Avançar para o conteúdo principal

"Alcains a sêco"

Depois de umas revigorantes mini-férias, regressei ao meu cantinho e logo no dia seguinte, por ser terça feira, logo, dia de pedaladas, juntei-me ao Filipe, ao F.Mike e ao Marco para mais uma das nossas habituais saídas de Btt.

Fomos então reviver a Mini Maratona de Alcains, fazendo o percurso ao contrário e a sêco, muito diferente do dia em que esta ocorreu.
Num ambiente mais calmo e num manhã explêndida para a prática do Btt, apreciámos de uma outra forma o percurso com que a malta do "Papaléguas" nos brindou e que derivado à intempérie daquele dia, não pôde ser devidamente apreciado.
Belos trilhos e passagens "suí-géneris", como a da Ribeira, agora mais calma e que se pôde cruzar sem molhar o "pézinho".
Partímos então da Pires Marques pelas 08h30, pois esperámos algum tempo pelo Marco, que se atrazou um pouco e rumámos a Alcains para entrarmos nos trilhos da Mini Maratona.
Foi uma volta um pouco atribulada derivado aos furos.
Logo no início e após cruzar a linha férrea, junto à passagem do Portal do Frigorífico, espetei uma cavilha no pneu traseiro, que deixou um rasto verde em seu redor, após ter retidado a dita cavilha.
O líquido, o para mim milagroso "Magic Seal" aguentou o furo durante algum tempo, mas derivado à sua extensão e quando curvava, ou pisava pedra, ia perdendo ar e líquido.
Resolvi então meter um "taco" que resolveu o problema, até que este saltou já no regresso e o pneu ia perdendo ar de vez em quando e borrifando de verde quem se aproximasse.
Com umas bombadas de ar deu perfeitamente para chegar a casa, sem problemas de maior.
O Filipe, que dissera uma "gracinha" quando eu furei, foi castigado, acabando também ele por furar, pelo que até casa cada vez que um parava para dar ar no pneu da bicla, o outro aproveitava para "atestar" também de ar. eh eh!!!
Como se tudo isto não bastasse, a transmissão da minha bike resolveu chatear-me o juízo durante quase todo o trajecto, pois no dia anterior já ao fim da tarde coloquei uma corrente nova e não tomei o devido cuidado com os restantes elementos.
Resultado:. . .corrente nova, cassete velha. . .funcionamento imperfeito!!!
Para terminar em beleza, uma queda "soft" na margem da Barragem da Marateca, para não perder a prática. eh eh!!!
Para conseguir andar tive que fazer quase todo o trajecto na "talega" para manter a corrente mais tensada e não saltar tanto no carreto, o que originou uma volta mais rápida que o esperado.
Acabámos por chegar à cidade com 71 kms percorridos a uma média de 18,6 kms/h.
Como neste grupo não há malta "aborrecida", mesmo nas situações imprevistas e inopinadas, a malta está sempre bem disposta e divertida, pelo que o problema, acaba por não ser problema, mas apenas uma situação que a malta resolve na "cavaqueira".
Chegámos pelas 13h00, apesar de todos os contratempos.

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
Até lá
AC

Comentários

Pinto Infante disse…
Este sábado vais- te lançar na tua devoção anual né? pois desejo -te uma boa e santa viagem, pois vais levar contigo alguns elementos novatos nesta viagem. Coragem para ti e para o resto do grupo.
Abraço e boa sorte.
Pinto Infante

Mensagens populares deste blogue

"Rota do Bucho/2016"

Pelo segundo ano consecutivo, resolvi editar a Rota do Bucho, com um passeio pelos trilhos de Malpica do Tejo, uma bonita aldeia onde tenho raízes, que termina à mesa com um belo bucho de ossos à boa moda malpiqueira. Convidei um "magote" de amigos, dos quais dezasseis disseram presente. O ponto de reunião, foi desta vez na Pastelaria Cantinho dos Sabores, na Rotunda da Racha, onde tomamos o cafézinho matinal. Pelas 08h20 partimos em pelotão auto rumo a Malpica do Tejo, onde o Rui e a Sandra Tapadas já nos aguardavam. A previsão era de vento forte e alguns aguaceiros e desta vez o S. Pedro não nos "despontou", mandou mesmo umas belas rajadas de vento e umas belas bátegas de água, que nos atingiram por três vezes, um pouco no início desta pequena aventura, sensivelmente a meio, quando estávamos à vista de um local de abrigo, a aldeia de Lentiscais e no final, em jeito de banho. Pelas 09h00, como planeado, abandonávamos a aldeia rumo ao Monte do Couto do Alberto, en…

"Hoje fomos à romaria"

A manhã acordou hoje límpida e solarenga, num bom incentivo para um bom par de pedaladas asfálticas. Quando saí da garagem já o Álvaro e o Leandro me esperavam. Juntos fomos até à Rotunda das Violetas, ao encontro do Luís Lourenço e do Nuno Eusébio. Pouco depois chegou o Jorge Palma. Para não perder a prática tive ainda que mudar a câmara de ar da minha roda traseira que vinha com um pequeno furo, originado por uma limalha. Já com a "ézinha" pronta a rodar, fizemo-nos à estrada, abandonando a cidade pela Milhã, rumo ao Juncal do Campo pela estradinha panorâmica da Quinta de Valverde. Cruzamos a aldeia e entroncamos na N.12, onde fletimos à direita, rumo ao Padrão, uma pequena aldeia que este fim de semana se encontra engalanada para a festa da Nossa Senhora da Saúde. Entramos na aldeia e fomos tomar o cafezinho matinal no bar junto ao adro da igreja, gentilmente servido por um senhor, creio que festeiro, que fez questão de oferecer os cafezinhos e que agradecemos. Descemos …

Alvaiade, Perdigão e Vila Velha de Rodão"

Hoje, com um pelotão mais numeroso, fomos tomar o cafézinho matinal à Bolaria Rodense, em Vila Velha de Rodão. Abandonamos a cidade pouco depois das 08h30 e rumamos ao Perdigão, com passagem por Sarnadas de Rodão e Alvaiade. Seguimos depois pela estradinha panorâmica que liga o Perdigão a Vila Velha de Rodão, usufruindo da bonitas paisagens sobre a Serra das Talhadas e Vilas Ruivas. Depois da pequena tertúlia na Bolaria Rodense e já com os níveis repostos, rumamos à cidade, com passagem pelo Coxerro e Sarnadas. Aqui voltamos a encontrar o Joaquim Cabarrão e o Salvado, que deram uma volta mais pequena e juntos seguimos até à entrada da cidade, onde nos voltamos a separar, pois o restante grupo foi pela variante à Carapalha. Numa manhã já bem primaveril, alinharam para esta bonita volta, além de mim, o Jorge Palma, Tó Pinto, Fernando "Caraíbas", Sr. Silva, António Leandro e o João Salavessa.  Foram 75 kms, repletos de divertidas pedaladas, na companhia deste animado grupo de …