sábado, 22 de novembro de 2014

"Com as "finórias" pelas Atalaias"

Depois de uns dias de retiro espiritual e gastronómico por terras alentejanas de vincada tradição vinícola, banhadas pela enorme e tentacular Barragem do Alqueva bordejada de imaculadas aldeias ribeirinhas com as suas singelas casas caiadas de branco, com os socos e cercaduras coloridos, os tradicionais barrões, maioritariamente a azul ou amarelo, voltei ao burgo e às rotinas que vou tentando quebrar quando posso.
Necessito de vez em quando destas pequenas fugas ao quotidiano, para carregar baterias, descarregar maleitas e excomungar os venenos contraídos pelo stress e maledicências.
Foi bom. Cheguei parcialmente "reprogramado" e com uma grande vontade de dar umas pedaladas cá pelo nosso condado.
Pelas 08h00, juntei-me ao Jorge Palma, Leandro e Vasco Soares e fomos dar uma "passeata" com as "finórias" pelas Atalaias.
Abandonámos a cidade rumo aos Escalos de Baixo, ligámos aos Escalos de Cima e fletimos em direção à Lardosa.
Ladeamos a aldeia pela zona da estação e viramos o azimute às Zebras, com passagem pelo Vale da Torre.
No cruzamento para as Zebras, seguimos pela esquerda para a Atalaia do Campo continuando para a Póvoa da Atalaia.
Entroncámos na N.18 e fomos até à Soalheira, com intenção de tomar o cafezinho matinal no café das bombas.
Quando chegamos já ali se encontravam a rapaziada que habitualmente se junta no  Continente/Modelo.
Depois dos cumprimentos da praxe, tomámos o cafezinho e trocámos dois dedos de conversa, acabando por os acompanhar até ao cruzamento para o Louriçal do Campo.
Eles seguiram a sua volta e nós continuámos em direção à Barragem da Marateca, que contornámos em parte, rumo à Póvoa de Rio de Moinhos, onde encontrámos o Luís Lourenço, que vinha ao nosso encontro.
Já com mais um elemento seguimos agora direção à cidade, com passagem por Caféde.
Eram 11h30 e já estávamos de novo no ponto de partida, com 80 kms pedalados numa manhã em constante ameaça de chuva, mas que nos poupou, ficando-se por umas breves pinguitas, que nem chegaram a molhar o solo.
 
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC

Sem comentários: