Avançar para o conteúdo principal

"A Magia do Btt"

Convívio, amizade, confraternização e puro divertimento, foram os ingredientes que "apaladaram" este passado domingo, lá para os lados da Sertã!!!
Após ter inicialmente declinado este convite feito pelo meu irmão Luís, por estar comprometido com o adiado convívio para as Ferrarias e que era para ter sido também ele um dia para mais tarde recordar, acabou por não se concretizar, por falta de aderência do pessoal, com excepção de um ou dois que não costumam falhar.
Pode-se dizer que este convívio não foi efectuado por falta de "quorum"!!!
Assim, resolvi telefonar ao meu irmão e aceitar o convite para dar umas pedaladas com subida ao Cabeço do Rainho e descida para o Vale do Soto, onde na aldeia de Vale do Soto nos esperavam seis corpulentos "Porcus Mansus", que em movimento circular assavam em outros tantos espetos, onde gradualmente ganhavam aquela cor alourada, que nos faz pecar por "gula"!!!
Vindos de diversas zona, juntaram-se na Avenida da Carvalha, na Sertã, 21 companheiros de todas as profissões e idades, prontos para um mágico dia de Btt, onde a amizade e companheirismo são o mote para este género de eventos, que lentamente vão ganhando terreno à moda "maratonesa" e aos competitivos passeios que em detrimento do convívio até dão a classificação final dos participantes!
Maratonas. Sim!!! . . . Passeios. Sim!!! . . . Competição. Sim!!!. . . Raides. Sim!!! Soft, Extreme ou assim assim, como queiram, mas cada coisa no seu lugar.
Após as apresentações e umas bicas no Bar da Carvalha, toca a carregar as bikes em carrinhas disponibilizadas para o efeito e onde o pessoal, melhor ou pior ajeitado, lá rumou até à Cruz do Seixo para dar início aos primeiros 3,5 kms de subida até ao Observatório do Picoto do Rainho, em plena Serra dos Alvéolos, onde após o forçado aquecimento, pudemos desfrutar de belíssimas paisagens a 360 graus. Soberbo, espectacular!!!
Para quem como eu, gosta de desfrutar a natureza em pleno, foi muito bela a magnitude de todo aquele enquadramento paisagístico.
O pessoal foi chegando ao alto a conta gotas e após algum tempo para repor as energias, os mais rápidos dispararam adrenalina por alí abaixo, secundados pelos não tão rápidos e a fechar todo aquele movimento ondulante e poeirento os restantes, onde me encontrava inserido, pois descer daquela forma é mesmo só para quem sabe ou é "arraçado de kamikaze"!!!
Fique a fechar o grupo com o meu irmão e ainda não tinha decorrido um km quando se deu a primeira baixa com o último do grupo a conseguir acertar com a roda da frente num "calhau" dissimulado no pasto, provocando uma queda aparatosa, felizmente sem consequências graves, além dumas quantas escoriações.
A máquina é ficou incapacitada de prosseguir com as manetes de travão partidas e uma delas, simplesmente desapareceu. Chiça!!! . . . foi cá um malho!!!
Os mais rápidos iam esperando pelos menos rápidos e assim chegámos à pista de Down Hill, que para mim só de olhar para aquelas regueiras e sulcos profundos, fruto da última prova ali disputada, há pouco tempo, até arrepiava.
Mas houve malta que ainda assim tentou fazer o circuito e creio que alguns o fizeram quase na totalidade.
Chegados à Aldeia do Soto, parámos no Café logo à entrada e ali descansámos um pouco apoiados por um par de "bjecas" bem fresquinhas e que limparam o pó acumulado nas gargantas, afinaram as vozes e prepararam os estômagos, pois a festa vinha a seguir!!!
Com as senhas préviamente cedidas a cada elemento do grupo lá entramos de bike no recinto, bem junto ao local onde os porcos estavam a ser assados no espeto e ali "ensarilhámos" as bikes à moda militar e fomos tomando posição para atacar o almoço que já eram bem vindo, não sem antes bebericar mais um par de minis para não deixar aquecer o radiador.
Depois do tabuleiro bem acondicionado com uma grossa e suculenta sopa com uns "topes" de enchido delicioso, um arroz de feijão, batata frita e febras a atestar o prato, pãozinho caseiro, broa e bebida à escolha, acondicionámo-nos num dos cantos do recinto, onde pintámos a manta e despejámos umas grades daquela loira bebida extraída da cevada, tornando o pessoal mais desinibido e alegre. Que dia!!!
Já tudo bem aconchegadinho e até houve quem dormisse a sestinha da ordem, era hora de regressar á base e ainda faltavam uns kms para percorrer de bike.
Lá iniciámos a nossa marcha de regresso, agora por alcatrão, pois o terreno irregular, os regos e as pedras, nesta fase, eram mesmo só para estorvar. . . por isso, nada melhor que alcatrão. . . e até dava para alguns seguirem o risquinho branco junto à berma para manterem a trajectória!!!
A meio do percurso de regresso e à passagem pela Praia Fluvial, ninguém resistiu ao banhinho!!!
Foi um dos momentos altos do dia com diversão a "rodos", com as peripécias da malta nas lides aquáticas.
Ensopadinhos até ao osso, retomámos o regresso agora em ritmo mais pachorrento.

