Avançar para o conteúdo principal

Quarta feira azarenta"

Nesta bonita manhã de quarta feira, que se previa rica em termos de btt, ou não fôssemos ao encontro do amigo Pinto Infante ao Café Tá-Se Bem na Lardosa.
Pois foi, hoje, eu AC, o Filipe, o Carlos Sales e o Pedro Barroca, que se nos juntou na Lardosa, fomos ter com o amigo Pinto Infante para darmos umas "trilhadelas" por aqueles recantos que ele tão bem conhece e que tem sempre como ponto de passagem a bonita bacia hidrográfica de Santa Águeda.
Tomámos a dose matinal de cafeína no já habitual "Tá-se Bem" e partimos à aventura, que desta vez nos levaria ao Casal da Serra, coisa que me surpreendeu, pois o amigo Pinto não é lá de grandes alturas, ou seria o efeito da Serra da Estrela do Domingo transacto, a sua primeira grande conquista.
Na estrada que vai para o Louriçal virámos à direita para um bonito recanto da Barragem e na passagem do ribeiro, num pequeno pontão, eu, que vinha um pouco atrasado, só vejo o Filipe a desaparecer, parecia que tinha sido tragado pela terra, mas que afinal se desiquilibrou no pontão e foi fazer um banho de lama ao leito do ribeiro. Não se magoou sériamente, fruto da sorte que o protegeu nesta queda.
Apenas o susto e duas pequenas escoriações e lá continuámos por belos trilhos guiados com sabedoria pelo Pinto entre pinhais e algumas trialeiras, que nos faziam sentir priveligiados por pedalar por tão belos recantos.
Após um ziguezaguear pela Soalheira rumámos ao Casal da Serra por trilhos entre eucaliptal, onde lá no alto, parámos para descansar um pouco e repor energias comendo algo mais sólido.
Após a foto de grupo tirada pelo Pinto, numa nova modalidade, ou seja na horizontal e com um castiço suporte para a digital, lá encetámos a descida para o Louriçal, em alcatrão, pois não há, ou não é conhecida alternativa.
A descida com uma inclinação razoável e com um par de curvas em gancho convidava a grandes velocidades e o Pedro, o Pinto e o Carlos lançaram-se por alí abaixo como autênticos kamikases.
O Filpe ficou comigo um pouco mais atrás, pois a idade obriga-nos por vezes a alguma moderação e curvar a alta velocidade com pneus com tacos laterais salientes, são um convite a grandes cambalhotas.
E foi o que aconteceu com o Filipe mais uma vez. Ao querer chegar-se aos companheiros da frente deixou embalar demasiado a bike e numa curva e contracurva apertadas, não conseguiu contorná-las acabando por ser cuspido da bike numa queda bastante aparatosa e que poderia ter tido consequências muito mais graves. Muitas escoriações pelo corpo e os calções ficaram quase desintegrados. Uma lição a reter quando descer de bike em asfalto!!!.
As melhoras para o amigo Filipe, que teve que ir ao hospital receber tratamento e tanto quanto sei com uma pintura nova, fica todo catita. Volta depressa e não deixes enferrujar a "Canyon".
O regresso da Lardosa foi pelo mesmo trilho que alí nos levara, mas desta vez efectuámos uma pequena paragem em Alcains para a dose de hidratação, com um par de "pretinhas" que nos auxiliaram a completar os 79 kms da tirada de hoje, ensombrados pelo par de quedas do Filipe.
O próximo domingo vai ser preenchido pela 1ª. Etapa do GR22, de Castelo Novo a Piodão, um osso bem duro de roer, mas que certamente será bem absorvido pela amizade, companheirismo e espírito de aventura dos 5 belos rapazes, que de peito aberto, estão prontos para o que der e vier. Venha lá esse Domingo!!!

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC

Comentários

Pinto Infante disse…
Pois é ontem era mesmo dia de trilhos novos trilhos de baú, mas que azar nos aconteceu!!Um dia destes voltamos lá e espero com melhor sorte para o Filipe, ou para quem vá. Deveras assustador o estado dele, irra...
Boa sorte para Domingo.
Pinto Infante

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de moto pelo Alto Douro Vinhateiro"

"O que é bonito neste mundo, e anima, é ver que na vindima de cada sonho fica a cepa a sonhar outra aventura."
(Miguel Torga)
Com a  excelente companhia dos amigos Luís Miguel, João de Deus e Marta Farias, fomos "desbravar" algumas das encantadoras estradinhas panorâmicas do Alto Douro Vinhateiro.
A saída foi programada para as 07h00 e, já na companhia do Luís Miguel, fomos até Penamacor, onde o João e a Marta já nos aguardavam junto às bombas de combustíveis locais.
Já agrupados rumamos ao norte cruzando Meimoa, Vale da Srª da Povoa, Terreiro das Bruxas, Santo Estevão e Sabugal.
A partir desta vila e com a bonita visão do seu famoso castelo das cinco quinas, entramos em terras de Ribacoa, onde o frescura matinal nos atormentou um pouco e nos fez reconhecer que o verão já lá vai e as temperaturas vão já sofrendo metamorfoses, sobretudo em algumas zonas e, esta é uma delas.
Logo após abandonarmos o Sabugal, viramos à direita para as Quintas de S. Bartolomeu e por Rap…

"Uma visita a Belgais"

Ontem foi dia de passeio asfáltico em solitário e decidi ir fazer uma visita a Belgais.
Apesar da ameaça de chuva da meteorologia, quando espreitei pela janela, o dia estava bastante bonito e solarengo. Bora lá pedalar!!!  Vesti o fatinho de licra e fui buscar a minha "ézinha", que está sempre prontinha para ser montada .  . por mim, claro, nada de confusões!!! Eram 9h00 quando me fiz à estrada em direção aos Escalos de Baixo. Pedalada calma, de cabeça levantada e a apreciar tudo o que se passava em meu redor . . . como eu gosto. Quando chego a casa gosto de ter sempre algo para contar sobre o que vi e não apenas os dados contabilizados pelo meu ciclo computador ou aplicação do telemóvel. Nos Escalos de Baixo parei no Café "O Lanche" e ali bebi o cafezinho matinal, enquanto trocava umas palavras com o João, ficando a saber que o antigo Restaurante "O Chafariz" vai por ele ser reaberto, lá para o final deste mês, início de Novembro, mantendo o belo leitão …

"Asfáltica vadia por terras de Ribacoa"

"Se formos felizes por dentro, nada nos aprisionará por fora"
Ontem e mais uma vez com a agradável companhia do Jorge Varetas, fomos dar uma volta de bicicleta por Terras de Ribacoa, com partida e chegada na bonita vila beirã do Sabugal, situada num pequeno planalto da Serra da Malcata. Com o caudal do Rio Coa a seus pés, acolhe-se à sombra do seu esbelto e forte castelo medieval das 5 quinas, como é conhecido. Pelas 06h30 abandonamos a cidade rumo àquela vila beirã e pelas 08h30 dávamos início à nossa pequena aventura velocipédica rumo às Termas do Cró, com passagem pelas Quintas de São Bartolomeu e Rapoula do Coa. Fomos dar uma espreitadela à fachada das termas recentemente reabilitadas, com hotel, SPA e balneário termal. Fomos depois até Cerdeira do Coa, onde paramos após cruzarmos Peroficó. Não consigo resistir a uma paragem nesta localidade para apreciar aquele encantador local do Rio Noémi e a sua espetacular ponte românica de seis arcos. Tive que mostrar aquele lugar …