Avançar para o conteúdo principal

"Domingo primaveril"

Hoje, ao chegar à Pires Marques pelas 08h já sete companheiros do pedal aguardavam com ganas de dar umas pedaladas em manhã primaveril e onde o calor certamente se iria fazer sentir.
Mais dois chegaram entretanto e um deles para pedalar pela primeira vez no nosso grupo, o Nuno (alentejano da Amareleja).
Assim juntaram-se 10 pedalantes nesta manhã domingueira:- AC, Filipe; Marcelo, Nuno Dias, Nuno Maia, Nuno Eusébio, Carlos Sales, João Afonso, Jorge Palma e o Nuno (da Amareleja).
Como não houve sugestões para a volta de hoje, rumámos de novo ao Vale do Ponsul, onde eu pretendia fazer umas pequenas verificações com vista ao Raid AC, agendado para o dia 9 de Novembro.
Logo após termos passado pelo Forninho do Bispo, entrámos num trilho onde a malta gosta de pedalar, mas este agora apresenta-se quase imperceptível e cheio de silvas, bem propício a furos, o que veio a acontecer mais tarde, pois as câmaras de ar das biclas de hoje são quase como os cofres dos bancos, de abertura retardada.
As câmaras de ar furaram à passagem nas silvas mas só começaram as esvaziar alguns kms depois. E esta heim!!!
Além dos furos, apenas dois, um deles deu origem à destruíção de uma válvula tubeless na roda da bike do Nuno Eusébio, depois dumas bombadas vigorosas, estando já mentalizado para chamar a assistência em viagem.
Mas a caixinha milagrosa do AC, até válvulas tubeless tem e o Nuno lá continuou connosco.
Convém não esquecer que além dos furos, as bikes costumam ter outras avarias e por isso, uma válvula tubeless e um ou dois interiores de válvula, não esquecendo um ou dois elos de ligação e umas quantas braçadeiras não pesam assim tanto que não os possamos carregar na mochila.
Depois duma adrenalínica descida, entrámos no Monte Sordo onde encostámos ao Rio Ponsul que ladeámos até às proximidades da Ponte Medieval.
Ladeando também a estrada, cruzámo-la mais à frente para subirmos ao Monte Picado, mas já sem 4 elementos que se renderam à lisura do alcatrão, uns por compromissos e outros por solidariedade para com estes. Digo eu!!!
Após alguns kms em bonitos estradões, chegámos ao "Pescaça" onde nos refrescámos e seguidamente regressámos à cidade pelos trilhos habituais do Monte Chaveiro e Cagavaio que nos dão acesso ao S. Martinho.
Pelas 13h já nos encontrávamos na cidade após 49 divertidos kms em trilhos para todos os gostos, alguns com propriedades depilatórias. eh eh eh!!!
Terça Feira há mais.

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos.
AC

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…