Mais uma derradeira paragem numa outra aldeia, já no alto e antes de descida para a Sertã, para "molhar o bico", a maioria agora com água e outros, fiéis aos seus princípios não abandonaram a "bjecazinha", agora já com um efeito "embaciante"!!!

A chegada à Sertã em paralelo à Ribeira foi espectacular e divertida, acabando o pessoal de novo na Avenida da Carvalha, onde após arrumar as bikes houve tempo ainda para dois dedos de conversa e mais um par de imperiais, que seguramente já dariam para a derradeira viagem até casa.
Foi um dia para mais tarde recordar, onde reví alguns amigos e criei novas amizades, convivi com malta pura e divertida, que pratica esta singela modalidade, que é o btt, nas suas variadas vertentes, mas sempre com um verdadeiro espírito de camaradagem e companheirismo, onde a diversão é coisa fácil!!!
Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC
Galeria de Imagens
Aldeia do Soto/Sertã

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Alvaiade, Perdigão e Vila Velha de Rodão"

Hoje, com um pelotão mais numeroso, fomos tomar o cafézinho matinal à Bolaria Rodense, em Vila Velha de Rodão. Abandonamos a cidade pouco depois das 08h30 e rumamos ao Perdigão, com passagem por Sarnadas de Rodão e Alvaiade. Seguimos depois pela estradinha panorâmica que liga o Perdigão a Vila Velha de Rodão, usufruindo da bonitas paisagens sobre a Serra das Talhadas e Vilas Ruivas. Depois da pequena tertúlia na Bolaria Rodense e já com os níveis repostos, rumamos à cidade, com passagem pelo Coxerro e Sarnadas. Aqui voltamos a encontrar o Joaquim Cabarrão e o Salvado, que deram uma volta mais pequena e juntos seguimos até à entrada da cidade, onde nos voltamos a separar, pois o restante grupo foi pela variante à Carapalha. Numa manhã já bem primaveril, alinharam para esta bonita volta, além de mim, o Jorge Palma, Tó Pinto, Fernando "Caraíbas", Sr. Silva, António Leandro e o João Salavessa.  Foram 75 kms, repletos de divertidas pedaladas, na companhia deste animado grupo de …

"Hoje fomos à romaria"

A manhã acordou hoje límpida e solarenga, num bom incentivo para um bom par de pedaladas asfálticas. Quando saí da garagem já o Álvaro e o Leandro me esperavam. Juntos fomos até à Rotunda das Violetas, ao encontro do Luís Lourenço e do Nuno Eusébio. Pouco depois chegou o Jorge Palma. Para não perder a prática tive ainda que mudar a câmara de ar da minha roda traseira que vinha com um pequeno furo, originado por uma limalha. Já com a "ézinha" pronta a rodar, fizemo-nos à estrada, abandonando a cidade pela Milhã, rumo ao Juncal do Campo pela estradinha panorâmica da Quinta de Valverde. Cruzamos a aldeia e entroncamos na N.12, onde fletimos à direita, rumo ao Padrão, uma pequena aldeia que este fim de semana se encontra engalanada para a festa da Nossa Senhora da Saúde. Entramos na aldeia e fomos tomar o cafezinho matinal no bar junto ao adro da igreja, gentilmente servido por um senhor, creio que festeiro, que fez questão de oferecer os cafezinhos e que agradecemos. Descemos …

"Rota do Bucho/2016"

Pelo segundo ano consecutivo, resolvi editar a Rota do Bucho, com um passeio pelos trilhos de Malpica do Tejo, uma bonita aldeia onde tenho raízes, que termina à mesa com um belo bucho de ossos à boa moda malpiqueira. Convidei um "magote" de amigos, dos quais dezasseis disseram presente. O ponto de reunião, foi desta vez na Pastelaria Cantinho dos Sabores, na Rotunda da Racha, onde tomamos o cafézinho matinal. Pelas 08h20 partimos em pelotão auto rumo a Malpica do Tejo, onde o Rui e a Sandra Tapadas já nos aguardavam. A previsão era de vento forte e alguns aguaceiros e desta vez o S. Pedro não nos "despontou", mandou mesmo umas belas rajadas de vento e umas belas bátegas de água, que nos atingiram por três vezes, um pouco no início desta pequena aventura, sensivelmente a meio, quando estávamos à vista de um local de abrigo, a aldeia de Lentiscais e no final, em jeito de banho. Pelas 09h00, como planeado, abandonávamos a aldeia rumo ao Monte do Couto do Alberto, en…