Avançar para o conteúdo principal

"Uma visita à antiga Egitânea"

Civitas Igaeditanorum > Egitânea > Exitânea > Idanha-a-Velha
Conhecida pela sua beleza natural e pelos vestígios históricos que encerra, a aldeia de Idanha-a-Velha (sede do concelho), no Distrito de Castelo Branco, província da Beira Baixa.
Idanha-a-Velha surge dentro de uma longa curva do Rio Ponsul, no mesmo lugar, existiu em tempos uma cidade romana (Sec I a.C.) chamada Civitas Igaeditanorum. No período visigótico chamou-se "Egitânea", foi depois a "Exitânea" dos muçulmanos e por fim Idanha. 
Encontram-se na sua área documentos do paleolítico, da cultura megalítica e castreja, seguindo-se a romanização. Mais tarde passou a ser Diocese sueva e a seguir sofreu a destruição muçulmana.
Veio a reconquista e a sua doação aos Templários. Em 1510 Manuel I mandou restaurar a antiga Sé que se encontrava em parte por terra. Da época romana ainda existe uma parte das muralhas, uma torre semicilíndrica e uma grande porta que estava soterrada.
Diz-se que Idanha-a-Velha foi a terra de nascimento do rei visigótico Wamba e foi bispado até 1199.
Pode ver-se o pelourinho e a igreja matriz renascentista. Perto pode ver-se a torre dos Templários.
Hoje foi dia de visita a uma das mais bonitas aldeias do concelho, pela sua beleza natural e vestígios históricos que remontam ao período romano . . . Idanha-a-Velha.
Na companhia dos amigos António Leandro e Pedro Roxo, saímos da Rotunda da Racha pelas 07h30 rumo àquela que foi a antiga capital da Egitânea.
Em pedalada animada e aproveitando a frescura matinal seguimos por Escalos de Cima e S. Gens parando na aldeia de S. Miguel d'Acha, na padaria/pastelaria, para a matinal dose de cafeína acompanhando um saboroso pastel de nata.
A frescura que caracterizava a manhã foi-se dissipando enquanto pedalávamos em direção a Pedrogão de S. Pedro.
Com a aldeia à vista, onde sobressaía o seu conhecido depósito, virámos à direita, para uma panorâmica estradinha que pela aldeia da Bemposta nos conduziu à aldeia dos balcões, a também bonita Medelim.
Parámos no fontanário junto à igreja matriz para os atestar bidons com a sua água choca, apenas por prevenção e até que encontrássemos outra fonte de água mais fresca.
Seguimos depois em direção ao item principal do nosso percurso de hoje a histórica aldeia de Idanha-a-Velha.
Parámos no bar junto ao pelourinho e bebemos uma bebida fresca. Passeámos depois calmamente pelas antigas ruas da aldeia, com visita a alguns dos seus lugares com história registando fotograficamente alguns momentos.
Encantados com a visita, voltámos ao "pedal" seguindo em direção a Alcafozes.
Adiámos a visita a esta aldeia e na rotunda que a antecede virámos para a Sra da Graça, parando na Fonte dos Tourinhos para renovar a água dos bidons, agora mais fresquinha.
De S. Gens seguimos para o Ladoeiro e tomámos o azimute à cidade, com passagem por Escalos de Baixo.
Após 104 divertidos kms, hoje um pouco dedicados à cultura e à história, parámos na esplanada do Café Lusitano para saborear uma última bebida fresca e dar dois dedos de conversa.
O Pedro Roxo com horário apertado seguiu logo para casa, mas foi pouco depois substituído pelo Zé Luís que regressava à Lardosa após uma volta com a sua "finória".

Fez-me um pouco de companhia enquanto bebericava uma coca e despedimo-nos com um "até à próxima"!
Mais uma manhã desportiva onde o lazer e o convívio dão vida a este "corpinho" ainda com pouca vontade de encostar às "boxes".
 
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de moto pelo Alto Douro Vinhateiro"

"O que é bonito neste mundo, e anima, é ver que na vindima de cada sonho fica a cepa a sonhar outra aventura."
(Miguel Torga)
Com a  excelente companhia dos amigos Luís Miguel, João de Deus e Marta Farias, fomos "desbravar" algumas das encantadoras estradinhas panorâmicas do Alto Douro Vinhateiro.
A saída foi programada para as 07h00 e, já na companhia do Luís Miguel, fomos até Penamacor, onde o João e a Marta já nos aguardavam junto às bombas de combustíveis locais.
Já agrupados rumamos ao norte cruzando Meimoa, Vale da Srª da Povoa, Terreiro das Bruxas, Santo Estevão e Sabugal.
A partir desta vila e com a bonita visão do seu famoso castelo das cinco quinas, entramos em terras de Ribacoa, onde o frescura matinal nos atormentou um pouco e nos fez reconhecer que o verão já lá vai e as temperaturas vão já sofrendo metamorfoses, sobretudo em algumas zonas e, esta é uma delas.
Logo após abandonarmos o Sabugal, viramos à direita para as Quintas de S. Bartolomeu e por Rap…

"Uma visita a Belgais"

Ontem foi dia de passeio asfáltico em solitário e decidi ir fazer uma visita a Belgais.
Apesar da ameaça de chuva da meteorologia, quando espreitei pela janela, o dia estava bastante bonito e solarengo. Bora lá pedalar!!!  Vesti o fatinho de licra e fui buscar a minha "ézinha", que está sempre prontinha para ser montada .  . por mim, claro, nada de confusões!!! Eram 9h00 quando me fiz à estrada em direção aos Escalos de Baixo. Pedalada calma, de cabeça levantada e a apreciar tudo o que se passava em meu redor . . . como eu gosto. Quando chego a casa gosto de ter sempre algo para contar sobre o que vi e não apenas os dados contabilizados pelo meu ciclo computador ou aplicação do telemóvel. Nos Escalos de Baixo parei no Café "O Lanche" e ali bebi o cafezinho matinal, enquanto trocava umas palavras com o João, ficando a saber que o antigo Restaurante "O Chafariz" vai por ele ser reaberto, lá para o final deste mês, início de Novembro, mantendo o belo leitão …

"Asfáltica vadia por terras de Ribacoa"

"Se formos felizes por dentro, nada nos aprisionará por fora"
Ontem e mais uma vez com a agradável companhia do Jorge Varetas, fomos dar uma volta de bicicleta por Terras de Ribacoa, com partida e chegada na bonita vila beirã do Sabugal, situada num pequeno planalto da Serra da Malcata. Com o caudal do Rio Coa a seus pés, acolhe-se à sombra do seu esbelto e forte castelo medieval das 5 quinas, como é conhecido. Pelas 06h30 abandonamos a cidade rumo àquela vila beirã e pelas 08h30 dávamos início à nossa pequena aventura velocipédica rumo às Termas do Cró, com passagem pelas Quintas de São Bartolomeu e Rapoula do Coa. Fomos dar uma espreitadela à fachada das termas recentemente reabilitadas, com hotel, SPA e balneário termal. Fomos depois até Cerdeira do Coa, onde paramos após cruzarmos Peroficó. Não consigo resistir a uma paragem nesta localidade para apreciar aquele encantador local do Rio Noémi e a sua espetacular ponte românica de seis arcos. Tive que mostrar aquele lugar …