Avançar para o conteúdo principal

"Betêtada domingueira"

Aos domingos é quase sempre dia de betêtada.
Pelas 08h00 lá estava eu, o Álvaro Lourenço, o Pedro Antunes e o Abílio Fidalgo, a tomar o cafezinho matinal no Café Sical, nas Docas.
Hoje entregamos "a pasta" ao Abílio que foi passear a malta, com direito a SPA. (banhinho de lama)
Abandonamos as Docas em direção à Fonte Santa e com passagem pelo Monte S. Luís e Balorca, chegámos aos Escalos de Baixo, onde umas pinguitas começaram a apoquentar a malta, pois só o Fidalgo levava capa para a água.
Mais uma gafe dos serviços de meteorologia, que apontavam para hoje ausência de chuva e dando sol para todo o país.
Passamos a aldeia e seguimos para a Lousa, com passagem na extrema do Vale Silveira e pelos Penedos Furados.
Já na Lousa, fomos até ao Café Quazidez, no jardim defronte da igreja e por ali estivemos entretidos bebericando umas bebiditas, aguardando que a chuva parasse, pois tinha começado a cair com mais força.
Alguns momentos de indecisão . . . voltamos, continuamos, como é!
Com o céu um pouco mais claro para os lados da Lardosa, levou-nos a decidir continuar . . . e ainda bem!
Livramo-nos da chuva e continuamos a nossa passeata.
Abandonamos a aldeia e seguimos para o Vale do Freixo, fletindo depois à esquerda depois de passar a ribeira, subindo ao VG do Vale do Asno.
Não chegamos a entrar na Lardosa e contornamos a Seixeira para tomar o azimute a Alcains, com passagem pela Folha da Lardosa e Pôr da Vaca.
Em Sta Apolónia decorria o Alcains Cross Run, com participação da malta do CB running, mas não nos detivemos, apenas uma ligeira paragem e seguimos em direção à cidade, pela Atacanha, onde chegamos pelas 12h15, com 60 enlameados kms, numa manhã divertida e na companhia de alguns amigos.
A abaladiça da praxe, deu-se no Café "O Lusitano" e depois de um "até á próxima", fomos ao banhinho quente e almocinho retemperador.
 
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Mototurismo por "tierras de nuestros hermanos""

"A imaginação é a primeira fonte da felicidade humana"
(Giacomo Leopardi)
Hoje fui fazer um passeio de mototurismo com a agradável companhia do João e da Marta, que vieram do Fundão aos comandos duma bonita e bem cativante Benelli  TRK502.
O ponto de encontro foi nas bombas da Repsol do Lanço Grande, onde atestamos as máquinas e ingerimos a primeira dose matinal de cafeína.
Cerca das 07h30 fizemo-nos à estrada, por Ladoeiro e Zebreira, entrando em Espanha pela pequena fonteira que cruza o Rio Erges junto a Salvaterra do Extremo.
Depois duma pequena paragem para tirar uma foto ao Castillo de Peñafiel, que se ergue altaneiro no cimo de um monte formado por negra e musgosa penedia de abruptos rochedos inacessíveis.
Entramos em Espanha e, à entrada de Zarza la Mayor, viramos à esquerda ao encontro da Ex-A1, em Moraleja, que seguimos até à cidade de Plasencia.
Pelo panorâmico Vale de Jerte fomos até Valdastillas e subimos ao Piornal, pela Sierra de Tormantos, com uma paragem na C…

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…