Avançar para o conteúdo principal

"Uma visita à antiga Egitânea"

Civitas Igaeditanorum > Egitânea > Exitânea > Idanha-a-Velha
Conhecida pela sua beleza natural e pelos vestígios históricos que encerra, a aldeia de Idanha-a-Velha (sede do concelho), no Distrito de Castelo Branco, província da Beira Baixa.
Idanha-a-Velha surge dentro de uma longa curva do Rio Ponsul, no mesmo lugar, existiu em tempos uma cidade romana (Sec I a.C.) chamada Civitas Igaeditanorum. No período visigótico chamou-se "Egitânea", foi depois a "Exitânea" dos muçulmanos e por fim Idanha. 
Encontram-se na sua área documentos do paleolítico, da cultura megalítica e castreja, seguindo-se a romanização. Mais tarde passou a ser Diocese sueva e a seguir sofreu a destruição muçulmana.
Veio a reconquista e a sua doação aos Templários. Em 1510 Manuel I mandou restaurar a antiga Sé que se encontrava em parte por terra. Da época romana ainda existe uma parte das muralhas, uma torre semicilíndrica e uma grande porta que estava soterrada.
Diz-se que Idanha-a-Velha foi a terra de nascimento do rei visigótico Wamba e foi bispado até 1199.
Pode ver-se o pelourinho e a igreja matriz renascentista. Perto pode ver-se a torre dos Templários.
Hoje foi dia de visita a uma das mais bonitas aldeias do concelho, pela sua beleza natural e vestígios históricos que remontam ao período romano . . . Idanha-a-Velha.
Na companhia dos amigos António Leandro e Pedro Roxo, saímos da Rotunda da Racha pelas 07h30 rumo àquela que foi a antiga capital da Egitânea.
Em pedalada animada e aproveitando a frescura matinal seguimos por Escalos de Cima e S. Gens parando na aldeia de S. Miguel d'Acha, na padaria/pastelaria, para a matinal dose de cafeína acompanhando um saboroso pastel de nata.
A frescura que caracterizava a manhã foi-se dissipando enquanto pedalávamos em direção a Pedrogão de S. Pedro.
Com a aldeia à vista, onde sobressaía o seu conhecido depósito, virámos à direita, para uma panorâmica estradinha que pela aldeia da Bemposta nos conduziu à aldeia dos balcões, a também bonita Medelim.
Parámos no fontanário junto à igreja matriz para os atestar bidons com a sua água choca, apenas por prevenção e até que encontrássemos outra fonte de água mais fresca.
Seguimos depois em direção ao item principal do nosso percurso de hoje a histórica aldeia de Idanha-a-Velha.
Parámos no bar junto ao pelourinho e bebemos uma bebida fresca. Passeámos depois calmamente pelas antigas ruas da aldeia, com visita a alguns dos seus lugares com história registando fotograficamente alguns momentos.
Encantados com a visita, voltámos ao "pedal" seguindo em direção a Alcafozes.
Adiámos a visita a esta aldeia e na rotunda que a antecede virámos para a Sra da Graça, parando na Fonte dos Tourinhos para renovar a água dos bidons, agora mais fresquinha.
De S. Gens seguimos para o Ladoeiro e tomámos o azimute à cidade, com passagem por Escalos de Baixo.
Após 104 divertidos kms, hoje um pouco dedicados à cultura e à história, parámos na esplanada do Café Lusitano para saborear uma última bebida fresca e dar dois dedos de conversa.
O Pedro Roxo com horário apertado seguiu logo para casa, mas foi pouco depois substituído pelo Zé Luís que regressava à Lardosa após uma volta com a sua "finória".

Fez-me um pouco de companhia enquanto bebericava uma coca e despedimo-nos com um "até à próxima"!
Mais uma manhã desportiva onde o lazer e o convívio dão vida a este "corpinho" ainda com pouca vontade de encostar às "boxes".
 
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de Mota à Serra da Lousã"

"Penso noventa e nove vezes e nada descubro; deixo de pensar, mergulho em profundo silêncio - e eis que a verdade se me revela."
(Albert Einstein)
Dia apetecível para andar de mota, com algum vento trapalhão durante a manhã, mas que em nada beliscou este esplêndido dia de passeio co amigos. Com concentração marcada para as 08h30 na Padaria do Montalvão, apareceram o José Correia, Rafa Riscado, Carlos Marques e Paulo Santos. Depois do cafezinho tomado acompanhado de dois dedos de conversa, fizemo-nos à estrada, rumo a Pampilhosa da Serra, onde estava programada a primeira paragem. Estacionamos as motas no estacionamento do Pavilhão Municipal e demos um pequeno giro pelo Jardim da Praça do Regionalismo e Praia Fluvial, indo depois comer algo à pastelaria padaria no beco defronte do jardim Abandonamos aquela bonita vila, não sem antes efetuarmos uma pequena paragem no Miradouro do Calvário, com uma ampla visão sobre aquela vila tipicamente serra, cruzada pelo Rio Unhais. Voltamo…

"Trilho das Bufareiras e Penedo Furado"

"Às vezes ouço passar o vento; e só de o ouvir passar, vale a pena ter nascido"
(Fernando Pessoa)
Numa espécie de homenagem ao primeiro dia de primavera, que se apresentou como tal, solarengo e luminoso, fui mais a minha "Maria" fazer um pequeno passeio pedestre, ali para os lados de Vila de Rei. Saímos de casa já com os ponteiros do relógio a aproximarem-se das 09h00 e fomos até à Padaria do Montalvão, onde tomei a matinal dose de cafeína. Seguimos depois para a Praia Fluvial do Penedo Furado, para caminharmos um pouco pelo Trilho das Bufareiras e percorrer os recém inaugurados passadiços do Penedo Furado. Já a manhã ia a meio quando iniciamos a nossa caminhada, que teve inicio na Praia Fluvial, seguindo durante umas centenas de metros a Ribeira de Codes, pelos novos passadiços, até ao pequeno ribeiro da zona das cascatas. São 532 metros lineares, que trazem ainda mais beleza ao local e facilitam o acesso às cascatas. Terminada a passagem pelos passadiços, entramos…