Avançar para o conteúdo principal

"XIII Peregrinação a Fátima por asfalto"

Pelo 13º ano consecutivo, cumpri a minha peregrinação a Fátima com a minha bike de estrada.
Acompanharam-me este ano os amigos Nuno Eusébio, José Luís, Vasco Sequeira, Martim Lopes, Luís Lourenço, João Afonso, Silvério Correia, Pedro Barroca e o meu irmão Luís.
Saímos pelas o6h30 e apanhámos alguns companheiros que nos esperavam na Avenida do Brasil e junto á Rotunda do Mac Donald's.
Com o grupo já completo, rumámos ao Vale da Mua onde era previsto tomar o cafézinho matinal, mas o  Jorge, ainda tinha o café fechado.
Prosseguimos a nossa peregrinação e fomos então repor as necessidades cafeínicas no Café S. Gens, nas Moitas.
Satisfeitos e com os niveis cafeínicos repostos, continuámos, sempre em alegre cavaqueira e, à entrada do IC8, virámos para a pequena Aldeia de Robalo, nonde nos esperava um singelo abastecimento, para que as "canetas" não vacilassem em direção ao Altar de Fátima.
A chegada este ano foi um pouco mais cedo que em anos anteriores e tivemos que aguardar um pouco pela iguaria principal, as papas de carolo, que pouco depois pousaram na mesa, bastante rudimentar, na nossa pequena adega, onde a malta se reuniu em seu retorno para a degustação.
Um dos momento altos do dia num ambiente alegre e reinadio, não faltando as peripécias dos dois principais "entertainers" do dia . . . o Silvério e o José Luís.
A partir daqui o grupo tornou-se ainda mais alegre, vá-se lá saber porquê e a boa disposição acompanhou-nos km após km até ao final.
Depois das depedidas no Robalo, seguimos para Vila de Rei e descemos ao Rio Zêzere, onde fizemos uma breve paragem para apreciar aquela bonita paisagem proporcionada pelo rio.
Subimos a Ferreira do Zêzere e efetuámos nova paragem na Padaria/Pastelaria Rosa  para um cafézinho e um bolinho, para nos dar ânimo até ao santuário.
Continuámos depois a nossa peregrinação e passámos pela sempre bonita cidade de Tomar, ladeando um pouco o Rio Nabão e o bonito Jardim de Tomar, tomando seguidamento o rumo a Ourém, cidade que cruzámos pelo seu mau piso, que assim se mantém há anos.
Já estávamos perto do nosso objetivo.
Em Pinhel, virámos à esquerda e um pouco mais à frente entrámos na estrada que nos conduziu a Fátima por Alvega.
A chegada, como tem sido sempre, foi com o habitual sacrifíco da subida do Boi Negro, e que para mim, assim sempre se chamará, apesar de no seu início, a imagem deste vigoroso animal ter sido substituida por um bote.
Mais um ano e mais uma vez acompanhado de amigos que muito valorizaram esta minha obstinação anual e todos eles concluiram esta peregrinação.
Destaco aqui o esforço e a força de vontade do amigo Nuno Eusébio, um bom companheiro de pedaladas, que, tendo sido há pouco tempo sido vítima dum brutal acidente de viação, teve uma boa recuperação e, apesar de por tal motivo ter estado arredado das suas bikes, consegui com bastante esforço concluir a sua peregrinação. A ele um abraço especial.
Também ao Luís Lourenço, pela sua primeira peregrinação por estrada, pois estava com um pouco receoso da quilometragem, a que não estava habituado, mas que também ele concluiu sem problemas de maior.
A chegada, foi como sempre, com uma grande manifestação de alegria e que este ano, terminou com com a malta e familiares que connosco se juntaram, numa bonita tertúlia, numa das mesas do parque nº2, onde comemos bebemos e confraternizámos.
No final, cada um rumou ao seu destino.
Um abraço a todos e obrigado pela vossa companhia.




Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos,
ou fora deles.
AC

Comentários

João Afonso disse…
"obrigado pela vossa companhia" digo eu. Foi a 1ª vez que fiz o percurso Castelo Branco-Fátima em Grupo (só o tinha feito 1 vez, e a solo) (gostei mais assim) pelo facto espero marcar presença nas próximas edições. 1 abraÇo.
Silvério disse…
Mais uma peregrinação a Fátima, desta vez com as nossas “Amantes Elegantes”!
Uma dezena de Amigos reuniram-se Pelo Puro Prazer de Pedalar e pelo objectivo de prestar, uma vez mais, uma homenagem a Nossa Senhora de Fátima. Este ano, por coincidência, ainda mais elevada por ser o dia da MÃE, uma SENHORA sempre presente nas nossas vidas e um facto que ninguém esqueceu!
Esta peregrinação/passeio aconteceu num clima de permanente harmonia e boa disposição, responsabilidade de TODOS os participantes, dos que a fizeram a pedalar, dos que simplesmente nos acompanharam e também da Família Cabaço, que mais uma vez nos receberam em sua casa para nos reconfortar com a sua habitual simpatia, deliciosas iguarias e uma importante reposição de “líquidos”, com cinco litros de um “néctar caseiro” (sumo de uva), que eu classifico de Muito Bom!
No final, e já no Santuário de Fátima, o habitual piquenique, tipo cereja no topo do bolo, em que a boa disposição se manteve e momentos de saudável convívio ficam registados na mente de todos. Deste piquenique fizeram parte iguarias que me levaram a chegar a casa, em conjunto com as anteriores, com quase mais 2 KG (???) do que aqueles com que saí!!! Para além de mais 5 litros do tal néctar, embora fosse tudo muito bom, vou destacar três especialidades que rechearam a mesa, duas da Sertã, os famosos Bucho e Maranho, e uma de Castelo Branco, o não menos famoso e delicioso Queijo de Ovelha!
Com a fasquia colocada a um nível destes, na próxima temo um grande desafio pela frente! É que atletas procuram incessantemente a melhoria contínua!
Obrigado a TODOS e GRANDE Abraço e até à próxima!
Silvério
P.S. Um abraço especial para o Nuno Eusébio pelo excelente desempenho após a paragem forçada e outros para o Luís Lourenço, "o estreante" nesta classe de distancias!
Anónimo disse…
Ja vi que correu bem, eu com inveja,pra proxima....Grande abraço. ROXO

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…

"O outro lado da Estrêla"

Uma vez mais, resolvi fazer umas das minhas "voltas vadias", programadas para este ano, que espero mais rico em aventuras lúdicas e de partilha com amigos. Criei um percurso que chamei de "o outro lado da Estrela", pois a nossa querida Serra da Estrela só é conhecida pela maioria da malta pelas " Torres, Adamastores e outros alimentadores de egos". Mas a serra não é só isso, tem o outro lado, bem bonito por sinal, repleto de lindas panorâmicas e bonitas aldeias. Umas históricas, outras não, mas todas elas com encanto e uma história para contar. Juntaram-se à minha ideia, 14 companheiros e amigos, todos eles ávidos de uma boa aventura e bons momentos de convívio e sã camaradagem. Juntámo-nos na Rotunda da Racha, junto à loja do David, a Feelsbike, pelas 07h00, rumando seguidamente ao Vale da Amoreira, onde estabelecemos o "paddock", junto à Casa de Pasto Ideal, para uma reposição calórica e hidratação atempada, logo após a chegada. Saímos para a…