos os amigos que ao próximo dia 22 se vão lançar neste "extreme", o meu obrigado.
Sei que após a ida Fátima e logo a seguir esta "seca" não foi pera doce... e ainda por cima quando prometi ir.. e não pude por questões de saúde. Aproveito também para agradecer aos restantes amigos que te acompanharam neste levantamento por GPS... O convite mantém-se para a última etapa! Abraço
(Carlos Pio)

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…