Avançar para o conteúdo principal

"Só para chatear o stress"

Depois da excelente e pitoresca aventura de ontem, pela Serra da Gardunha e Cova da Beira, fui hoje dar uma voltinha com a asfáltica, ao jeito de recuperação ativa.
Como leitor habitual do Blog do Cavaca, lembrei-me, que ele hoje vinha cá para as minhas bandas e, como tal, nada melhor para descontrair um pouco, do que fazer uma visita a um amigo. Apesar de só termos "rolado" juntos uma única vez, esta foi intensa e bastante enriquecedora, pela forma como fui recebido e pela explêndida camaradagem que encontrei naquele grupo.
Saí de casa já passava das 08h30 e fiz-me à estrada, com passagem em Escalos de Baixo e Escalos de Cima, até chegar a S. Gens.

A minha "Giant", talvez por a ter preterido nos últimos tempos, pela Trek, não colaborou lá muito bem, com uma prisão no cabo de mudanças, tendo a maioria das vezes de meter mudanças puxando o cabo, lembrando-me os velhos tempos em que as mudanças eram no tubo, junto à testa do quadro. Lá vou ter que lhe dar um pouco de atenção, substituindo cabo e bicha e verificar de onde vêm o problema.

Bem, depois de mais uma tentativa de afinação, em S. Gens, lá me fiz à subida, chegando a S. Miguel D'Acha e, à saída da povoação, virei à esquerda para a Orca e Vale de Prazeres. Lá fui por ali abaixo, em ritmo calmo e apreciando as bonitas paisagens vestidas com as côres outonais e, eis-me a atravessar a ponte sobre a Ribeira do Taveiró. Como não via ninguém, comecei a pensar que se os não encontrasse até ao alto de Vale de Prazeres, viraria à esquerda e regressaria a casa.

Mas, já perto da Orca, lá vejo o amigo Cavaca e o Guilhermino. Depois dos cumprimentos da praxe, juntei-me ao reduzido grupo e com eles pedalei de novo até S. Gens, sempre em amena cavaqueira. Eles continuaram a sua volta programada e eu, regressei a casa, subindo aos Escalos de Cima, virando depois para Alcains e finalmente Castelo Branco, onde cheguei cedo e com 73 kms, pedalados numa bonita manhã outonal.

Fiquem bem.

Vêmo-nos nos trilhos

. . . ou fora deles.
AC

Comentários

Silvério disse…
Hoje, eu e mais alguns companheiros, deste belo desporto/hobby esperavamos encontrar o "desaparecido" Don António no "Continente", mas nem o Sol o levou até lá! Por achar algo estranha a sua ausência, estava para telefonar, mas como antes passei por aqui, fiquei a saber a razão. Considero-a bastante válida porque não pedalou com este covlhanense mas pedalou com conterrâneos seus!
Um grande abraço para todos
Silvério
Anónimo disse…
Meu bom companheiro e amigo, é como realmente diz, foi pouco tempo a pedalar juntos mas bem assinalados. Uma vez mais, e sem o esperar, foram mais uns metritos de pouco mas bom convívio, pena é, que não resida mais perto da Covilhã, ou eu de C. Branco.

Muito agradecido pela companhia, são sempre poucos os que com nós gostam de trocar umas "pedaladas".


Grande abraço, e até uma breve próxima

José Cavaca.

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Mototurismo por "tierras de nuestros hermanos""

"A imaginação é a primeira fonte da felicidade humana"
(Giacomo Leopardi)
Hoje fui fazer um passeio de mototurismo com a agradável companhia do João e da Marta, que vieram do Fundão aos comandos duma bonita e bem cativante Benelli  TRK502.
O ponto de encontro foi nas bombas da Repsol do Lanço Grande, onde atestamos as máquinas e ingerimos a primeira dose matinal de cafeína.
Cerca das 07h30 fizemo-nos à estrada, por Ladoeiro e Zebreira, entrando em Espanha pela pequena fonteira que cruza o Rio Erges junto a Salvaterra do Extremo.
Depois duma pequena paragem para tirar uma foto ao Castillo de Peñafiel, que se ergue altaneiro no cimo de um monte formado por negra e musgosa penedia de abruptos rochedos inacessíveis.
Entramos em Espanha e, à entrada de Zarza la Mayor, viramos à esquerda ao encontro da Ex-A1, em Moraleja, que seguimos até à cidade de Plasencia.
Pelo panorâmico Vale de Jerte fomos até Valdastillas e subimos ao Piornal, pela Sierra de Tormantos, com uma paragem na C…