quarta-feira, 7 de maio de 2008

"Alcains a sêco"

Depois de umas revigorantes mini-férias, regressei ao meu cantinho e logo no dia seguinte, por ser terça feira, logo, dia de pedaladas, juntei-me ao Filipe, ao F.Mike e ao Marco para mais uma das nossas habituais saídas de Btt.

Fomos então reviver a Mini Maratona de Alcains, fazendo o percurso ao contrário e a sêco, muito diferente do dia em que esta ocorreu.
Num ambiente mais calmo e num manhã explêndida para a prática do Btt, apreciámos de uma outra forma o percurso com que a malta do "Papaléguas" nos brindou e que derivado à intempérie daquele dia, não pôde ser devidamente apreciado.
Belos trilhos e passagens "suí-géneris", como a da Ribeira, agora mais calma e que se pôde cruzar sem molhar o "pézinho".
Partímos então da Pires Marques pelas 08h30, pois esperámos algum tempo pelo Marco, que se atrazou um pouco e rumámos a Alcains para entrarmos nos trilhos da Mini Maratona.
Foi uma volta um pouco atribulada derivado aos furos.
Logo no início e após cruzar a linha férrea, junto à passagem do Portal do Frigorífico, espetei uma cavilha no pneu traseiro, que deixou um rasto verde em seu redor, após ter retidado a dita cavilha.
O líquido, o para mim milagroso "Magic Seal" aguentou o furo durante algum tempo, mas derivado à sua extensão e quando curvava, ou pisava pedra, ia perdendo ar e líquido.
Resolvi então meter um "taco" que resolveu o problema, até que este saltou já no regresso e o pneu ia perdendo ar de vez em quando e borrifando de verde quem se aproximasse.
Com umas bombadas de ar deu perfeitamente para chegar a casa, sem problemas de maior.
O Filipe, que dissera uma "gracinha" quando eu furei, foi castigado, acabando também ele por furar, pelo que até casa cada vez que um parava para dar ar no pneu da bicla, o outro aproveitava para "atestar" também de ar. eh eh!!!
Como se tudo isto não bastasse, a transmissão da minha bike resolveu chatear-me o juízo durante quase todo o trajecto, pois no dia anterior já ao fim da tarde coloquei uma corrente nova e não tomei o devido cuidado com os restantes elementos.
Resultado:. . .corrente nova, cassete velha. . .funcionamento imperfeito!!!
Para terminar em beleza, uma queda "soft" na margem da Barragem da Marateca, para não perder a prática. eh eh!!!
Para conseguir andar tive que fazer quase todo o trajecto na "talega" para manter a corrente mais tensada e não saltar tanto no carreto, o que originou uma volta mais rápida que o esperado.
Acabámos por chegar à cidade com 71 kms percorridos a uma média de 18,6 kms/h.
Como neste grupo não há malta "aborrecida", mesmo nas situações imprevistas e inopinadas, a malta está sempre bem disposta e divertida, pelo que o problema, acaba por não ser problema, mas apenas uma situação que a malta resolve na "cavaqueira".
Chegámos pelas 13h00, apesar de todos os contratempos.

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
Até lá
AC

1 comentário:

Pinto Infante disse...

Este sábado vais- te lançar na tua devoção anual né? pois desejo -te uma boa e santa viagem, pois vais levar contigo alguns elementos novatos nesta viagem. Coragem para ti e para o resto do grupo.
Abraço e boa sorte.
Pinto Infante