Avançar para o conteúdo principal

"Uma aventura transibérica"

Já há algum tempo que tinha planeado esta aventura transibérica por asfalto. Já tinha inclusive lançado o desafio a um ou outro companheiro, mas por este, ou por aquele motivo, a "coisa" não aconteceu!
Este ano anda aí uma rapaziada a criar "endurance" para participar no Sky Road na Lousã e falei-lhes deste percurso. Ontem foi o dia D.
Eu, o Nuno Maia, o Rui Salgueiro e o Vasco Soares fizemo-nos à estrada pelas 07h de ontem em busca de aventura e evasão, entrando em Espanha pela Barragem de Cedillo e regressando a Portugal pela Barragem de Alcântara.
Com o fresquinho da manhã a "clamar" pelos manguitos que ficaram em casa, descemos a Vila Velha de Rodão e parámos na Bolaria Rodense, para o cafezinho da manhã acompanhado por um salgadinho.
Subimos a serra e descemos para a Vinagra, continuando por S. Simão e Salavessa para entrarmos em Montalvão, onde fizemos nova paragem no Restaurante o Rei do Camarão para comer umas sandes e nos despedirmos da comida portuguesa.
Seguimos em direção à Barragem de Cedillho que cruzámos sob o olhar atento do guarda que não autoriza ninguém a por o pé no chão nos passadiços da barragem. Apenas a passagem de viaturas é autorizada e em época sazonal.
Subimos a Serra de San Pedro e continuámos até à Aldeia de Cedillo que ladeámos, continuando até Santiago de Alcântara pelas áridas "dehesas extremeñas"
Parámos no largo junto à igreja e no bar La Plaza refrescámo-nos com um par de "jarritas de caña com limón" acompanhadas de "unos pinchos" para empurrar a coisa.
Já sequiados continuámos a nossa aventura pedalando por ondulantes e longas retas de asfalto, passando por Carbajo até chegarmos a Membrio, onde efetuámos a paragem para almoço no Mesón Fortuna.
Com uns belos "bocadillos de lomo caliente e unas jarras de cerveza com limón" ficámos de novo OK e prontos para continuar.
A travessia de "las dehesas de Brozas" foi uma passagem um pouco cansativa pela imensidão de terreno árido que mais se assemelhava a um deserto.
Valeu-nos a bonita passagem pelo Rio Salor com a sua bonita ponte medieval e a bonita visão de alguns veados um pouco mais à frente.
Foram kms de pedaladas em linha reta ondulante até chegarmos a cruzamento com a EX.207 para Alcântara.
Aqui fizemos nova paragem no café da praça para nos refrescarmos, descendo seguidamente á imponente ponte romana que cruza o Rio Tejo, logo após o paredão da barragem.
Ali estivemos um pouco registando o momento com as digitais e continuámos em direção a Piedras Albas, o derradeiro "poblado", antes de entrarmos em Portugal.
Cruzámos a fronteira em Segura e ainda com uma boa pedalada continuámos até à Zebreira para uma nova paragem para beber algo fresco e atestar bidons.
Ladoeiro foi o nosso próximo destino e feita a última subida do dia, a Monheca, passámos Escalos de Baixo para pedalar os derradeiros kms e entrar na cidade radiantes, após uma boa aventura transibérica, que culminou com 231 kms pedalados em grupo e em excelente harmonia.
Rapaziada animada e de boa companhia, fizeram com que esta aventura se concretizasse, contribuindo para mais um excelente dia de pedaladas.
No final, uma paragem na Esplanada das Laranjeiras, foi a sossega e a despedida, com a promessa de novas aventuras.

Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…