quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

"Volta tranquila"

A manhã acordou cinzenta e menos fria que no passado domingo, ainda assim a obrigar a um bom agasalho.
A chuva, essa, ameaçava aparecer a qualquer momento, mas betetista prevenido não sai para os trilhos sem o respectivo "chubasquero" com dizem os nuestros hermanos.
Em mais uma quarta feira de pedaladas, foram 4 os protagonistas que hoje se juntaram para enfrentar esta manhã invernal. AC, Filipe, Carlos Sales e Silvério Correia, um companheiro que pela primeira vez veio pedalar connosco e que espero tenha gostado da nossa companhia.
Hoje a volta mais poderia chamar-se a "Rota dos Caterpillar", tal a quantidade de máquinas com que nos cruzámos nesta manhã de Btt.
Hoje, resolvemos dar umas pedaladas por alguns trilhos por onde já não passávamos há algum tempo, pois ultimamente o Vale do Ponsul e planuras da Lardosa têm sido as nossas escolhas.
Assim, saímos, como quase sempre, pelo portal do frigorífico, onde encontrámos a primeira máquina caterpillar e rumámos ao Aeródromo em direcção ao Monte Brito e Escalos de Baixo.
Verificámos que junto à igreja já se encontrava preparado para a noite da consoada, o madeiro de Natal bem preparado para aquecer os mais friorentos.
Continuámos em direcção à Mata, que contornámos, apontando azimute à zona da Nesvelha para entrarmos seguidamente na Lousa, onde tomámos o cafézinho matinal.
O andamento hoje era tranquilo e a malta lá ía "palrando" contando as suas historietas.
Seguimos depois em direcção à zona das Casinhas, onde apanhámos o estradão que nos conduziu à N.18-7 que cruzámos, continuando pela zona das hortas dos Escalos até chegarmos à Estação de Alcains.
Após passagem pelos subúrbios da Vila entrámos na já sobejamente conhecida quelha que dá acesso às Piscinas, mas desta vez continuámos em direcção à N.233, passando ao lado da conhecida Quinta dos Cavalos entrando depois na zona da Travanca até chegarmos ao Monte S. Luís.
Aqui já chovia e ao mesmo tempo fazia sol, uma bela simbiose, que ainda assim, não dispensava o impermeável.
Atacámos o nosso conhecido "single" ovelheiro até ao pontão do ribeiro da Fonte Santa, onde efectuámos uma breve paragem para umas fotos e em jeito de preparação para a arfante subidinha para a Capa Rota, entrando em asfalto que não mais largámos até à cidade, onde chegámos já com 56 kms percorridos numa bela manhã de Btt apesar de um pouco húmida, mas não muito e em boa camaragem, como é habitual neste grupo de amigos.
Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC

Sem comentários: