Avançar para o conteúdo principal

"A Marateca do Pinto Infante"

Quem cá do Burgo e redondezas não conhece os passeios pela zona da Albufeira da Barragem de Santa Águeda, vulgo Marateca!! Só quem anda distraído, ou não gosta mesmo de andar de bike!!!
Mais uma vez tive o previlégio de ser um dos cerca de 5o convidados para este passeio à moda antiga, onde a partida é dada com um "vamos lá embora malta" em vez dum painel todo xpto e a toque de corneta, as marcações estão na camisola do companheiro da frente e no colorido do pelotão que segue à nossa frente, nos abastecimentos as bebidas energéticas são substituídas pela energia fornecida pela boa geropiga, o arfar dos andamentos rápidos, os triques e traques das desmultiplicações metidas em esforço e o chega para lá, olha a esquerda e olha a direita, são substituídos pela algazarra proporcionada por um grupo divertido e por uma sã camaradagem, sempre em alegre cavaqueira e inserido numa paisagem que não deixa ninguém indiferente.
A tabela de classificações, bem deixa cá ver!!! Quem foi o primeiro. Alguém reparou quem foi o primeiro?. De facto ninguém sabe, ou não se lembra, pois isso é coisa que não importa.
O que importava realmente era a vontade de chegar bem perto daquela apetitosa malguinha de sopa entulhada no Restaurante "Tá-se Bem" a abrir caminho a um suculento bacalhau assado no forno. Isso sim vale a pena classificar!!!
Mas no meio disto tudo, eu sei quem foi realmente o primeiro. FUI EU!!!
Não é hábito ser o primeiro, nem nunca luto por ser o primeiro nestes passeios, ou melhor, nem sou dotado para ser primeiro nestes eventos, contudo fui o primeiro e pela pior das razões.
Eu até nem queria ser o primeiro e primeiro, porque passei ao lado duma bela geropiga, dum belo abastecimento e duns belos trilhos que nem sequer cheguei a pôr o olho em cima, quanto mais os pneus da bike.
E agora, já que falo em bike, pois claro, perdi tudo isto porque o raio dum pau se enfiou no desviador e torceu a ponteira, pois a dita bike não tem dropout.
E de tal maneira que tive mesmo que recorrer à assistência. Ainda tentámos adaptá-la a single speed e eu que até gosto de dar umas voltas nessa modalidade, mas nem assim. A cassete estava de tal modo apertada com a escora que não conseguia dar ao pedal.
Foi quase com a lágrima no olho que vi os meus companheiros abalarem alegres e divertidos em sentido inverso ao meu. E logo alí a 1500 metros estava a bela geropiga. Um azar nunca vem só.
Bem, lá fui eu até à estrada onde fui recolhido pelo amigo Carlos que me levou até à Lardosa e me deixou junto à minha viatura.
Acabei por ir tomar o banhinho quente a casa e voltar à Lardosa para o almoço de convívio com aquela malta amiga e divertida.
O tempo, o famigerado mau tempo que últimamente me tem acompanhado nas minhas aventuras tinha que aparecer neste bonito passeio, que merecia um belo dia de sol.
Mas nada disso empobreceu ou desclassificou esta iniciativa pela Albufeira da Marateca, Póvoa e Tinalhas, apenas lhe deu outro colorido, um pouco mais cinzento na côr, mas muito mais divertido no que toca a peripécias e pedaladas.
A chuva, apesar das previsões meteorológicas, até nem chateou muito. E no fundo, quem não gosta de chapinhar um pouco na lama e conduzir a bike nestas circunstâncias!!! Poucos, creio eu.
E foram esses poucos, mas mesmo poucos, que hoje fizeram gazeta a esta bonita manhã de Btt, proporcionada pelo Pinto Infante a quem agradeço o convite e espero merecer estar presente na próxima edição.

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Rota do Bucho/2016"

Pelo segundo ano consecutivo, resolvi editar a Rota do Bucho, com um passeio pelos trilhos de Malpica do Tejo, uma bonita aldeia onde tenho raízes, que termina à mesa com um belo bucho de ossos à boa moda malpiqueira. Convidei um "magote" de amigos, dos quais dezasseis disseram presente. O ponto de reunião, foi desta vez na Pastelaria Cantinho dos Sabores, na Rotunda da Racha, onde tomamos o cafézinho matinal. Pelas 08h20 partimos em pelotão auto rumo a Malpica do Tejo, onde o Rui e a Sandra Tapadas já nos aguardavam. A previsão era de vento forte e alguns aguaceiros e desta vez o S. Pedro não nos "despontou", mandou mesmo umas belas rajadas de vento e umas belas bátegas de água, que nos atingiram por três vezes, um pouco no início desta pequena aventura, sensivelmente a meio, quando estávamos à vista de um local de abrigo, a aldeia de Lentiscais e no final, em jeito de banho. Pelas 09h00, como planeado, abandonávamos a aldeia rumo ao Monte do Couto do Alberto, en…

"Hoje fomos à romaria"

A manhã acordou hoje límpida e solarenga, num bom incentivo para um bom par de pedaladas asfálticas. Quando saí da garagem já o Álvaro e o Leandro me esperavam. Juntos fomos até à Rotunda das Violetas, ao encontro do Luís Lourenço e do Nuno Eusébio. Pouco depois chegou o Jorge Palma. Para não perder a prática tive ainda que mudar a câmara de ar da minha roda traseira que vinha com um pequeno furo, originado por uma limalha. Já com a "ézinha" pronta a rodar, fizemo-nos à estrada, abandonando a cidade pela Milhã, rumo ao Juncal do Campo pela estradinha panorâmica da Quinta de Valverde. Cruzamos a aldeia e entroncamos na N.12, onde fletimos à direita, rumo ao Padrão, uma pequena aldeia que este fim de semana se encontra engalanada para a festa da Nossa Senhora da Saúde. Entramos na aldeia e fomos tomar o cafezinho matinal no bar junto ao adro da igreja, gentilmente servido por um senhor, creio que festeiro, que fez questão de oferecer os cafezinhos e que agradecemos. Descemos …

Alvaiade, Perdigão e Vila Velha de Rodão"

Hoje, com um pelotão mais numeroso, fomos tomar o cafézinho matinal à Bolaria Rodense, em Vila Velha de Rodão. Abandonamos a cidade pouco depois das 08h30 e rumamos ao Perdigão, com passagem por Sarnadas de Rodão e Alvaiade. Seguimos depois pela estradinha panorâmica que liga o Perdigão a Vila Velha de Rodão, usufruindo da bonitas paisagens sobre a Serra das Talhadas e Vilas Ruivas. Depois da pequena tertúlia na Bolaria Rodense e já com os níveis repostos, rumamos à cidade, com passagem pelo Coxerro e Sarnadas. Aqui voltamos a encontrar o Joaquim Cabarrão e o Salvado, que deram uma volta mais pequena e juntos seguimos até à entrada da cidade, onde nos voltamos a separar, pois o restante grupo foi pela variante à Carapalha. Numa manhã já bem primaveril, alinharam para esta bonita volta, além de mim, o Jorge Palma, Tó Pinto, Fernando "Caraíbas", Sr. Silva, António Leandro e o João Salavessa.  Foram 75 kms, repletos de divertidas pedaladas, na companhia deste animado grupo de …