Avançar para o conteúdo principal

"Gavião # Alcains"

No passado dia 24 desloquei-me ao Gavião (Alentejo) a convite do Carlos Pio, que me transportou, assim como a minha bike, para nos juntarmos à malta do ProjectoBtt que partira no dia 22 do Cabo da Roca numa aventura memorável até Alcains numa distância de cerca de 360 kms, repartidos em 3 etapas.

- Cabo da Roca # Santarém.
- Santarém # Gavião.
- Gavião # Alcains.
Juntaram-se aos "projectistas" SS, JorgeMariaBolacha, Peregrino, Angelfish, (o único elemento feminino) Did, PGuedes e Pepe, os Papaléguas de Alcains, José Luís, Carlitos, João Alexandre, Raptor e eu AC, para os acompanharmos na derradeira etapa de Gavião a Alcains.
Chegámos ao Gavião pelas 07h30.
Pouco a pouco a malta foi descendo da Pensão onde estava alojada e foram feitas as apresentações, seguindo-se o pequeno almoço dos projectistas.
Ainda antes da partida foi necessário efectuar alguns ajustes nas máquinas, que já acusavam o desgaste da qulometragem já percorrida e da dureza do terreno derivado ao tempo instável dos dias anteriores que acumulou bastante lama nos trilhos, tornando-os mais pesados e escorregadios.
Tivemos que adiar a partida abrigados na garagem onde pernoitaram as bikes porque entretanto começara a caír uma chuvada, que mais parecia um dilúvio.
Quando abrandou lá nos fizemos aos trilhos num constante fintar de charcos de água e pequenos lamaçais.
Fomos percorrendo kms em trilhos inseridos em zonas de imensa beleza e maioritáriamente sem dificuldades, ou não estivéssemos no Alentejo. O real problema seria quando entrássemos nos trilhos da Beira Baixa, com um perfil mais irregular e pedra mais escorregadia e onde as grandes descidas estão sempre associadas a grandes subidas.
As bikes, na sua maioria, queixavam-se constantemente do acumulado de kms com ruídos e chiadeiras provocados por desgaste de pastilhas de travão e desafinações dos mais diversos componentes.
Pior estava a bike do PGuedes com o veio do link da suspensão traseira partido, obrigando-o a paragens constantes para ajuste dos respectivos parafusos.
Entre boa camaradagem, alegria e boa disposição, lá fomos conquistando kms até chegarmos ao sopé da Serra que nos separava de Vila velha de Rodão, onde nos esperava o retemperador almoço, mas para o conquistar, teriamos primeiro que conquistar um colosso de subida, com uma inclinação XXL e um traçado bastante técnico.
Chegados ao meio daquela parede, concluímos que era impossível a progressão e todos se apearam mais metro menos metro.
Foi então completado aquele sofrimento empurrando as "monturas" barreira acima, onde os últimos metros eram terríveis mesmo a empurrar a bike.
Para culminar a conquista do "cume", o S. Pedro brindou-nos com uma valente descarga de água "diluviana" que nos ensopou até ao "tutano"
Ainda esboçámos abrigar-nos num "jovem" pinhal, mas não havia nada a fazer, não havia onde nos abrigar e a melhor solução era pedalar até Vila Velha que já estava ao nosso alcance e sempre a descer.
Ainda houve um furo na bike de um dos companheiros que teve que substituir a câmara de ar debaixo de chuva.
Descida abaixo foi um salve-se quem puder.
O trilho mal se via debaixo da autêntica ribeira que se formou com as águas pluviais, que desciam rápidas e lamaçentas causando-nos, ora aqui, ora ali, alguns calafrios.
Eu pessoalmente não conseguia "enxergar" nada, pois tinha os óculos embaciados, acabando por os tirar. Depois foi as bátegas de água que batiam nos olhos dificultando-me a visão e para acabar em beleza, acabei por ficar quase sem travões, tendo que reduzir o andamento e apear num ou outro local mais inclinado, pois não conseguia segurar a bike.
Quando chegámos ao Restaurante, a cena foi hilariante com a malta encharcada a entrar no restaurante deixando-o num estado lastimoso. Parecia que tinha sido atingido pelas cheias.
Mas mesmo assim, sentámo-nos à mesa e comemos a nossa merecida refeição.
Uns lançaram-se ao franguinho assado, outros às bifanas e creio que todos se deliciaram com um caldinho verde que aqueceu verdadeiramente o corpo e a alma.
Seguiu-se uma sobremesa e café, pagámos e fizemo-nos aos trilhos, pois a hora já era tardia.
A partir dalí é que a porca torcia o rabo, pois a última metade da etapa era a mais dura.
Após alguns kms planos seguiu-se uma longa subida que nos levou até à Atalaia, nivelando depois até às Sarnadas.
De Sarnadas até Alcains, foi um sobe e desce constante com passagem na bela e já abandonada Aldeia de Benquerenças Velhas e contornando a cidade de Castelo Branco chegámos a Alcains, tendo eu rumado a Castelo Branco à chegada à Pedra da Légua.
Foram 105 kms de bom Btt, na sua verdadeira essência!!!
Depois dum belo banho retemperador juntei-me à malta na Quinta dos pais do Didier em Alcains, onde fomos presenteados por um soberbo repasto que nos deixou a todos deliciados.
À alegria natural, acrescentou-se um pouco de alegria "artificial", fruto da bela pinga que acompanhou todo aquele "manjar" e creio que foi nessa noite que foi batido o recorde dos "vivas".
Houve "vivas" para tudo o que nos veio à lembrança.
Depois dum belo dia de "pedaladas" entre amigos, una noite memorável com um jantar inesquecível.
Obrigado por me terem convidado e deixado partilhar a vossa companhia!!!
Contem comigo quando precisarem!!!
Aguardo com ansiedade a próxima travessia Alcains # Cabo da Roca.

