Avançar para o conteúdo principal

"Por Camões e Chão da Vã"

Em mais uma manhã primaveril, eu AC, Pedro Barroca, Nuno Eusébio, Joaquim Cabarrão e Carlos Sales, partimos pelas 08h10 da Pires Marques para mais uma aventura domingueira.
Saímos em direcção à Tapada das Figueiras com azimute marcado para a pitoresca Aldeia de Camões.
Deambulámos por trilhos e veredas pela Senhora de Valverde, Vale da Garzinda e Vale Escudeiro para entrarmos no Palvarinho pelo seu famoso "single".
Parámos no Café da Praça para a dose matinal de cafeína, onde o Pedro, por questões do foro familiar e após ter recebido uma chamada telefónica, teve que nos abandonar e regressar à cidade, com muita pena nossa, pois é um excelente amigo e companheiro.
Sobrou o quarteto que continuou a aventura pedalando agora em direcção ao Salgueiro com passagem pelo Casal da Bica.
Ao atravessar a Aldeia, recordei o estampido feito pelo rebentamento do pneu da bike do Silvério na semana anterior, ao passar no mesmo local.
Desta vez não passei pelo Vale Cimeiro e desci ao ribeiro por trilhos algo enlameados, apanhando mais à frente o estradão para o Chão da Vã, aldeia que pouco depois atingímos após cruzarmos o Rio Tripeiro.
Desta vez não ouve pão quente, nem abastecimento na tasca local e começamos logo a arfante subida e depois de pedalarmos alguns kms pelos vales entre as duas aldeias, descemos em adrenalínica descida para Camões, uma pitoresca aldeia também ela ladeada pelo Tripeiro.
Após cruzarmos o rio junto às "passadouras" continuámos pedalando pelas Alagoas, Rapesão, Regadia Velha, contornando a Aldeia da Serrasqueira pelo Ceperedo Pereiro, descendo seguidamente para a bonita Praia Fluvial do Muro, que antecedeu a subida para o Palvarinho.
Desta vez descemos à ponte de Ferro após nos divertirmos numa vereda dissimulada no matagal que nos levou à descida mais técnica para a referida ponte, onde eu dei um valente "trambolhão" ao pisar um pequeno tronco de sobreiro à saída duma curva, perdendo o controle dianteiro da bike, felizmente sem consequências. (Isto já é carne velha e que já levou muita porrada. eheheh!!!)
Depois da canseira que foi a subida ao Rouxinol, esperava-nos uma grata surpresa. Umas rodelinhas de chouriço e morcela assada, acompanhadas por uma "pinguinha do Cartaxo", que acabou logo com a "chinfrineira" da respiração ofegante da subida. eheheh!!!
Isto proporcionado por alguns amigos que ali preparavam o almoço para uma montaria aos "javardos".
Depois daqueles momentos de oportuna degustação, lá nos despedimos da rapaziada e continuámos a nossa aventura, já na parte final, passando ainda pelo Cabeço da Barreira para entrarmos na cidade pela Cova do Gato pelas 12h30, com 58 kms percorridos en roteiro turístico e bem à nossa moda. Poucas paragens mas oportunas.
Para tirar o gosto do enchido e para o Joaquim não ficar "amuado", lá o acompanhámos ao "Jonas" onde bebemos uma "pretinha" fresca para retirar os resíduos da carne de fumeiro.

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC
Todas as Fotos:-

Comentários

disse…
Como sempre, o Sr. Cabaço encontra lugares lindíssimos e tira umas fotografias bastante elucidativas. É impressionante a quantidade de lugares bonitos que ainda existem por esses trilhos fora.
Boas pedaladas.

Mensagens populares deste blogue

Alvaiade, Perdigão e Vila Velha de Rodão"

Hoje, com um pelotão mais numeroso, fomos tomar o cafézinho matinal à Bolaria Rodense, em Vila Velha de Rodão. Abandonamos a cidade pouco depois das 08h30 e rumamos ao Perdigão, com passagem por Sarnadas de Rodão e Alvaiade. Seguimos depois pela estradinha panorâmica que liga o Perdigão a Vila Velha de Rodão, usufruindo da bonitas paisagens sobre a Serra das Talhadas e Vilas Ruivas. Depois da pequena tertúlia na Bolaria Rodense e já com os níveis repostos, rumamos à cidade, com passagem pelo Coxerro e Sarnadas. Aqui voltamos a encontrar o Joaquim Cabarrão e o Salvado, que deram uma volta mais pequena e juntos seguimos até à entrada da cidade, onde nos voltamos a separar, pois o restante grupo foi pela variante à Carapalha. Numa manhã já bem primaveril, alinharam para esta bonita volta, além de mim, o Jorge Palma, Tó Pinto, Fernando "Caraíbas", Sr. Silva, António Leandro e o João Salavessa.  Foram 75 kms, repletos de divertidas pedaladas, na companhia deste animado grupo de …

"Hoje fomos à romaria"

A manhã acordou hoje límpida e solarenga, num bom incentivo para um bom par de pedaladas asfálticas. Quando saí da garagem já o Álvaro e o Leandro me esperavam. Juntos fomos até à Rotunda das Violetas, ao encontro do Luís Lourenço e do Nuno Eusébio. Pouco depois chegou o Jorge Palma. Para não perder a prática tive ainda que mudar a câmara de ar da minha roda traseira que vinha com um pequeno furo, originado por uma limalha. Já com a "ézinha" pronta a rodar, fizemo-nos à estrada, abandonando a cidade pela Milhã, rumo ao Juncal do Campo pela estradinha panorâmica da Quinta de Valverde. Cruzamos a aldeia e entroncamos na N.12, onde fletimos à direita, rumo ao Padrão, uma pequena aldeia que este fim de semana se encontra engalanada para a festa da Nossa Senhora da Saúde. Entramos na aldeia e fomos tomar o cafezinho matinal no bar junto ao adro da igreja, gentilmente servido por um senhor, creio que festeiro, que fez questão de oferecer os cafezinhos e que agradecemos. Descemos …

"Rota do Bucho/2016"

Pelo segundo ano consecutivo, resolvi editar a Rota do Bucho, com um passeio pelos trilhos de Malpica do Tejo, uma bonita aldeia onde tenho raízes, que termina à mesa com um belo bucho de ossos à boa moda malpiqueira. Convidei um "magote" de amigos, dos quais dezasseis disseram presente. O ponto de reunião, foi desta vez na Pastelaria Cantinho dos Sabores, na Rotunda da Racha, onde tomamos o cafézinho matinal. Pelas 08h20 partimos em pelotão auto rumo a Malpica do Tejo, onde o Rui e a Sandra Tapadas já nos aguardavam. A previsão era de vento forte e alguns aguaceiros e desta vez o S. Pedro não nos "despontou", mandou mesmo umas belas rajadas de vento e umas belas bátegas de água, que nos atingiram por três vezes, um pouco no início desta pequena aventura, sensivelmente a meio, quando estávamos à vista de um local de abrigo, a aldeia de Lentiscais e no final, em jeito de banho. Pelas 09h00, como planeado, abandonávamos a aldeia rumo ao Monte do Couto do Alberto, en…