Avançar para o conteúdo principal

"Pedalando"

Numa manhã primaveril, propícia a umas boas pedaladas de bike, desporto que nos eleva o espírito e descarrega o stress acumulado dos dias anteriores, agruparam-se na Pires Marques cinco companheiros de pedaladas, ávidos por calcorrear uns quantos trilhos cá do "nosso quintal beirão", onde as bikes vão nascendo e criando raizes, distribuídas pelas variadas modalidades, o que é um bom apanágio para este salutar e lúdico desporto.
Eu AC, Joaquim Cabarrão, FMike, Carlos Sales e João Valente, fomos os protagonistas desta pequena aventura de quarta feira de cinzas.
A idéia para hoje era rever alguns velhos trilhos onde já não passava há bastante tempo e por isso, aproveitei o facto do grupo de hoje ser homogénio para com eles partilhar esta minha vontade.
Saímos da cidade pelas 08h10 com intenção de efectuarmos um circuito com passagem pela Carapetosa e Retaxo.
Com passagem pelo Pereiro, Vale do Romeiro e Quinta de Sto André chegámos ao Monte da Barreira, onde virámos à esquerda para o Formigo e Tapada da Abeceira, virando de novo à esquerda para pedalarmos num constante sobe e desce junto à A23 com passagem pelo Vale da Cruz para atingirmos uma zona menos desgastante que nos levou às Benquerenças e Azinheira.
Nesta abandonada aldeia serpenteámos por uns quantos single tracks bem coloridos pelo verde e tons acastanhados que despontam nesta época do ano criando bonitas paisagens, fazendo-nos sentir priveligiados pelos trilhos que enriquecem este nosso belo recanto, não só aqueles que já conhecemos, mas muitos outros que aguardam que os descubramos e que dia a dia se vão fechando envoltos em matagal sem que possam sentir o peso e o rolar das nossas bikes.
Da Azinheira fiz um desvio dos trilhos que inicialmente tinha delineado, para por proposta do João Valente efectuarmos uma visita ao seu avô e meu ex-companheiro de profissão e aceitarmos também o habitual convite para uma bela jeropiguinha, que o Ti Oliveira tem sempre disponível para a rapaziada.
Quando chegámos à quintarola do Ti Oliveira, na Represa, lá andava ele como de costume na sua labuta hortícula, o seu hóbi de eleição.
Ainda da Represa tomámos a habitual dose de cafeína no "Ramalhete" para voltarmos depois aos trilhos e passando pelo tunel sob a via férrea descemos para o Casal Farinheira pela zona da horta e subímos para o Palheirão, entrando na zona do eucaliptal onde pedalámos uns quantos kms até descermos para a ribeira da Carapetosa numa descida algo inclinada e sem descanso, inicámos a subida para a Aldeia da Carapetosa.
Uma aldeia com um perfil algo atípico com quase uma só rua com casas perfiladas de ambos os lados e com pouca vida.
Dalí rumámos ao Retaxo com passagem junto à Estação de Sarnadas e após passarmos sob o túnel da A23, virámos à esquerda para entrarmos noutro single track até junto da pequena barragem da serração, continuando entre a A23 e o IP2, passando pelos tùneis de ambas para entrarmos em velhos trilhos que nos conduziram ao Retaxo.
Aí subímos para as Olelas com passagem noutro "single" atingindo o Alto das Olelas, onde efectuámos uma pequena paragem no Complexo Turístico para uma foto de grupo e apreciar o explendor daquela bela paisagem com a nossa cidade como pano de fundo.
A descida efectuou-se pela parte mais inclinada e onde a rapaziada delira, continuando em direcção à cidade paralelos à linha férrea até à derradeira paragem no Bar da Associação do Valongo para a "sossegazinha" e dar dois dedos de conversa.
A chegada foi pelas 12h15 com 54 kms percorridos quase sempre com a cidade à vista e inserido num grupo de amigos que, tal como eu, são "amantes do pedal".

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de Mota à Serra da Lousã"

"Penso noventa e nove vezes e nada descubro; deixo de pensar, mergulho em profundo silêncio - e eis que a verdade se me revela."
(Albert Einstein)
Dia apetecível para andar de mota, com algum vento trapalhão durante a manhã, mas que em nada beliscou este esplêndido dia de passeio co amigos. Com concentração marcada para as 08h30 na Padaria do Montalvão, apareceram o José Correia, Rafa Riscado, Carlos Marques e Paulo Santos. Depois do cafezinho tomado acompanhado de dois dedos de conversa, fizemo-nos à estrada, rumo a Pampilhosa da Serra, onde estava programada a primeira paragem. Estacionamos as motas no estacionamento do Pavilhão Municipal e demos um pequeno giro pelo Jardim da Praça do Regionalismo e Praia Fluvial, indo depois comer algo à pastelaria padaria no beco defronte do jardim Abandonamos aquela bonita vila, não sem antes efetuarmos uma pequena paragem no Miradouro do Calvário, com uma ampla visão sobre aquela vila tipicamente serra, cruzada pelo Rio Unhais. Voltamo…

"Trilho das Bufareiras e Penedo Furado"

"Às vezes ouço passar o vento; e só de o ouvir passar, vale a pena ter nascido"
(Fernando Pessoa)
Numa espécie de homenagem ao primeiro dia de primavera, que se apresentou como tal, solarengo e luminoso, fui mais a minha "Maria" fazer um pequeno passeio pedestre, ali para os lados de Vila de Rei. Saímos de casa já com os ponteiros do relógio a aproximarem-se das 09h00 e fomos até à Padaria do Montalvão, onde tomei a matinal dose de cafeína. Seguimos depois para a Praia Fluvial do Penedo Furado, para caminharmos um pouco pelo Trilho das Bufareiras e percorrer os recém inaugurados passadiços do Penedo Furado. Já a manhã ia a meio quando iniciamos a nossa caminhada, que teve inicio na Praia Fluvial, seguindo durante umas centenas de metros a Ribeira de Codes, pelos novos passadiços, até ao pequeno ribeiro da zona das cascatas. São 532 metros lineares, que trazem ainda mais beleza ao local e facilitam o acesso às cascatas. Terminada a passagem pelos passadiços, entramos…