AC
Veja mais em:
Fotos 3ª. Etapa
Gavião # Alcains

Comentários

Olá Amigo AC...

gostei muito de ler o teu "report"... fez-me recordar cada km... e sorri com aquela dos "vivas"... de facto já não sei a quem faltou brindar!...

Obrigado pela tua ajuda e companhia!

Abraço
(Carlos Pio)
LR disse…
Caro AC,
Excelente, a descrição dos "acontecimentos" em mais uma aventura e...viva o BTT!!!
LR
BikesTrilhoseTralhos
Valente disse…
O Report está espectacular.

Permitiu recordar novamente as peripécias da 3ª etapa.

Agrdeço a ajuda na escolha dos trilhos desta etapa.

Agora é começar a pensar na Travessia Alcains-Cabo da Roca - 2009

Cumps, Did.
(Didier Valente)
carlos disse…
Muito Bem Amigo Cabaço..
Bela descrição da etapa em que participámos...
Eu também ADOREI e tb estou decidido a tentar Alcains - Cabo da Roca...

Cumprimentos Betetistas a todos estes Valentões..

Abraço
(Carlos Gonçalves)

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…

"O outro lado da Estrêla"

Uma vez mais, resolvi fazer umas das minhas "voltas vadias", programadas para este ano, que espero mais rico em aventuras lúdicas e de partilha com amigos. Criei um percurso que chamei de "o outro lado da Estrela", pois a nossa querida Serra da Estrela só é conhecida pela maioria da malta pelas " Torres, Adamastores e outros alimentadores de egos". Mas a serra não é só isso, tem o outro lado, bem bonito por sinal, repleto de lindas panorâmicas e bonitas aldeias. Umas históricas, outras não, mas todas elas com encanto e uma história para contar. Juntaram-se à minha ideia, 14 companheiros e amigos, todos eles ávidos de uma boa aventura e bons momentos de convívio e sã camaradagem. Juntámo-nos na Rotunda da Racha, junto à loja do David, a Feelsbike, pelas 07h00, rumando seguidamente ao Vale da Amoreira, onde estabelecemos o "paddock", junto à Casa de Pasto Ideal, para uma reposição calórica e hidratação atempada, logo após a chegada. Saímos para a…